Beyoncé faz poderoso discurso sobre sexismo na indústria da música e racismo
Inspiração

Beyoncé faz poderoso discurso sobre sexismo na indústria da música e racismo

Beyoncé fez um discurso empoderador para as turmas de formandos de Ensino Médio e Ensino Superior dos EUA no fim de semana. A iniciativa Dear Class of 2020, liderada pelo ex-presidente dos EUA Barack Obama e a ex-primeira-dama Michelle Obama, reuniu artistas e personalidades — como Lady Gaga e o BTS — para falar aos alunos que não puderam ter cerimônias presenciais por conta da pandemia do coronavírus. Em cerca de 10 minutos, Beyoncé falou sobre sexismo, racismo e pela luta por igualdade no mundo, sem deixar de expor os assassinatos de George Floyd, Ahmaud Arbery, Breonna Taylor.

As manifestações contra o racismo e os recentes assassinatos de negros americanos foram endereçados logo no começo da fala. “Parabéns à turma de 2020. Vocês chegaram aqui no meio de uma crise global, de uma pandemia racial e da manifestação mundial de repulsa contra mais uma morte sem sentido de um negro desarmado. E, mesmo assim, vocês conseguiram. Estamos muito orgulhosos de vocês!”

“Obrigada por usarem as vozes de vocês para mostrar ao mundo que vidas pretas importam. As mortes de George Floyd, Ahmaud Arbery, Breonna Taylor e tantos outros deixaram todos nós destruídos. Elas deixaram o país inteiro à procura de respostas. Nós pudemos perceber que nossos corações, quando unidos em favor de algo positivo, podem iniciar as engrenagens da mudança. A verdadeira mudança começa com vocês, com essa nova geração de formandos, de colégios e faculdade, que nós celebramos hoje.”

Beyoncé discorreu sobre como seus pais lhe ensinaram sobre a importância da educação, de acreditar na própria individualidade e de investir em si; apontou que essas foram as bases para ela acreditar que poderia chegar até onde está hoje. “A indústria do entretenimento ainda é muito sexista e liderada por homens. Como mulher, eu não via modelos femininos tendo oportunidades o suficiente em papéis de liderança, que era algo que eu sabia que queria fazer: comandar a minha própria gravadora e empresa de gerenciamento, dirigir meus filmes e produzir minhas turnês; comandar a minha arte, o meu futuro e escrever a minha própria história. São poucas as mulheres negras que têm um lugar à mesa. Então eu tive que chamar as melhores para tomar seu lugar”, disse.

Beyoncé não hesitou ao mostrar as diferenças de oportunidades e tratamento oferecidas a homens e mulheres dentro da indústria da música. Ela chamou de “aterrorizante” o caminho que seguiu para construir sua carreira como artista e, principalmente, como empresária, e que construir sua própria empresa, a Parkwood Entertainment, foi um momento marcante. “Eu sei o quão difícil é se levantar e acreditar em você mesmo”, afirmou.

Beyoncé e sua equipe de dançarinas no Superbowl, em 2016 / Foto: Getty Images
Beyoncé e sua equipe de dançarinas no Superbowl, em 2016 / Foto: Getty Images

“Para as jovens mulheres, nossas futuras líderes, saibam que vocês estão prestes a mudar o mundo. Eu vejo vocês. Vocês são tudo que o mundo precisa. Façam movimentos poderosos. Sejam excelentes. E, para os jovens reis, apoiem-se nas suas vulnerabilidades e redefinam a masculinidade. Liderem com o coração. Há tantas formas diferentes de ser brilhante. Eu acredito em vocês, todo ser humano nasce com um talento. Não deixem o mundo fazer vocês pensarem que precisam ser de uma forma específica para ser brilhantes. Vocês têm que espalhar o dom de vocês pelo mundo de um jeito que é autenticamente de vocês.”

Beyoncé contou sobre a experiência de ver e saber sobre tantos profissionais que tiveram oportunidades de emprego negadas por conta de seu sexo ou cor da pele. “Um dos maiores objetivos da minha arte ao longo de tantos anos foi me dedicar a mostrar para o mundo a beleza do povo preto: nossa história, nossa profundidade e o valor de vidas negras. Eu fiz o meu melhor para derrubar o véu daqueles que se sentem desconfortáveis com a nossa excelência.”

“Para todos vocês que se sentem diferentes. Se você está em um grupo chamado de 'os outros', um grupo que não tem a oportunidade de estar sob holofotes, construa seu próprio palco e os faça te ver. O que te faz diferente é lindo. A tua negritude é linda. A tua compaixão, tua compreensão, tua luta pelas pessoas que são diferentes de você são lindas. Eu espero que vocês continuem mostrando ao mundo que nunca vão deixar de ser vocês mesmos. É a hora de vocês brilharem agora.”

‘Feminista’, diz o telão da ‘On The Run II’, turnê de Beyoncé com o marido, Jay-Z, em 2018 / Foto: Getty Images
‘Feminista’, diz o telão da ‘On The Run II’, turnê de Beyoncé com o marido, Jay-Z, em 2018 / Foto: Getty Images

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest