30 músicas que fazem 30 anos em 2019
Entretenimento

30 músicas que fazem 30 anos em 2019

Para descobrir o segredo do sucesso das rádios de FM adultas, basta observar os lançamentos de 1989 – dá a impressão que os programadores dessas emissoras focaram nesse ano e montaram suas playlists. Músicas calmas, o teclado como protagonista, classic e soft rock dominam a lista do Reverb com 30 músicas que completam 30 anos em 2019:

‘THIS TIME I KNOW IT'S FOR REAL’, DE DONNA SUMMER

Mesmo com a disco music morta e enterrada, sua rainha ainda brilhava nas paradas. Donna Summer lançou o disco “Another Place in Time” em 1989 e espalhou cinco singles de sucesso pelo ano – o primeiro, “This Time I Know It’s For Real”, é de 13 de fevereiro e é hit em festas de aniversário de quem já passou dos 40.

‘LIKE A PRAYER’, DE MADONNA

Madonna chegou ao quarto álbum em 1989 e não parava de causar/inovar/chocar. “Like A Prayer”, primeiro single do disco de mesmo nome, por exemplo, foi o primeiro caso de uso comercial de uma música antes do seu lançamento oficial. Um dia antes do seu lançamento, em 2 de março, a música aparecia num comercial da Pepsi. O disco teve outros cinco singles e ficou nas paradas até o ano seguinte.

‘HIGHER GROUND’, DOS RED HOT CHILI PEPPERS

Sabe aquele cover que valoriza a música original e até faz as pessoas se lembrarem de novo do seu criador? O Red Hot fez isso com “Higher Ground”, de Stevie Wonder, em 1989, no álbum “Mother’s Milk”. O funk era a base para o som da banda, mas eles fizeram questão de carregar bem nas guitarras dessa versão, que ganhou o mundo pop (foi trilha de diversos filmes e jogos de videogame) e serviu até como som ambiente de uma montanha russa na Disneyland.

‘I WANT IT ALL’, DO QUEEN

Se nesse finalzinho de 2018 só se falou em Queen por conta do lançamento da cinebiografia de Freddie Mercury, Bohemian Rhapsody, há 30 anos o Queen também era assunto por conta do álbum “The Miracle”, que traz alguns hits como “I Want It All”, lançado em 2 de maio de 1989 como single na Inglaterra.

‘HERE COMES YOUR MAN’, DO PIXIES

Há 30 anos nascia a trilha sonora de toda e qualquer festa de rock and roll que tenha um DJ minimamente sintonizado com a pista. “Here Comes Your Man” está no clássico álbum “Doolittle”, tido como referência para músicos do gênero.

‘EDDIE (CIAO BABY)’, DE THE CULT

Esse clássico do FM adulto da banda The Cult é uma homenagem à musa Edie Sedgwick, que era da turma de Andy Warhol e estrelou alguns filmes do artista-sensação de Nova York.

‘TINDOLELÊ’, DA XUXA

Michael Sullivan e Paulo Massadas dominaram o cenário dos hits nos anos 1980 e encerraram a década com a produção do “4º Show da Xuxa”. A responsabilidade era grande, pois tinham de superar o sucesso de “Ilariê”. E conseguiram manter a linha com o hit “Tindolelê”, música que abre o disco, composta por Cid Guerreiro e Dito.

‘ALL AROUND THE WORLD’, DE LISA STANSFIELD

O maior hit de Lisa Stansfield saiu do disco “Affection”, de 1989. Lançado em 16 de outubro de 1989 como single, ganhou regravação com participação de Barry White em 1992 – e estourou de novo.

‘ESSA NOITE, NÃO (MARCHA A RÉ EM PAQUETÁ)’, LOBÃO

Há 30 anos, Lobão lançava o disco “Sob O Sol De Parador”, que trazia o hit “Essa Noite, Não (Marcha A Ré Em Paquetá)”.

‘LOVE IN AN ELEVATOR’, DO AEROSMITH

O álbum “Pump” foi um grande momento na carreira do Aerosmith e fez a banda encerrar a década de 1980 em alta com grandes singles. O primeiro deles, lançado em 15 de agosto, foi “Love In An Elevator” e fala sobre os riscos da prática amorosa entre-andares.

‘MIXED EMOTIONS’, DOS ROLLING STONES

Keith Richards conta numa entrevista que estava cerca de seis meses sem ver Mick Jagger e levou algumas músicas para o primeiro encontro com o objetivo de formatar o álbum “Steel Wheels”. A conexão dos dois era tão forte que, ainda segundo Keith, Mick sempre tinha alguma parte de alguma música que se encaixava perfeitamente com as que ele tinha levado. “Mixed Emotions” nasceu assim.

‘BURGUESIA’, DE CAZUZA

O Brasil perdeu Cazuza em 1990. Meses antes, o cantor lançou o disco duplo “Burguesia”, que abre com a música de mesmo nome. Já debilitado pelas doenças oportunistas da AIDS, a voz de Cazuza não tinha a mesma potência de antes e esse acabou sendo seu último registro em vida.

‘SOWING THE SEEDS OF LOVE’, DOS TEARS FOR FEARS

Flashback do flashback. Se hoje a turma do flashback se esbalda ao ouvir Tears For Fears, saiba que essa música é totalmente inspirada nos Beatles do finalzinho dos anos 1960.

‘THE BEST’, DE TINA TURNER

A música foi gravada pela primeira vez um ano antes por Bonnie Tyler. Mas foi em 1989 que ela estourou mundialmente na potente voz de Tina Turner e se tornou um hino do pop motivacional.

‘POISON’, DE ALICE COOPER

Alice Cooper já fazia o seu show de horror pelo mundo quando lançou um dos seus maiores sucessos, “Poison”, clássico do hard rock de 5 de setembro de 1989.

‘ANOTHER DAY IN PARADISE’, DE PHILL COLLINS

Phill Collins fez esse hit de 30 anos atrás depois de uma visita a Washington DC, quando ficou impressionado com a quantidade de pessoas vivendo nas ruas. Impactante, a música levou Grammy de gravação do ano e o Brit Award de melhor single.

‘FREE FALLIN'’, DE TOM PETTY

Logo depois do fim do grupo Tom Petty and The Heartbreakers, Petty lançou sua estreia solo, “Full Moon River”, em 1989. Sua faixa de apresentação, a primeira do disco, foi “Free Fallin’”, que se tornou um clássico do rock.

‘LANTERNA DOS AFOGADOS’, DOS PARALAMAS DO SUCESSO

Seguindo a onda do trabalho anterior, “Bora-Bora”, Os Paralamas do Sucesso fazem um mergulho nos sons brasileiros e incluem repente, forró e muita percussão ao seu ska. O hit do álbum é a emocional “Lanterna dos Afogados”, que se aproxima mais do blues.

‘INNER SELF’, DO SEPULTURA

Faixa da estreia do Sepultura na Roadrunner Records e responsável pelo aumento do interesse pela banda mundo afora – afinal, o Brasil não era lá nenhum celeiro de bandas de metal e um nome como o Sepultura, com o resultado sonoro que conseguia, gerava curiosidade.

‘PET SEMATARY’, DOS RAMONES

Faixa composta por Dee Dee Ramone e o produtor Daniel Rey para a trilha sonora do filme “Cemitério Maldito”, lançado em 1989, inspirado na obra de Stephen King. A música entrou no álbum “Brain Drain”, do mesmo ano.

‘O ASTRONAUTA DE MÁRMORE’, DO NENHUM DE NÓS

Controversa, há quem ame e quem odeie essa versão de “Starman”, de David Bowie, feita pelo Nenhum de Nós. Teddy Correa diz, em texto para o Zero Hora, que o som é um catadão de referências de Bowie: “’Quero um machado para quebrar o gelo’ vem diretamente de ‘Ashes to Ashes’. Nos arranjos mais citações: a base de violão característica do clima folk de ‘The Man Who Sold the World’ e ‘Hunky Dory’. O violino que remetia a ‘Hurricane’, de Bob Dylan – influência confessa de Bowie”

‘O FUTEBOL’, DE CHICO BUARQUE

Chico Buarque é tão apaixonado por futebol que tem seu próprio time, o Polytheama. Então, até que demorou para ele ter uma música chamada O Futebol em seu repertório. Faz só 30 anos... está no disco homônimo ao cantor e compositor, de 1989.

‘OCEANO’, DE DJAVAN

“Oceano” dominou tanto o repertório do disco de Djavan de 1989 que acabou apelidando o trabalho. O nome do disco é “Djavan” mesmo, mas todo mundo fala que é “Oceano”. A faixa tem ninguém menos do que Paco de Lucia no violão e o recém-falecido Arthur Maia no baixo.

‘YOU GOT IT’, DE ROY ORBISON

Roy Orbison não viu seu grande sucesso. Ele morreu em 6 dezembro de 1988, aos 52 anos, de um ataque do coração após cumprir uma extensa agenda de shows e de gravações para o novo disco. No dia 31 de janeiro de 1989, saia o póstumo “Mistery Girl” que abria com “You Got It”. O single recolocou Orbison nas paradas depois de 25 anos.

‘IT'S ONLY LOVE’, DO SIMPLY RED

Mick Hucknall levava o seu blue-eyed-soul para o terceiro disco com “A New Flame”, do Simply Red, em 1989. O primeiro single foi “It’s Only Love”, lançado em janeiro.

‘FLORES’, DOS TITÃS

Essa faixa foi um dos destaques do álbum “Õ Blésq Blom”, de 1989, que já foi defendido como um trabalho “pré-manguebeat” devido às misturas de rock com elementos da música brasileira – Paulo Miklos já afirmou numa entrevista que Chico Science e a turma que faria o movimento pernambucano anos depois estavam na primeira fila do show de estreia do disco em Recife. Em 1997, a faixa ganhou novas cores com a interpretação de Marisa Monte no “Acústico MTV” dos Titãs.

‘PAIS E FILHOS’, DA LEGIÃO URBANA

Um dos grandes clássicos da Legião, “Pais e Filhos” é apenas um dos sucessos do álbum “As Quatro Estações”. Renato Russo se irritava frequentemente com a animação do público ao cantar essa músi’ca – ele perguntou para a plateia durante uma edição do “Programa Livre, antiga atração de Serginho Groisman no SBT: “Vocês sabem que essa música é sobre suicídio, né?”.

‘SACRIFICE’, DE ELTON JOHN

O teclado dominava a música pop e Elton John foi um dos seus grandes defensores. “Sacrifice” é daquelas baladinhas que você sempre vai ouvir na sua visita ao dentista.

‘LOCOMIA’, DO LOCOMIA

Nos anos 1980, o sucesso da música eletrônica poderia vir dos lugares mais inimagináveis. Locomia começou como um grupo de estilistas (!!!) que se tornou um grupo musical – pelo menos o desenho daquelas calças está explicado agora. Além das calças, os passos de dança usando leques também se tornaram marcas registradas do grupo.

‘GIRL I'M GONNA MISS YOU’, DE MILLI VANILLI

Uma das grandes farsas da história da cultura pop ainda aproveitava a onda e continuava lançando seus singles em 1989 – anos depois, foi revelado que a dupla Milli Vanilli não cantava suas músicas e fazia playback nos shows. Antes dos processos, que dominaram a agenda da dupla no final de 1989, ainda deu tempo de lançar dois singles.

Curtiu e quer matar a saudade? É só ouvir todas essas músicas na nossa playlist "30 músicas que fazem 30 anos em 2019":

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest