Art Neville, mestre do funk americano, recebe homenagens em Nova Orleans
Entretenimento

Art Neville, mestre do funk americano, recebe homenagens em Nova Orleans

O cantor e tecladista Art Neville, o "Poppa Funk", um dos fundadores dos grupos de funk de Nova Orleans The Meters e Neville Brothers, faleceu aos 81 anos no domingo (21). Na noite de segunda (22), o trompetista Kermit Ruffins promoveu uma jam session aberta a qualquer músico em seu clube, o Mother in Law, no bairro de Tremé. A notícia da morte de Art foi dada pelo empresário do músico, Kent Sorrell, que preferiu não entrar em detalhes sobre a causa. Sabe-se, entretanto, que a saúde do artista estava em declínio nos últimos anos, tanto que ele se aposentou dos palcos em 2018. "Neville faleceu em paz em sua casa com sua mulher, Lorraine, ao seu lado", afirmou Kent. através de um comunicado à imprensa.

Art Neville é reconhecido mundialmente como a voz do hino do Carnaval de Nova Orleans, "Mardi Gras Mambo". Ele gravou a canção aos 17 anos, em 1954, com os Hawketts em uma estação de rádio local. Após passar um tempo servindo à Marinha americana, Art se dedicou a uma série de músicas que se tornaram clássicos do R&B dos anos 1950 e 1960 — entre elas "Cha Dooky Do" e "All These Things".

Nascido Arthur Lanon Neville, em 17 de dezembro de 1937, em Nova Orleans, no estado de Louisiana, ele ajudou a fundar, junto de seus três irmãos, Aaron, Cyril e Charles (morto em 2018), o grupo Neville Brothers. Com o passar de cinco décadas, a família do músico se tornou figurinha oficial da cena de funk da cidade, e ajudou a lançar ao mainstream o baixista George Porter Jr., o baterista Joseph "Zihaboo" Modeliste e o guitarrista Leo Nocentelli.

Como integrante dos Meters, Neville gravou os clássicos "Sophisticated Cissy", "Fire on the Bayou", "Here Comes the Meter Man", "Look-Ka Py Py", "Cissy Strut" e "Hey Pocky A-Way". Com o fim do grupo em meados da década de 1970, ele voltou a tocar com os irmãos. Atingiram o ápice da carreira com o lançamento do disco "Yellow Moon", de 1989. Uma das faixas do álbum, "Healing Chant", ganhou o Grammy de pop instrumental naquele mesmo ano. Em 2018, a Academia da Música homenageou Neville com o prêmio de contribuição em vida, um dos mais importantes da carreira de um artista.

Após o anúncio da morte do "Poppa Funk", diversos músicos e fãs do artista prestaram homenagens nas redes sociais. O crítico de jazz e historiador musical Ted Gioia lamentou a passagem de Neville.

"Ttem sido um ano devastador para a música de Nova Orleans. Perdemos Dr. John, Dave Bartholomew e agora Art Nevelle. Uma geração inteira está indo embora, junto com a tradição que não pode ser substituída", escreveu ele no Twitter.

Art Neville, o 'Poppa Funk', tocando em uma apresentação/Getty Images
Art Neville, o 'Poppa Funk', tocando em uma apresentação/Getty Images

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest