10 discos importantes de heavy metal que não estão no Spotify e vale a pena escutar
Entretenimento

10 discos importantes de heavy metal que não estão no Spotify e vale a pena escutar

Não é preciso ser nenhum Sherlock para sacar que o Spotify não tem todos os discos do mundo. Dentro dos gêneros metal e hard rock, por exemplo, há bandas importantes e lançamentos marcantes que não estão na plataforma de streaming. Mas o Youtube está aí mesmo para ajudar você a descobrir gravações de Judas Priest, Pantera (vários álbuns) e Celtic Frost.

Esta uma lista inspirada em levantamento da "Billboard" traz faixas de (mais de) dez álbuns que os fãs mais atentos já devem ter identificado como lacunas em suas playlists.

Judas Priest, 'Jugulator' (1997)

Os fãs menosprezam um pouco sua participação e muitos sequer sabem que Tim "Ripper" Owens foi vocalista do Judas Priest. Ele substituiu Rob Halford nos álbuns "Jugulator" e "Demolition", de 2001, além de dois registros ao vivo e um DVD lançado em 2002. Diferente de muitos que tentam imitar os vocalistas "oficiais", Ripper — um apelido que vem da música de mesmo nome do Judas - imprimiu seu próprio jeito de cantar nas gravações. As melhores faixas de "Jugulator" são "Blood Stained", "Burn In Hell", "Cathedral Spires" e "Bullet Train" — a última foi indicada ao Grammy 1999 como melhor performance de metal.

Manowar, 'Hail To England ' (1984)

Em 1984, o Manowar lançou "Hail to England" e, dez meses depois, "Sign of the Hammer". O primeiro, que foi gravado em apenas seis dias, foi dedicado ao Reino Unido como desculpas pelo cancelamento de uma turnê. O álbum está na lista dos 100 melhores álbuns de metal de todos os tempos da revista "Rolling Stone". O vocalista Eric Adams canta como se cada respiração fosse a última, sem abandonar a pegada, digamos, de (risos) macho alfa.

Pantera, todos os álbuns anteriores ao 'Cowboys From Hell' (1983-1988)

Antes de mergulhar na brutalidade do metal dos anos 1990, o Pantera era uma banda glam — os sintetizadores e letras de gosto peculiar sobressaem no terceiro álbum, "I Am The Night". Terry Glaze, vocalista entre 1982 e 1987, participou desse e também de "Metal Magic" e "Projects In The Jungle". Phil Anselmo, com apenas 19 anos, assumiu os vocais em 1988 com "Power Metal", onde a sonoridade já era bem pesada. Este álbum sozinho já vale uma exploração, mas quem quiser pode se aventurar e curtir alguns dos primeiros álbuns que foram descartados do catálogo da banda e nunca mais relançados.

Braindance, 'Redemption' (2001)

Liderado pelo vocalista e compositor Sebastian Elliott e guitarrista Vora Vor, o grupo de progressive darkwave novaiorquino tem vocais com influências góticas. Formado em 1992, lançou quatro álbuns, sendo que "Redemption" é o terceiro, que tem, entre as faixas, "Relentless", considerada como um dos hinos de metal mais impactantes do século 21. Uma curiosidade: as 11 faixas têm como títulos palavras que começam com a letra "R". Também estão fora do streaming os outros álbuns "Fear Itself" (1995) e "Master Of Disguise" (2014).

Celtic Frost, 'Cold Lake' (1988)

Esse grupo suíço foi ponta de lança do metal extremo nos anos 80, misturando orquestrações sombrias e elementos de experimentação em seus som. Eles citavam o poeta francês Charles Baudelaire e a romancista inglesa Emily Brontë em suas letras. E então veio "Cold Lake", um álbum lançado pouco tempo depois da primeira separação, seguida de uma reformulação na banda, em 1987. O trabalho foi na onda do glam metal, provocando desprezo de fãs e críticos.

Die Krupps, 'III — Odyssey Of The Mind' (1995)

Um dos melhores e mais subestimados lançamentos de metal dos anos 90, o sexto álbum da banda de rock industrial alemã Die Krupps carrega nos temas que ainda refletem aspectos das vida dos alemães antes da queda do Muro de Berlin, como nas faixas "The Last Flood" e "The Final Option". Quando o vocalista Jürgen Engler grita versos como "isolation is liberation when desolation is what you feel" ("isolamento é libertação quando o que você sente é desolação"), não ha quem não sinta um soco no estômago. O álbum mais recente "Vision 2020 Vision" está disponível no Spotify.

TNT, 'Transistor' (1999)

Este quarteto norueguês de hard rock ganhou destaque internacional nos anos 1980 com o peso da guitarra de Ronni Le Tekrø e a voz poderosa de Tony Harnell. Com o surgimento do grunge, a banda passou por mudanças e os integrantes se separaram momentaneamente para se dedicar a trabalhos solo. Novamente reunidos, seguiram em direção a sons alternativos, notados a partir do álbum "Firefly", de 1997, e bem fortes nesse sétimo lançamento. Os álbuns "My Religion", "All The Way To The Sun", "Firefly" e "Realized Fantasies" também permanecem fora das listas do Spotify.

Doro, 'True At Heart' (1991)

O primeiro álbum solo da cantora Doro — também vocalista da banda Warlock entre 1982 e 1988 —, "Force Majeure", é um dos melhores álbuns de metal dos anos 1980, e sua força não foi diminuída nem pela força do grunge na época. "True At Heart", seu terceiro lançamento, é mais carregado de baladas e flerta com o blues e o hard rock — uma mistura que revela a profundidade de sua voz, oferecendo uma visão mais íntima dessa importante representante do metal alemão.

Virgin Steele, 'Noble Savage' (1985)

Os primeiros quatro álbuns da banda americana de heavy metal Virgin Steele estão fora do Spotify. "Noble Savage", o terceiro, foi lançado em 1985 e ganhou três reedições (1997, 2008 e 2011, a última com um CD bônus de 11 faixas). É o primeiro trabalho em que o estilo da banda se afirma, com composições grandiosas e arranjos mais sofisticados. Como "Angel Of Light", um épico de sete minutos orquestrado com influência jazzística.

Warrior, 'Fighting For The Earth' (1985)

O álbum de estreia da banda de Los Angeles não teve sucesso comercial de imediato, mas causou um burburinho no metal undergroud. O disco traz os guitarristas Joe Floyd e Tommy Asakawa tocando riffs e solos matadores que combinam com a potência vocal apaixonante de Parramore "Perry" McCarty. Entre os destaques, estão "Fighting For The Earth", que estava na demo lançada um ano antes, e as faixas "Defenders Of Creation", "Welcome Aboard" e a balada "Cold Fire".

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest