As 5 melhores músicas de protesto, segundo Joan Baez
Inspiração

As 5 melhores músicas de protesto, segundo Joan Baez

0Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do Pinterest

Publicidade

Joan Baez está prestes a encerrar sua carreira nos palcos. Depois de finalizar sua série de shows nos EUA no começo de maio, ela vai se despedir depois de uma turnê pela Europa, durante o mês de julho. Com um setlist repleto de mensagens fortes — algumas delas, covers de Bob Dylan —, a cantora de 78 anos, desde a década de 1960 associada a um cancioneiro engajado em causas sociais, contou à revista "Rolling Stone" quais são suas cinco músicas de protesto favoritas. 

BOB DYLAN: As histórias por trás das capas de discos do cantor e poeta

ROQUEIROS FAZENDEIROS: Duo Inspector Cluzo divide a vida entre os palcos e a criação de foie gras orgânico 

‘We Shall Overcome’, na versão de Pete Seeger 

"No fundo do meu coração, eu acredito, nós vamos vencer. Nós vamos andar de mãos dadas algum dia. Porque no fundo do meu coração eu acredito que nós vamos vencer um dia." A música de tradição cristã foi publicada pela primeira vez em 1900, mas sua versão mais famosa está na voz de Pete Seeger (1919-2014). Ao longo dos anos, Joan a apresentou por inúmeras vezes, inclusive para Barack Obama na Casa Branca, em 2010. "Eu não a tenho cantado muito (nos últimos tempos)", diz a cantora. "Eu toco essa em países que vivem sob regimes totalitários", contou.  

Joan Baez, no canto à direita, durante evento realizado na Casa Branca em celebração à música do movimento pelos direitos civis, em 2010 / Foto: Getty Images
Joan Baez, no canto à direita, durante evento realizado na Casa Branca em celebração à música do movimento pelos direitos civis, em 2010 / Foto: Getty Images

‘Blowin' in the Wind’, de Bob Dylan

"A mensagem dela é universal", diz Joan sobre a música de Bob Dylan. "É um hino. Se não fosse, as pessoas não se apegariam a ela." A canção fala sobre as respostas que nós não temos sobre diversos assuntos, mas que se encontram por aí, "voando com o vento". 

‘Imagine’, de John Lennon

O clássico de John Lennon tem sido uma das principais escolhas de Joan nesta turnê. A música, segundo ela, é fácil de cantar e as pessoas adoram. "Ela se tornou indispensável nos meus shows", diz. 

Joan Boaz se apresenta em Roma, na Itália, em agosto de 2018 / Foto: Getty Images
Joan Boaz se apresenta em Roma, na Itália, em agosto de 2018 / Foto: Getty Images

‘The Boxer’, de Simon e Garfunkel

Joan conta que costuma cantar "The Boxer" logo depois de "Imagine". "Ela acaba se tornando uma música de protesto também, com um significado completamente diferente." 

‘Gracias a la Vida’, de Violeta Parra

Joan define "Gracias a la Vida" como sua própria música tema. "É uma música de protesto enorme, e eu a cantei em todos os lugares hispânicos em que as pessoas vivem sob governos ditatoriais", explica. Ela conta que a música nasceu em meio a uma ditadura, no Chile, e em um contexto envolto em assassinatos, desaparecimentos e torturas. "Em vez de cantar sobre raiva, ela cria essa música linda que diz 'obrigada'." 

Publicidade

Background

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest