Canção do musical 'Os Miseráveis' se transforma em hino de protesto para os manifestantes em Hong Kong
Inspiração

Canção do musical 'Os Miseráveis' se transforma em hino de protesto para os manifestantes em Hong Kong

Uma faixa do musical "Os Miseráveis", baseado no romance do escritor francês Victor Hugo (1802-1885) lançado em 1862, tem inspirado as manifestações recentes, iniciadas em junho de 2019, em Hong Kong, território autônomo na China socialista. "Do You Hear the People Sing?", versão de "À La Volonté Du Peuple", dos franceses Claude-Michel Schönberg e Alain Boublil, adaptada para o inglês por Herbert Kretzmer, retrata as revoltas em Paris em 1832. A canção, cantada por grande parte do elenco no encerramento do musical, foi retirada dos serviços de streaming chineses por seu conteúdo "conspiratório". Mas, em Hong Kong, as pessoas podem escutá-la livremente, enquanto lutam pela abolição do projeto de lei de extradição, proposto pelo governo do país.

Chineses de Hong Kong realizaram manifestações durante todo o verão. Algumas foram pacíficas. Já outras sofreram violentas repressões da polícia local. A música de "Os Miseráveis", entretanto, embalou todas as marchas dos protestos, como contou a repórter Zamira Rahim, ao jornal "Independent".

"Era possível escutar 'Do You Hear the People Sing?' nas ruas de Hong Kong e ao longo da avenida Avenue of Stars, inspirada na calçada da fama de Hollywood, em Los Angeles", escreveu a jornalista. "Quando os manifestantes bloquearam o aeroporto de Hong Kong, em agosto, foi essa música que os manifestantes cantaram, enquanto ficaram sentados de pernas cruzadas no chão."

Para os fãs do musical, a escolha de "Do You Hear the People Sing?" pode parecer estranha, já que ela representa um hino de raiva e esperança vindo do lado "perdedor" da história, o dos trabalhadores e miseráveis de Paris.

"A letra original em francês fala sobre a vontade do povo. Para mim, ela fala sobre orgulho e resistência. Então, para adaptá-la, pensei na ideia de liberdade e democracia", declarou Herbert Kretzmer, ao "Daily Mail". Em depoimento enviado ao jornal, ele maniestou sua solidariedade.

"Nunca imaginei que essa canção fosse virar um hino de manifestantes na Venezuela, em Taiwan, na Turquia e em Hong Kong. Aos 93 anos, só posso estar com eles em espírito — mas estou cantando com eles também."

"Do you hear the people sing?/ Singing the song of angry men/ It is the music of a people/ who will not be slaves again…" (Você é capaz de ouvir as pessoas cantando? Cantando uma música sobre homens irritados? Essa música é sobre pessoas que não se tornarão escravos novamente), diz a letra de "Do You Hear the People Sing?". Portanto, fora do contexto do musical, a faixa faz todo sentido em ser usada, sim.

Mulher protesta em Hong Kong, no dia 2 de setembro de 2019/Getty Images
Mulher protesta em Hong Kong, no dia 2 de setembro de 2019/Getty Images

Não é a primeira vez que "Do You Hear the People Sing?" é cantada no contexto de manifestações. Ela foi utilizada também em 2013, durante protestos na Turquia. Também cantaram em Taiwan, no mesmo ano, e na Ucrânia, durante marchas nacionalistas que ficaram conhecidas como Euromaidan, entre 2013 e 2014. Em Hong Kong, durante a Umbrella Revolution, manifestações pró-democracia, a canção de "Os Miseráveis" também foi usada.

"Quando as pessoas me perguntam porque essa canção continua tão popular, eu respondo que ela fala sobre os principais problemas da atualidade, como a injustiça", conta Herbert. "Vocês podem ouvir as pessoas cantarem em Hong Kong? Elas estão protestando pelos seus direitos."

Tags relacionadas:
InspiraçãoMusicalProtesto

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest