8 clipes com críticas sociais f*da
Entretenimento

8 clipes com críticas sociais f*da

Não é de hoje que músicos de variados contextos e estilos usam sua arte para fazer críticas e denúncias. Por meio de videoclipes inspiradores, a reflexão sobre injustiças, opressões e tendências prejudiciais para a sociedade se tornam ainda mais impactantes e visíveis.

Por isso, escolhemos oito clipes para te fazer pensar sobre alguns problemas sociais urgentes do nosso tempo.

‘Flutua’, Johnny Hooker (part. Liniker)

Por meio das atuações de Jesuíta Barbosa e Maurício Destri, esse clipe narra o amor entre dois homens e o preconceito que eles enfrentam. Com imagens duras de homofobia em contraste com a beleza das performances de Johnny Hooker e Liniker, o vídeo é uma grande demonstração do poder do amor.

‘Formation’, Beyoncé

Em resposta ao racismo e à violência policial contra negros nos Estados Unidos, Beyoncé lançou um dos vídeos mais comentados dos últimos anos. Sinônimo de resistência e empoderamento, a cantora reivindica respeito pelas vidas negras e pelas próprias raízes; tudo isso enquanto reafirma o lugar de sucesso que ocupa indústria fonográfica.

‘Falo’, Carne Doce

“Você finge me tratar como igual / Mas seu arroto é pura condescendência”, diz a música da banda goiana liderada por Salma Jô. O clipe denuncia o machismo ilustrando a indignação e a raiva de ser tratada como menos capaz, como histérica e com menos atenção simplesmente por se ser mulher.

‘Carmen’, Stromae

Com uma vibe parecida com a dos episódios da série “Black Mirror”, o clipe do rapper belga critica, entre outros problemas da sociedade atual, o hiperconsumo e o uso excessivo de redes sociais. O famoso passarinho azul - logotipo do Twitter - aparece tomando cada vez mais espaço na vida do protagonista, atrapalhando relacionamentos, produtividade e o próprio decorrer da vida.

'Boa Esperança', dEmicida

Quase um curta, o clipe dirigido por Kátia Lund - codiretora do filme “Cidade de Deus” (2002) - evidencia o fim da tolerância ao racismo estrutural presente no Brasil desde suas raízes. Em um cenário doméstico, empregados tratados de forma desrespeitosa se rebelam e mostram a insatisfação com anos de humilhação vinda dos patrões. Dona Jacira, mãe de Emicida, é um dos grandes destaques do vídeo.

‘The Greatest’, Sia

Em 2016, o massacre na boate Pulse, em Orlando, matou 49 pessoas, teve como motivação a homofobia. Em memória das vítimas da tragédia, a poderosa performance da dançarina contemporânea Maddie Ziegler convida o espectador a refletir sobre as vidas perdidas naquela noite.

“Triste, Louca e Má”, Francisco, el Hombre

Ser mulher muitas vezes é ser rotulada, mas a Francisco, el Hombre - banda brasileira com pé no México - veio nos lembrar que não precisa ser assim. Com versos sobre autossuficiência e imagens de leveza, o vídeo de “Triste, Louca ou Má” viaja com a câmera pela dança de mulheres fora do padrão estético disseminado pela mídia, mostrando a beleza de se aceitar.

‘Diário De Um Detento’, de Racionais MC’s

Mano Brown escreveu sobre o maior massacre de detentos do Brasil, ocorrido no presídio paulista do Carandiru, em 1992, e fez história no rap nacional. Ao narrar o cotidiano dos presos, o clipe mostra a situação desumana do sistema carcerário brasileiro, e ressalta como essas pessoas não recebem a devida atenção da sociedade.

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest