Brasileiro radicado em Lisboa musica versos de Fernando Pessoa, Saramago e Florbela Espanca
Inspiração

Brasileiro radicado em Lisboa musica versos de Fernando Pessoa, Saramago e Florbela Espanca

Gabriel García Márquez certa vez disse que "Cem anos de solidão", sua obra mais famosa, não era nada mais que "um vallenato de 350 páginas". A explicação estava no fato de que a fantasia e as situações irreais tratadas de formas lógica e possível pelo gênero musical colombiano o inspiraram a contar suas histórias. A característica é o que fez o cantor e compositor brasileiro Vinicius Castro considerá-lo um de seus três autores favoritos. Natural de Recife e carioca de coração, Vinicius vive em Lisboa há pouco mais de um ano e desenvolve um projeto que une música e literatura, o terceiro do tipo em sua carreira: ele transforma textos literários, de poesia e prosa, em música.

"Em 2017, eu morava em Nova York e lá fiz um álbum inteiro com os poemas do Patrick Philips ("Broken Machine Project", em homenagem à coleção de poemas ao autor americano). Antes disso, transformei em música o 'Soneto XXV', do (Pablo) Neruda. Agora, em 2018, surgiu esse novo projeto depois que eu participei de um evento organizado pela Casa Fernando Pessoa chamado 'Dias do Desassossego'. A proposta era fazer música em cima da prosa de Fernando Pessoa (1888-1935), o que é algo inédito porque as pessoas normalmente fazem isso com base na poesia", explica o músico.

Satisfeito com o resultado, Vinicius resolveu transformar outros textos de autores lusófonos em música. Ele aproveitou três canções que havia escrito para o evento — "Penso Às Vezes Com Um Agrado", "Há Ondas Na Minha Alma" e "Minha Alma É Uma Orchestra" — no ano passado, e decidiu lançar um vídeo por mês a partir de junho deste ano. Em outubro, publicou a primeira canção não inspirada em um texto de Pessoa, "Volúpia", baseada no soneto de Florbela Espanca (1894-1930). Para a faixa, Vinicius chamou a cantora portuguesa de fado Cristina Clara e assumiu todos os instrumentos na gravação: bateria, baixo, violão e escaleta.

Vinicius diz que o desafio de transformar prosa e poesia em música variam. No caso da primeira, às vezes é complicado organizar o texto em uma métrica que faça sentido. "Funciona quase como uma brincadeira de lego, você tem que encaixar as frases, às vezes pular um parágrafo, sempre tentando manter o significado da letra. É desafiador transformar um texto que tenha três ou quatro páginas em versos e estrofes".

A ligação de Vinicius com a literatura vem desde a infância. Quando começou a se afeiçoar pela música, foi pelos versos, não exatamente pelas melodias. "Eu lia muito durante a adolescência e, por acaso, eu lia muitos livros do Saramago. Eu era aficionado por ele. E eu sempre gostei das músicas mais pelas letras do que pela música em si", conta. Ele em breve vai transformar o poema "Não me peçam razões", do autor de “Ensaio sobre a cegueira”, em música. O escritor português completa a tríade de ouro para o brasileiro.

"Admiro Saramago, pela poesia da prosa; Patrick Philips, pela poesia da realidade e Gabriel García Márquez pela realidade do absurdo", diz. Ele lembra que, já há muitos anos, leu "Cem anos de solidão" com um sentimento diferente, que durou até terminar o livro. "Durante todo o tempo em que fiquei lendo 'Cem anos', eu sempre tive uma valsa na minha cabeça, uma música que não existia. Isso foi muito forte ao longo de todo o texto mas ainda mais intenso no final. Eu não me lembro exatamente como ela era, mas lembro do sentimento. Talvez a escolha pela valsa seja por conta dos ciclos que o livro descreve. Assim como a história, a valsa também é cíclica", reflete. Ele diz que talvez, um dia, vá tentar colocar a música que ficou em sua cabeça no papel. Assim como pensa em dar a Gabo uma chance em suas composições. “Ainda não fiz (uma música inspirada na obra de Gabriel García Márquez), mas quem sabe…”, diz.

Vinicius Castro ao lado da cantora portuguesa Cristina Clara, com quem gravou 'Volúpia' / Foto: Divulgação
Vinicius Castro ao lado da cantora portuguesa Cristina Clara, com quem gravou 'Volúpia' / Foto: Divulgação
Tags relacionadas:
InspiraçãoLivro

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest