Artista cria retratos ultrarrealistas de músicos em vinis
Criatividade

Artista cria retratos ultrarrealistas de músicos em vinis

Você certamente já deve ter ouvido falar nos pictures disc, discos de vinil que trazem, normalmente em edições especiais, incríveis impressões coloridas sobre a face do LP, costumeiramente preta. Aniversários de discos históricos ou simplesmente versões personalizadas de álbuns que trazem o rosto do artista em questão ou alguma outra ilustração transformando o LP em uma obra gráfica. O trabalho do artista americano Daniel Edlen é como uma versão personalizada, aprofundada e ainda mais especial desses picture discs – com o rosto dos artistas pintado à mão com tinta branca sobre o LP.

“Cresci na era do CD, ainda bem que meu pai me apresentou ao vinil”, diz Daniel. “Eu amo tudo sobre o vinil, dos ruídos e estalos e o ritual de colocar a agulha e até o cheiro”. Seu trabalho, intitulado Vinyl Art, já foi feito especialmente para empresas como VEVO e para o CEO da Beats Music (aquela dos fones de ouvido), além da fundação do cineasta David Lynch. Até Lou Reed, o ex-líder do Velvet Underground, morto em 2013, ganhou uma versão sua, presenteada pelo próprio fotógrafo responsável pelo seu retrato reproduzido por Daniel. Tudo isso celebra justamente a fisicalidade do objeto que é o disco em uma era tão virtual.

Você certamente já deve ter ouvido falar nos pictures disc, discos de vinil que trazem, normalmente em edições especiais, incríveis impressões coloridas sobre a face do LP, costumeiramente preta. Aniversários de discos históricos ou simplesmente versões personalizadas de álbuns que trazem o rosto do artista em questão ou alguma outra ilustração transformando o LP em uma obra gráfica. O trabalho do artista americano Daniel Edlen é como uma versão personalizada, aprofundada e ainda mais especial desses picture discs – com o rosto dos artistas pintado à mão com tinta branca sobre o LP.

“Cresci na era do CD, ainda bem que meu pai me apresentou ao vinil”, diz Daniel. “Eu amo tudo sobre o vinil, dos ruídos e estalos e o ritual de colocar a agulha e até o cheiro”. Seu trabalho, intitulado Vinyl Art, já foi feito especialmente para empresas como VEVO e para o CEO da Beats Music (aquela dos fones de ouvido), além da fundação do cineasta David Lynch. Até Lou Reed, o ex-líder do Velvet Underground, morto em 2013, ganhou uma versão sua, presenteada pelo próprio fotógrafo responsável pelo seu retrato reproduzido por Daniel. Tudo isso celebra justamente a fisicalidade do objeto que é o disco em uma era tão virtual.

Rosto de Lou Reed reproduzido em vinil / Reprodução/Daniel Edler
Rosto de Lou Reed reproduzido em vinil / Reprodução/Daniel Edler
Rosto de Lou Reed reproduzido em vinil / Reprodução/Daniel Edler
Rosto de Lou Reed reproduzido em vinil / Reprodução/Daniel Edler

“Há algo sobre a tangibilidade da memória, uma coisa física, que nos leva a expandir coleções. Meu trabalho preenche um nicho, e é ainda um objeto bonito para se pendurar na parede”, diz Daniel, que vê em suas pinturas uma forma de agradecer a nomes como Johnny Cash, Bob Dylan, Elvis Presley, Frank Sinatra, Jimi Hendrix, Aretha Franklin, John Coltrane, Ray Charles e Amy Winehouse, entre outros, pela maravilhosa arte que nos ofereceram.

Por conta dos sulcos da face do LP, do material e por não poder desperdiçar a “tela”, o trabalho de Daniel exige técnica específica, onde não há espaço para erros. Tudo, porém, é feito por amor às obras dos homenageados. “Música sempre foi uma parte imensa de nossa identidade, cultural e individual. Dividir esse amor pela música sempre nos permitiu cultivar amizades com desconhecidos e criar nossas comunidades. Assim, nós nos reunimos – e enxergamos a música”.

“Há algo sobre a tangibilidade da memória, uma coisa física, que nos leva a expandir coleções. Meu trabalho preenche um nicho, e é ainda um objeto bonito para se pendurar na parede”, diz Daniel, que vê em suas pinturas uma forma de agradecer a nomes como Johnny Cash, Bob Dylan, Elvis Presley, Frank Sinatra, Jimi Hendrix, Aretha Franklin, John Coltrane, Ray Charles e Amy Winehouse, entre outros, pela maravilhosa arte que nos ofereceram.

Por conta dos sulcos da face do LP, do material e por não poder desperdiçar a “tela”, o trabalho de Daniel exige técnica específica, onde não há espaço para erros. Tudo, porém, é feito por amor às obras dos homenageados. “Música sempre foi uma parte imensa de nossa identidade, cultural e individual. Dividir esse amor pela música sempre nos permitiu cultivar amizades com desconhecidos e criar nossas comunidades. Assim, nós nos reunimos – e enxergamos a música”.

Ilustração de Johnny Cash em vinil / Reprodução/Daniel Edler
Ilustração de Johnny Cash em vinil / Reprodução/Daniel Edler
Ilustração de Johnny Cash em vinil / Reprodução/Daniel Edler
Ilustração de Johnny Cash em vinil / Reprodução/Daniel Edler
Ilustração de Bob Dylan sobre vinil / Reprodução/Daniel Edler
Ilustração de Bob Dylan sobre vinil / Reprodução/Daniel Edler
Ilustração de Bob Dylan sobre vinil / Reprodução/Daniel Edler
Ilustração de Bob Dylan sobre vinil / Reprodução/Daniel Edler
Fotografia de Amy Winehouse reproduzida em vinil / Reprodução/Daniel Edler
Fotografia de Amy Winehouse reproduzida em vinil / Reprodução/Daniel Edler
Fotografia de Amy Winehouse reproduzida em vinil / Reprodução/Daniel Edler
Fotografia de Amy Winehouse reproduzida em vinil / Reprodução/Daniel Edler
Retrato de Frank Zappa reproduzido em vinil / Reprodução/Daniel Edler
Retrato de Frank Zappa reproduzido em vinil / Reprodução/Daniel Edler

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest