5 vezes em que as minas do rap se juntaram para empoderar
Inspiração

5 vezes em que as minas do rap se juntaram para empoderar

0

Publicidade

Não é de hoje que as minas roubam a cena no rap. E, quando elas se reúnem em cyphers — encontro em que MCs rimam juntos (no improviso ou não) — ou em parcerias, o resultado não costuma ser diferente. Fizemos uma seleção de músicas imperdíveis.

 DESTAQUE: Aos 19 anos, Gabz é uma das grandes promessas do rap nacional

LEIA TAMBÉM: Tudo Tanto: Karol Conká e Boss in Drama traduzem dance music e hip-hop em música pop perfeita

 ‘Poetisas no Topo’

Não tem como ouvir os versos que Drik Barbosa, Nabrisa, Mariana Mello, Karol de Souza, Azzy, Souto e Bivolt fazem juntas sem tirar o chapéu. É como Nabrisa recita na faixa “Poetisas no Topo”: “É nóis que manda aqui também, é nóis que vive aqui com os nossos pés no chão, levantando a cabeça toda vez que eles disserem não”.

 ‘Rap Plus Size: Toda Grandona’

Rimando em prol do amor próprio, Issa Paz e Sara Donato compuseram um rap com pegada de funk para rebolar e se sentir bem. “Revolução começa no ato de se aceitar; ser gorda não é ruim e cês têm que respeitar”.

‘Origens’

Gigantes do rap e do hip=hop nacional, Tássia Reis, Alt Niss, Stefanie, Tatiana Bispo, Drik Barbosa, Karol de Souza e a DJ Mayra Maldjian formam o grupo de cypher Rimas e Melodias. Nessa faixa, misturam ritmos e fazem estrondo com versos como “eu sou do fogo que venta, que te queima e cê nem vê”.

‘Mulheres’

Bella Larbac, Mary Janes, P. Drita e Budah fizeram um rap contra o machismo. “Conquistando o espaço que é meu, vou investir; minhas minas vão me ajudar a resistir” é um bom resumo para a faixa.

‘CYPHER #2’

Da série de cyphers “Rima Dela”, do canal do YouTube “Soul Di Rua”, a “#2” conta com a força da retórica de Mel Duarte, Bianca Hoffmann, Souto MC, Cris SNJ e Killa Bi. “Motivo da minha luta não será só por mim, será por nós”.

Publicidade

Background

Relacionados

Canais Especiais