Dave Matthews Band: 9 músicas que refletem sobre a vida no mundo moderno
Heineken Rock

Dave Matthews Band: 9 músicas que refletem sobre a vida no mundo moderno

Há quase 30 anos na estrada, a Dave Matthews Band volta ao Brasil em setembro para um show no Rock in Rio. A banda sobe ao palco no dia 29 e se junta ao Bon Jovi em um dia de bandas nomeadas pelo seu líder. O grupo liderado pelo sul-africano Dave Matthews promete elevar o nível com a sonoridade de guitarras, saxofones e gaitas marcantes de sua mistura de rock, jazz, funk e pop.

Em suas letras, o grupo costuma passar mensagens que refletem sobre os percalços da sociedade e as dificuldades do mundo moderno. Listamos algumas delas para você já ir se preparando para um dia que promete ser histórico na Cidade do Rock.

‘Don’t Drink The Water’

"Sem lugar para nós dois, apenas para mim", diz um dos versos de "Don't Drink The Water", música que aborda a opressão a qual foram subjugados os nativos americanos durante a chegada dos europeus. "Você acha que tem o direito de ficar? Então fique e eu vou enterrá-lo". Também diz-se que a música, que conta com backing vocals de Alanis Morissette, também se refere ao apartheid na África do Sul.

‘Samurai Cop (Oh Joy Begin)’

Lançada em 2016, “Samurai Cop” faz uma reflexão sobre a inocência da juventude e os descaminhos da vida. "Não vamos nos esquecer dos primeiros dias. Lembrem-se que todos começamos iguais. Nós nos perdemos do caminho do medo e da dor", canta Dave.

‘Ants Marching’

"Ants Marching" (formigas marchando, em tradução livre) usa uma metáfora para questionar sobre a vida cotidiana que levamos. A música reflete sobre a monotonia com que a sociedade leva suas vidas, como formigas que andam umas atrás das outras, fazendo sempre as mesmas coisas e do mesmo jeito. É um alerta para que não fiquemos escravos do cotidiano.

‘The Dreaming Tree’

Com quase nove minutos de duração, “The Dreaming Tree”, do aclamado álbum “Before These Crowded Streets”, conta a história de alguém que vê as construções da cidade moderna tomarem conta de lugares que formaram memórias e onde antes a natureza reinava absoluta. "O velho homem me disse: muito antes dessas ruas cheias, aqui ficava a minha árvore dos sonhos. Agora o progresso leva embora o que antes demoramos anos para encontrar”. Mais uma vez, uma crítica à transformação dos espaços em nome do “desenvolvimento”.

‘Cry Freedom’

"O futuro não é lugar para os seus dias melhores". A frase vazia de esperança é de "Cry Freedom", outra faixa em que Dave Matthews aborda as questões do apartheid na África do Sul, seu país natal.

‘Seek Up’

“Seek Up” reflete sobre a tendência humana de buscar satisfação em bens materiais em detrimento de elementos que preencham a alma e o coração. A música do álbum “Remember Two Things” é sobre procurar aquilo que realmente tem valor e importa na vida. “Esqueça os motivos e as traições que estamos buscando. Esqueça a noção de que nossas emoções podem ser varridas. Esqueça de se sentir culpado, somos todos inocentes. Em breve todos teremos nossas vidas varridas”.

‘Big Eyed Fish’

Basta ouvir "Big Eyed Fish" com mais atenção para entender que a música fala sobre aguentar as pressões e o peso de um mundo cheio de padrões e regras, sejam elas impostas no comportamento social ou de ordem física. O homem, o peixe e o macaco são usados como metáforas de personagens que tentaram transformar suas realidades, mas acabaram sucumbindo.

‘Satellite’

“Satellite” saiu em 1995, muito antes da era dos iPhones e 4G. Mesmo assim, já naquele tempo, a letra de Dave discorria sobre os excessos da era digital. “Tudo que é bom precisa ser substituído”, canta em um dos versos. É uma análise sobre a liquidez dos tempos modernos em que qualquer objeto, sensação ou emoção pode ser rapidamente trocada, mesmo que ainda esteja novo ou ainda seja útil. A música tem um quê da paranoia observada por George Orwell em “1984”.

‘Jimi Thing’

"Jimi Thing" fala sobre estados alterados de consciência que surgem principalmente após o uso de substâncias químicas e os perigos desse consumo. A faixa, que faz referência a Jimi Hendrix no título, fala sobre a necessidade de se entorpecer para escapar da realidade. "O que eu quero é o que eu não tenho. O que eu preciso está ao meu redor".

O que é rock pra você?
Para nós, rock não é um gênero musical, é atitude! Um comportamento, um jeito diferente de ver as coisas. Com um olhar rock da vida, o Reverb se uniu à Heineken para entregar o tipo de conteúdo que, só de ler, já conseguimos ouvir, cantar e dançar. Afinal, o rock não vem do palco, vem de você.

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest