Bill Withers: 10 canções para homenagear a voz e o imenso talento de um herói negro
Entretenimento

Bill Withers: 10 canções para homenagear a voz e o imenso talento de um herói negro

Bill Withers era uma voz singular no soul e R&B. Magistral e poderosa, mas com inflexões íntimas, fazia o ouvinte sentir as canções como se fossem conversas ao pé de ouvido. Referência de cantor e compositor para diferentes gerações, admirado por pares como Stevie Wonder e referência para talentos mais jovens como Erykah Baduh e Questlove (The Roots), ele morreu aos 81 anos na segunda-feira (30/3) de parada cardíaca.Avesso às badalações do show biz, estava afastado da vida artística há mais de trinta anos.

O músico começou tarde na carreira, aos 33 anos, após servir na Marinha americana. Em 1971, lançou o disco "Just As I Am", que incluía "Ain't No Sunshine", seu maior sucesso. Após lançar mais seis álbuns, ele passou a se dedicar apenas à composição. Ganhou três Grammys e entrou para o Rock and Roll Hall of Fame em 2015, recebendo homenagem de Stevie Wonder. "Resumindo, Stevie Wonder sabe o meu nome e o irmão acabou de me colocar no Hall da Fama", discursou ele, humildemente, na cerimônia. Veja uma lista inspirada na que a "Billboard" publicou com dez lindos momentos de Bill Whiters:

1) 'Ain't No Sunshine' ('Just As I Am', 1971)

O single de estreia, "Ain't No Sunshine" é uma obra-prima que foi pioneira ao formar uma nova geração de R&B, mesclando blues e folk com lindo arranjo de cordas. Tão melancólica e suave que o ouvinte nem percebe ou não se importa — com a repetição incessante e hipnótica do verso "I know" ("eu sei").

2) 'I Can't Write Left-Handed' ('Live at Carnegie Hall', 1973)

Durante dois minutos, Bill fala ao público no Carnegie Hall sobre a guerra do Vietnã, enquanto sua banda emenda alguns acordes. Faz relatos tristes sobre amputações e começa a cantar: "Não consigo escrever com a mão esquerda/ você poderia escrever uma carta para minha mãe?".

3) 'Lovely Day' ('Menagerie', 1977)

Bill cantava com ternura mesmo nos números mais sacudidos, como essa parceria com Skip Scarborough. No final, sustenta uma nota com maestria por 18 segundos.

4) 'Just the Two of Us' (Grover Washington Jr., 'Winelight', 1980)

Bill se soma às melodias do saxofonista Grover Washington Jr. neste clássico das FMs (e também dos motéis dos anos 1980) que até hoje frequenta playlists em todos os formatos. Valeu um Grammy de melhor música de R&B. Will Smith e Eminem tiraram casquinhas dessa canção em outros momentos.

5) 'Harlem' ('Just As I Am', 1971)

A primeira faixa do álbum de estreia de Bill fala das dores e delícias do bairro de Nova York. "Muito quente para dormir, muito quente para comer/ não me importo se morro ou não!", canta, contra-argumentando depois: "você pode realmente balançar e sacudir".

6) 'Grandma's Hands' ('Just As I Am', 1971)

Em apenas dois minutos de devaneio acústico bluesy, Withers relata toda a vida de sua avó materna Lula, com quem costumava ir à igreja cantar e bater palmas. Descrevendo as mãos dela, dá uma aula de síntese poética.

7) 'Lean on Me' ('Still Bill', 1972)

Um hino. Primeiro lugar entre os singles soul e geral (Billboard Hot 100) em 1972. Ela está na lista da Billboard de 500 maiores canções de todos os tempos.

8) 'Use Me' ('Still Bill', 1972)

"Use Me" tem o groove. O apelo do baixo e dos teclados é irresistível, contrabandeando o conteúdo menos "ligeiro" da canção: um relacionamento emocionalmente abusivo, mas sexualmente satisfatório.

9) 'Let Me in Your Life' ('Still Bill', 1972)

O arranjo de cordas reforça o que Bill canta, implorando por amor: "Se ele é a causa de sua tristeza/F ique feliz por ele ter ido embora ... por favor, não me afaste". Uma voz mágica em emoções profundas.

10) 'In the Name of Love' (Ralph MacDonald, 'Universal Rhythm', 1984)

A última marca de Bill no Hot 100 da parada americana veio através desse jazz suave gravado pelo percussionista Ralph MacDonald. A música rendeu a Bill o seu último Grammy por uma de suas próprias gravações, indicada ao melhor desempenho vocal masculino de R&B; o grupo Club Nouveau lhe daria um terceiro três anos depois com uma versão "modernizada" de "Lean on Me", que ganhou como melhor Música R&B.

Tags relacionadas:
EntretenimentoSoulR&BLista

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest