'A Batida Perfeita': novo filme sobre diva pop promete abordar o ageísmo na música
Entretenimento

'A Batida Perfeita': novo filme sobre diva pop promete abordar o ageísmo na música

No filme "A Batida Perfeita" ("The High Note"), a protagonista é Grace Davis, uma cantora que não ousa fazer novas músicas para se manter segura na carreira e por medo de ser vítima de ageísmo, o preconceito relativo à idade. Sua intérprete é Tracee Ellis Ross, atriz, modelo, comediante, produtora e apresentadora de TV que, agora, aos 47 anos, está realizando o sonho de ser cantora. Algo surpreendente, considerando que Tracee é filha da dona de um das vozes mais consagradas do mundo: Diana Ross, que, aliás, aos 75 anos, é um tremendo case de sucesso diante do ageísmo. O termo foi criado pelo psiquiatra e gerontologista americano Robert Neil Butler em 1969; Madonna, que tem sentido na pele essa discriminação, costuma trazer a público essa questão. Um recente artigo na revista "Billboard" abordou o tema por um viés bem semelhante ao do filme, falando sobre veteranas do rhythm & blues que estão produzindo e sendo relevantes.

Tracee Ellis, bastante conhecida por seus papéis na TV em séries como "Black-Ish", "Girlfriends" e CSI", vai interpretar pela primeira vez uma cantora no cinema. Ela será a estrela Grace Davis, uma talentosa cantora que se esquiva de fazer novas músicas, optando por fazer shows apenas de sucessos e manter-se num lugar confortável. Ou melhor, blindada contra críticas. "É realmente sombrio para as cantoras de meia-idade. Na história da música, apenas cinco mulheres com mais de 40 anos tiveram um sucesso número um e apenas uma delas era negra", diz a personagem em determinada cena de "A Batida Perfeita", que tem direção de Nisha Ganatra e estreia em maio.

"Grace Davis é daquelas mulheres que passaram a vida sendo o que todo mundo queria que ela fosse. E ela chega em certo ponto da carreira e da vida em que se questiona: posso continuar o que venho fazendo, porque funciona e é isso que todo mundo quer que eu faça, ou eu posso ser quem sou e deixar que a verdadeira Grace Davis voe?", conta Tracee em entrevista à "Entertainment Weekly".

O novo papel permitiu a Tracee cantar seis músicas originais, concretizando um sonho não realizado (apesar de ser filha de quem é). "Trabalhar neste filme foi uma experiência muito boa, sempre divertido trabalhar em um mundo diferente. Mas também foi assustador encarar meus sonhos, eu sempre tive pavor de cantar!", diz ela, ressaltando que não se inspirou na mãe Diana para fazer o papel.

Com toda a honestidade, nada disso é retirado do mundo da minha mãe. A única coisa é que eu sempre tive o sonho de poder cantar. Mas a história realmente não tem nada a ver com a experiência da minha mãe. A única conexão que eu posso desenhar é que as duas são mulheres que ocupam um grande espaço no mundo mas que são, na verdade, humanas, com seus medos, decepções e lutas por conta própria.
Tracee em cena de "A Batida Perfeita". Foto: Divulgação
Tracee em cena de "A Batida Perfeita". Foto: Divulgação

No filme, a cantora é incentivada pela assistente Maggie (Dakota Johnson) a superar seus medos e gravar inéditas. Mas ao tentar fazer um novo álbum, em vez de outra turnê de sucessos, seu empresário (Ice Cube) tenta impedi-la por medo de que os fãs não queiram uma novidade vinda de uma mulher de uma certa idade. Já Maggie, que deseja desesperadamente ser produtora musical, procura contornar a situação para não continuar presa ao trabalho sem futuro de assistente. "É disso que trata o filme. É sobre o relacionamento entre eu e minha assistente, que também tem sonhos. É uma história divertida", diz a atriz. O filme traz ainda no elenco Bill Pulmann, June Diane Raphael e músicas de Corinne Bailey Rae e Sarah Aarons.

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest