Bucket Drummer Masa: baterista japonês viaja o mundo tocando bateria de sucata
Criatividade

Bucket Drummer Masa: baterista japonês viaja o mundo tocando bateria de sucata

A música é tão democrática que basta a vontade de fazê-la acontecer para que ela surja das mais variadas formas, através dos mais inusitados instrumentos. Pelo menos foi assim com o baterista japonês Masa, que adicionou a essa vontade uma boa dose de inspiração, experimentações e persistência. Pronto. Os primeiros passos para a bateria fácil de carregar que ele sempre quis ter estavam dados.

Masamichi Kato nasceu em Kanagawa e ficou conhecido no Japão por defender a ideia de que não é preciso gastar muito dinheiro para fazer música, mostrando isso na prática pelas 47 províncias japonesas por onde passou. Masa começou a carreira em 2012, fazendo performances de rua ainda com uma bateria convencional. Seu grande sonho era sair em turnê, mas não aspirava grandes produções.

“Quando comecei a tocar bucket drums (tambor de balde), eu estava em Melbourne, na Austrália. Eu queria fazer uma performance de rua com bateria de verdade. Mas eu não podia levar minhas coisas, meus sets eram muito pesados ​​e grandes para carregar. E eu não tinha carro. Então, eu mudei meu pensamento. O YouTube me deu um monte de mestres em bucket drums e inspiração”, contou o músico, em entrevista ao Reverb.

Não se importe com o que as pessoas vão dizer. Faça o que quiser. Faça com o que tem, e acredite

Dessa forma, o Masa conheceu outro jeito de viabilizar seu projeto de percussão e de tocar em vários lugares. A bateria montada por ele é totalmente reciclada, composta por diferentes materiais como baldes de plástico, bandejas e pratos de metal. E em cada lugar que o músico se apresenta, um novo processo de reciclagem é feito e uma nova bateria é criada.

Mas, para completar o instrumento dos sonhos, faltava o toque final. Masa criou seu próprio didgeridoo (instrumento de sopro de origem australiana, considerado um dos mais antigos do mundo, tocado por aborígenes).

“Meu amigo que toca didgeridoo me incentivou a criar um desses usando um tubo de PVC. Quando eu decidi seguir meu caminho com a música, esse conselho me deu uma inspiração para tocar bateria e didgeridoo ao mesmo tempo”.

De todo esse processo, nasceu o projeto Bucket Drummer Masa como é hoje. Um artista que mistura gêneros e passeia pelo psicodélico, techno e tradicional, com inspirações vindas desde artistas de rua a nomes como Björk e Shpongle.

Masa levou sua bateria de sucata até os pés do Corcovado, no Rio de Janeiro / Divulgação
Masa levou sua bateria de sucata até os pés do Corcovado, no Rio de Janeiro / Divulgação

De tão eclético, fica até difícil explicar o estilo dele em poucas palavras. Mas o próprio o define melhor que qualquer um: “Combinação sem fronteira. Exemplos: tambor e didgeridoo, tribal e industrial, analógico e digital, contemporâneo e tradicional. Eu amo muitos tipos de música e adoro combiná-los para criar algo novo”.

Ele, inclusive aproveita as viagens que faz para trocar experiências com outros músicos. E já veio fazer isso aqui no Brasil, em janeiro, durante uma miniturnê promovida pela Fundação Japão. Ele se apresentou na Japan House, em São Paulo, e no festival de cultura japonesa Rio Matsuri, no Rio de Janeiro, onde participou de um encontro com jovens de comunidades cariocas que fazem parte do projeto Funk Verde, iniciativa que também utiliza material reciclado em aulas de música.

Claro que também aproveitamos e mostramos a ele o trabalho do Joelsom Batera, jovem de 17 anos que viu nos materiais recicláveis a possibilidade de improvisar sua própria bateria, a exemplo do músico japonês. Questionado sobre o que diria a Joelsom caso o encontrasse, Masa foi enfático:

“Continue. O que você faz é um ótimo trabalho. Não se importe com o que as pessoas vão dizer. Faça o que quiser. Faça com o que tem, e acredite”.

Além das apresentações em programas de TV e festivais, Masa faz questão de continuar tocando nas ruas de Tóquio, mantendo uma postura de defesa da música acessível e de causas ambientais. E não pretende parar tão cedo, já que em suas próprias palavras daqui pra frente ele vai “Viajar ao redor do mundo para tocar e compartilhar minha energia e amor para todos”.

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest