5 girl groups que podem preencher o vazio que o Fifth Harmony deixou
Entretenimento

5 girl groups que podem preencher o vazio que o Fifth Harmony deixou

É impossível negar o legado das girlbands na indústria musical. Das Supremes às Spice Girls, os grupos femininos vêm ocupando o mainstream há décadas com seus hits radiofônicos e uma atitude girl power que nunca envelhece. E, se cada geração tem um girl group para chamar de seu, para os millennials, este foi o Fifth Harmony.

O Fifth Harmony foi formado em 2012 no "X Factor" americano. Desde então, Lauren Jauregui, Normani Kordei, Dinah Jane, Ally Brooke e Camila Cabello - que deixou o grupo em 2016 - quebraram vários recordes. Com "Work From Home", elas se tornaram o primeiro grupo feminino a alcançar 1 bilhão de visualizações em um clipe. Já "Reflection" se tornou o álbum de uma girlband a chegar mais rápido ao topo do iTunes dos EUA. Impressionante é pouco, né?

Após seis anos de carreira e uma integrante a menos, o Fifth Harmony anunciou que entraria num hiato sem previsão de volta. Suas integrantes, inclusive, fizeram o último show juntas em maio deste ano e já trabalham em projetos solo. O que nos leva a imaginar: quem pode ocupar o espaço de girl group mais popular do mundo deixado pelo Fifth Harmony? Vamos às opções!

Little Mix

Muitos acreditam que Jade Thirlwall, Jesy Nelson, Leigh-Anne Pinnock e Perrie Edwards são maiores que o 5H, mas fatos são fatos: em números, as britânicas nunca conseguiram superar a febre causada pelas americanas. Ainda. O talento do quarteto é inegável. Suas performances são poderosas e, os discos, coesos. O Reino Unido já se rendeu a elas, mas o mercado americano ainda precisa valorizar as vozes do hit "Black Magic".

Haim

As irmãs californianas representam - e muito bem! - o rock alternativo que ainda é consumido em alta escala pelos americanos. No Spotify, o hit “The Wire” ultrapassa a marca de 75 milhões de plays. Danielle, Alana e Este Haim ainda são amigas próximas de Taylor Swift. E, vamos combinar, não há pessoa melhor que a dona do álbum "Reputation" para aconselhar o trio nesta estrada rumo ao sucesso.

Blackpink

A música coreana está invadindo o ocidente. Em 2017, por exemplo, o BTS colocou os Estados Unidos no bolso, completando a difícil missão de ser notado pelo maior mercado fonográfico do mundo. Seguindo esses passos está o Blackpink. Jisoo, Jennie, Rosé e Lisa vêm ganhando a cada dia mais espaço nas playlists ao redor do planeta. O poder das rainhas do k-pop foi provado em junho deste ano, quando "DDU-DU DDU-DU" se tornou o único vídeo de um girl group a ocupar um lugar na lista dos 10 clipes mais assistidos em 24 horas no Youtube. Foram impressionantes 33,7 milhões de visualizações em apenas um dia.

Red Velvet

O potencial do k-pop é tão grande que esta lista tem mais um representante deste estilo: o Red Velvet. A conceituada revista Time já abriu os olhos para o talento de Irene, Seulgi, Wendy, Joy e Yeri, colocando as jovens coreanas na lista de melhores grupos pop coreanos. Sua capacidade de passear por diversos ritmos faz com que o quinteto seja atraente para diversos públicos.

AKB48

Não, você não está vendo repetido. No Japão, existe um grupo formado por 48 integrantes. O número pode ser considerado exagerado por quem não está acostumado ao j-pop, mas a fórmula sempre deu resultado. A banda, formada em 2005, figura na lista dos dez girl groups que mais venderam mundialmente em toda a história. E o fenômeno continua se renovando. Em maio deste ano, foi lançado "Teacher Teacher", seu 52º maxi single.

Texto por: Guilherme Assumpção

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest