BTS, Iron Maiden, Marvin Gaye, Lady Gaga: 18 gravações com vocais isolados fantásticos
Entretenimento

BTS, Iron Maiden, Marvin Gaye, Lady Gaga: 18 gravações com vocais isolados fantásticos

A internet proporciona aos fãs de música um material extenso de versões para ouvir seus artistas favoritos. Imagine, então, ouvir vozes como as de Marvin Gaye, Beyoncé, Bruce Dickinson, do Iron Maiden, ou de Kurt Cobain sem a “interferência” de outros instrumentos. Plataformas como o YouTube oferecem um repertório enorme de versões a capella gravadas pelos próprios músicos originais — nada de covers.

O Reverb separou uma lista com 18 áudios gravados diretamente do microfone de astros do pop, rock, heavy metal e do rap. Tem até o show completo de Lady Gaga no Super Bowl LI, em 2017. Se prepare porque é um caminho sem volta.

BTS cantam 'Boy With Luv" no 'Saturday Night Live' / Foto: Reprodução
BTS cantam 'Boy With Luv" no 'Saturday Night Live' / Foto: Reprodução

‘I Heard It Through The Grapevine’, Marvin Gaye

A voz rasgada de Marvin Gaye (1939-1984) ganha relevos ainda mais impressionantes quando colocada à parte. Ouvir “I Heard It Through The Grapevine” a capella é uma experiência que todas as pessoas que apreciam música deveriam ter ao menos uma vez.

‘The Number Of The Beast’, Iron Maiden

Para fãs de heavy metal, não há nada como ouvir Bruce Dickinson em seus 13 segundos de um grito possuído pelo espírito do rock. Não à toa, “The Number Of The Beast”, lançada em 1982, se tornou um dos maiores sucessos do grupo, consolidando o até então recém contratado Bruce como o nome do Iron Maiden.

‘Boy With Luv’, BTS

Os sete integrantes do BTS precisam ser estudados mesmo. Como é possível dançar tanto e ainda não perder o tom na hora de cantar? Suga, V, Jungkook, Jimin, RM, Jin e J-Hope estão de parabéns.

‘Master Of Puppets’, Metallica

James Hetfield tinha 22 anos quando gravou “Master Of Puppets”, faixa do álbum homônimo de 1986. Gravada em 1985, na Dinamarca, a música traz os vocais ainda jovens e, por assim dizer, crus do roqueiro — o que dá ainda mais força para o som do Metallica.

‘Smells Like Teen Spirit’, Nirvana

A “banda que uniu todas as tribos”, o Nirvana, não seria a mesma sem a voz de Kurt Cobain. E ouvi-la em um áudio a capella de “Smells Like Teen Spirit” é ainda mais especial. Deixa na cabeça o questionamento que outras obras-primas a morte precoce do ídolo do punk rock nos privou.

‘Halo’, Beyoncé

Beyoncé é conhecida pelo seu perfeccionismo. Como disse Ferly Prado, a brasileira que já foi bailarina da cantora, Queen B se dedica “300%” para que tudo fique sem qualquer defeito. Algo que fica claro quando ouvimos a versão a capella de “Halo”, faixa do álbum “I Am… Sasha Fierce”.

‘Shout It Out Loud’, Kiss

“Shout It Out Loud” foi o primeiro número 1 do Kiss e uma das poucas músicas do grupo a ter os vocais de Paul Stanley e Gene Simmons ao mesmo tempo. A energia e atitude de ambos ganham destaque quando colocadas sem os instrumentos nesta versão.

‘Won’t Get Fooled Again’, The Who

“Won’t Get Fooled Again” traz um Roger Daltrey que apenas evolui a cada verso. O melhor de tudo é ouvir o estridente e potente grito aos sete minutos. The Who em sua melhor forma.

‘Bohemian Rhapsody’, Queen

Ouvir os áudios isolados de Freddie Mercury cantando “Parabéns A Você” sem instrumentos já deve ser uma experiência e tanto. Apreciar “Bohemian Rhapsody”, então, nem se fala. Não à toa, é considerado por cientistas como a melhor voz que já passou pela Terra.

‘Don't Look Back in Anger’, Oasis

Escutar a voz de Noel Gallagher cantar “so Sally can wait” sem interferência de outros sons é ainda mais arrepiante do que ouvir a faixa produzida que estamos acostumados. “Don’t Look Back in Anger” — e o Oasis como um todo — são um alento para os fãs de rock britânico.

‘Is This Love’, Bob Marley & The Wailers

O áudio isolado de Bob Marley cantando “Is This Love”, acompanhado das afinadas harmonias das backing vocals, dá paz a qualquer coração aflito. “Is this love, is this love, is this love, is this love that I’m feeling?”. Lindo demais.

‘Gimme Shelter’, Merry Clayton

Merry Clayton foi chamada às pressas, no meio da noite, para gravar “Gimme Shelter” com uma banda que ela não conhecia muito bem: os Rolling Stones. O Reverb já contou essa história (incrível!) aqui. O resultado — com uma especial falha na voz de Clayton, que deixou tudo ainda mais visceral — fez Mick Jagger dar gritos de empolgação na sala de gravação. Grávida, Merry veio a perder o bebê que esperava naquela mesma noite. Muito se questiona sobre se os esforços feitos durante a gravação contribuíram para o aborto espontâneo.

‘Lose Yourself’, Eminem

Quando Eminem apareceu no palco do Dolby Theatre no Oscar 2020, a plateia de astros e estrelas ficou de pé. O rapper estava ali para compensar a ausência na cerimônia de 2003, quando decidiu não se apresentar mesmo tendo sido indicado ao prêmio de melhor canção original por “Lose Yourself”, música do filme “8 Mile — Rua das Ilusões”. A vitória veio, mas o show demorou sete anos para acontecer. A versão só com a voz do rapper é de tirar o fôlego.

‘Under Pressure’, Queen & David Bowie

Uma faixa como “Under Pressure” dispensa qualquer tipo de apresentação. David Bowie, Freddie Mercury e seus companheiros do Queen juntos formam uma parceria bastante difícil de ser superada.

‘Rolling In The Deep’, Adele

“Rolling In The Deep” foi o primeiro single lançado de “21”, o avassalador segundo álbum de Adele. Ao lado de “Someone Like You”, a música foi responsável por colocar a cantora britânica onde ela está hoje, reconhecida como uma importante voz em sua geração. Mesmo que você já tenha ouvido 589 vezes, vale a pena ouvir de novo e se encantar pela força de Adele Adkins.

‘Wouldn’t It Be Nice’, Beach Boys

Se um dia a sua vida estiver complicada, recomendo ouvir “Wouldn’t It Be Nice”. Aliás, mergulhar na discografia dos Beach Boys é sempre um bom remédio para dias angustiantes.

‘Total Eclipse of the Heart’, Bonnie Tyler

Depois de ouvir a versão apenas com os vocais isolados de Rory Dodd e Bonnie Tyler para “Total Eclipse Of The Heart”, você não vai querer ouvir outra. “Turn arooooooound…”

‘Super Bowl LI’, Lady Gaga

Em 2017, Lady Gaga subiu o sarrafo dos shows pop no intervalo do Super Bowl LI. A diva pop “pulou” do topo do NRG Stadium, em Houston, cantou, dançou e não parou por um segundo durante os quase 15 minutos de performance. E tudo isso sem perder uma nota. Reveja o show ouvindo apenas o som captado pelo microfone de Gaga:

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest