10 gravações essenciais para lembrar o genial McCoy Tyner
Entretenimento

10 gravações essenciais para lembrar o genial McCoy Tyner

Juntamente com Bill Evans (1929-1980), Thelonious Monk (1917-1982), Art Tatum (1909-1956) e outros raros nomes, alguns vivos, McCoy Tyner foi um dos principais pianistas do jazz moderno. Quase todos os que vieram depois do período em que esteve no John Coltrane Quartet tiveram que aprender suas lições. O músico morreu na sexta-feira (6/3), aos 81 anos.

"Meu atual pianista, McCoy Tyner, mantém as harmonias, e isso me permite esquecê-las. Ele é o tipo de quem me dá asas e me deixa decolar do chão de vez em quando", disse Coltrane em uma entrevista de 1961. Ele entrou para o quarteto em 1960, quando seu líder adotou o jazz modal. Os resultados foram alguns dos álbuns mais memoráveis do gênero: "Coltrane Jazz", "My Favorite Things" e "Olé Coltrane", de 1961; "Coltrane Plays The Blues", de 1965; e "A Love Supreme", de 1965.

John Coltrane e seu quarteto formado por L-R Elvin Jones, Reggie Workman e McCoy Tyner em 1961. Foto: Getty Images
John Coltrane e seu quarteto formado por L-R Elvin Jones, Reggie Workman e McCoy Tyner em 1961. Foto: Getty Images

McCoy se separou de Coltrane em 1965 e não obteve sucesso imediato. Mas bastou uma década para a fama do pianista canhoto alcançar sua influência, e continuar sendo um dos músicos mais reverenciados pelo resto da vida. Como artista solo e líder, ele ganhou cinco Grammys, incluindo Melhor Performance Instrumental de Jazz por "Blues for Coltrane", de 1987, e "Infinity", de 1995, bem como Melhor Álbum Instrumental de Jazz por "Illuminations", de 2004.

Para comemorar o legado de McCoy, o site do Grammy fez uma lista com 10 gravações essenciais, com e sem Coltrane.

1. 'My Favorite Things' ('My Favorite Things', John Coltrane, 1961)

Essa música do musical "A Noviça Rebelde" começa como uma ode fofa a gatinhos, luvas e chaleiras, até Coltrane atear fogo. Durante os 13 minutos de duração, McCoy muda a melodia de Rodgers e Hammerstein a ponto de hipnotizar.

2 'Inception' (de 'Inception', 1962)

Quando McCoy não tinha Coltrane por perto, ele geralmente deixava sua mão direita assumir o controle. Em seu álbum de estreia, o baixista Art Davis e o baterista Elvin Jones assumem um papel de fundo, pois McCoy mostra uma destreza de tirar o fôlego.

3 'Reaching Fourth' (de 'Reaching Fourth', 1963)

A marca registrada de McCoy eram os acordes com quarta, técnica que ajudou a estabelecer as bases do jazz contemporâneo. A faixa-título de 1963 com o baixista Henry Grimes e o baterista Roy Haynes é uma vitrine desse seu intervalo favorito.

4 "Jinrikisha" (de 'Page One', Joe Henderson, 1963)

Curiosamente, devido a um contrato conflitante com a Impulse!, o pianista foi creditado na arte do álbum como "Etc." Aqui, ele apresenta algumas de suas músicas mais sutis e leves de todos os tempos.

5 "Pt. 1 - Acknowledgement' (de 'A Love Supreme', John Coltrane, 1965)

"A Love Supreme" é conhecida como a canção transformadora de Coltrane, quando ele largou as drogas e o álcool. Apesar de suas invenções, os resultados seriam certamente irreconhecíveis sem McCoy, que conduz a música logo após a introdução.

6 'Blues On The Corner' (de 'The Real McCoy', 1967)

McCoy continuou tocando com Henderson depois de "Page One", juntando-se a ele nos clássicos "In 'n Out" (1964) e "Inner Urge" (1966). O saxofonista retribuiu o favor nesse álbum, formando um quarteto com o baixista Ron Carter e o baterista Elvin Jones.

7 'Song Of Happiness' (de 'Expansions', 1969)

Uma das obras mais cerebrais de McCoy, o álbum tem contribuições do trompetista Woody Shaw, dos saxofonistas Wayne Shorter e Gary Bartz. "Song of Happiness" é uma das faixas mais brilhantes.

8 'A Prayer For My Family' (de 'Sahara', 1972)

Pelo selo Milestone, ele gravando esse ótimo álbum de inspiração africana e japonesa, no qual tocava flauta e koto. O destaque é "A Prayer For My Family", uma obra apaixonada para piano solo.

9 'Walk Spirit, Talk Spirit' (de 'Enlightenment', 1973)

Gravado no festival de Montreux, na Suíça, com o saxofonista Azar Lawrence, o baixista Juni Booth e o baterista Alphonse Mouzon, o álbum reflete claramente as ligações com Coltrane. É uma viagem exigente de 70 minutos.

10 'Love Surrounds Us' (de' Uptown / Downtown', 1989)

Apesar da produção datada - os anos 1980 foram difíceis para o jazz -, McCoy fez um excelente trabalho com seu trio. Gravado em duas noites no Blue Note em Manhattan, mostra emocionantes interpretações, como "Love Surrounds Us".

Tags relacionadas:
EntretenimentoJazzLista

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest