A incrível história da fita cassete perdida na praia e reencontrada 25 anos depois
Entretenimento

A incrível história da fita cassete perdida na praia e reencontrada 25 anos depois

Qual a possibilidade de se encontrar um objeto perdido — no caso uma fita cassete — na praia 25 anos depois e a mais de dois mil quilômetros de distância? Nenhuma, certo? Pois o que parecia impossível aconteceu e ainda acompanhado de uma série de coincidências. Stella Wedell tinha 12 anos quando passava férias nas praias de Costa Brava e Maiorca, no Mediterrâneo, em 1993. Aliás, ela, seu inseparável walkman e várias fitas cassete gravadas com uma seleção do repertório de seus CDs. Na época, era assim que se montava uma playlist.

Uma de suas fitas, a que tinha 20 músicas, entre elas sucessos dos Pet Shop Boys, Bob Marley e Shaggy, desapareceu no passeio. A menina alemã deve ter ficado triste, mas seguiu em frente. Um quarto de século depois, em férias agora em Estocolmo, na Suécia, Stella foi visitar uma exposição fotográfica da artista inglesa Mandy Barker. Passeando pela galeria, ela viu uma foto de uma fita meio deteriorada, acompanhada por uma descrição que trazia a lista das músicas gravadas.

"Quando eu estava lendo a lista de músicas, me pareceu muito familiar. Então tirei uma foto e comparei com o CD original de 1993, que ainda tenho, e era exatamente a mesma, mas começando com a faixa três — lembro que pulei as duas primeiras porque não gostava", disse Stella a "Sky News".

A fita foi encontrada e recuperada pela fotógrafa Mandy Barker.. Foto: Reprodução
A fita foi encontrada e recuperada pela fotógrafa Mandy Barker.. Foto: Reprodução

Para comprovar de vez a incrível coincidência, Stella contou que suas fitas sempre incluíam a música "The Jungle Book Groove", da trilha sonora da animação “Mogli — O Menino Lobo”, como terceira faixa de suas coletâneas.

A fita perdida havia chegado à Playa de Barlovento de Jandia, nas Ilhas Canárias, no Oceano Atlântico, a quase 2.500 quilômetros de Maiorca, em 2017, e foi recuperada por Mandy, que estuda a questão da poluição por plásticos nos oceanos há cerca de uma década e cria peças a partir desses detritos.

Inicialmente, Mandy duvidou que o cassete ainda tocasse, mas depois de secar no peitoril da janela por cerca de 18 meses e enviar a um especialista da Plymouth University, conseguiu ouvir todas as faixas.

Mandy Baker, a fotógrafa que encontrou a fita perdida nas Ilhas Canárias. Foto: Reprodução Facebook
Mandy Baker, a fotógrafa que encontrou a fita perdida nas Ilhas Canárias. Foto: Reprodução Facebook

Com o objeto recuperado, ela resolveu exibi-lo em sua exposição "Sea of Artifacts". "Que coincidência impressionante a de Stella visitar a minha exposição e ainda reconhecer a fita. Ela disse que ficou chocada ao encontrá-la e, quando li o e-mail dela, também não pude acreditar. Foi um choque total!", contou a fotógrafa ao "The Guardian".

O professor Richard Thompson, chefe do departamento de pesquisa marinha da Plymouth University, chamou a atenção para outro fato, esse não tão divertido. "Essa realmente é uma história incrível, mas é também um bom exemplo de como o plástico polui os oceanos. É muito difícil dizer exatamente quanto tempo a fita ficou no mar, mas o fato de ter sobrevivido intacta mostra a durabilidade do plástico e a ameaça que isso representa para o ambiente marinho", chamou a atenção. As músicas iniciais foram danificadas, mas as músicas mais adiante soam tão claras como estariam hoje. O que mostra quanto tempo o plástico pode resistir no mar", acrescentou Mandy.

A fita continuará como parte da exposição itinerante da fotógrafa, que está atualmente na Fotografiska Tallin, na Estônia, mas depois será devolvida à Stella.

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest