Clipe dos DJs Chris Liebing e Charlotte de Witte dirigido por brasileiro mostra distopia com LGBTQs
Entretenimento

Clipe dos DJs Chris Liebing e Charlotte de Witte dirigido por brasileiro mostra distopia com LGBTQs

Vencedor de três prêmios no Festival Internacional de Criatividade Cannes Lions 2019, o audiovisual do Brasil continua, com vigor, a trazer inovações estéticas e olhares singulares de reflexão sobre as mais diversas questões contemporâneas. Esse é o caso do clipe de "Liquid Slow", gravado em São Paulo e dirigido pelo diretor brasileiro Fernando Nogari, 33, para a música feita em colaboração entre o DJ alemão Chris Liebing, 50, e a DJ belga Charlotte de Witte, 27. Representante da música eletrônica internacional, a faixa funciona como pano de fundo para uma distopia que gira em torno da exaustão, da dança e, ainda assim, do amor.

Com protagonistas LGBTQ que lutam para sobreviver a um sistema desumano, o videoclipe produzido pela Iconoclast ilustra opressões estruturais por meio de metáforas e sequências em constante conversa com os sons da faixa de Liebing e de Witte. "A ideia surgiu a partir de um briefing (direcionamento, em tradução livre) dos DJs", conta o diretor de cena Fernando Nogari, da Iconoclast, em entrevista ao Reverb. "Por ser um clipe de música eletrônica, sem a presença dos artistas, ele precisava de uma narrativa potente que sustentasse os quase sete minutos de trilha", explica.

No clipe de "Liquid Slow", a crítica à exaustão promovida por moldes capitalistas é mostrada por meio de uma competição de dança / Foto: Erik Henriksson
No clipe de "Liquid Slow", a crítica à exaustão promovida por moldes capitalistas é mostrada por meio de uma competição de dança / Foto: Erik Henriksson

Para tirar do imaginário o projeto inspirado nas longas maratonas de dança dos anos 1930 — famosas durante o período da Grande Depressão americana por oferecer prêmios em dinheiro aos casais que resistissem a mais tempo em pé e em movimento —, Nogari encontrou dois "não-atores", como chama, para a interpretação dos personagens. "Acredito que um rosto conta uma história", diz. "A Juana tem uma potência magnética em cena, além de ser uma coreógrafa extremamente talentosa. O Wellington também foi uma descoberta; sua disponibilidade em embarcar em uma produção como esta, sem nunca ter filmado nada antes, me cativou."

Acredito que um rosto conta uma história

"Sem dúvida há uma urgência em equilibrar o audiovisual no Brasil, não só na frente das câmeras como nas equipes técnicas e criativas", responde Nogari, quando perguntado se houve intenção de representar grupos minoritários no vídeo. "Meu papel como diretor é agir ativamente para atingir este equilíbrio."

Para além do lado audiovisual de "Liquid Slow", Charlotte de Witte foi considerada a melhor DJ de techno de 2019 no DJ Awards realizado em setembro deste ano, na Espanha. Fois a primeira mulher a vencer na categoria em 22 edições da premiação.

Fernando Nogari, diretor do clipe de "Liquid Slow" / Foto: Divulgação
Fernando Nogari, diretor do clipe de "Liquid Slow" / Foto: Divulgação

Assista ao clipe de 'Liquid Slow':

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest