Dave Mustaine, do Megadeth, recebe apoio do 'velho irmão' James Hetfield e dicas de Bruce Dickinson: 'Não vou deixar o câncer me vencer'
Inspiração

Dave Mustaine, do Megadeth, recebe apoio do 'velho irmão' James Hetfield e dicas de Bruce Dickinson: 'Não vou deixar o câncer me vencer'

Dave Mustaine, líder do Megadeth, terminou o tratamento contra um câncer na garganta, como já contamos aqui no Reverb. Diagnosticado com a doença em maio, o cantor e guitarrista evitou ao máximo expor sua condição nas redes sociais e em entrevistas à imprensa. Agora, em novembro, ele decidiu quebrar o silêncio e conversou com a "Rolling Stone" sobre a batalha que o afastou dos palcos e da música.

Segundo Dave, apesar do tratamento ter chegado ao fim, ainda não é possível afirmar que ele esteja curado, nem que a doença esteja em fase de "remissão", quando não há mais sinais de atividade cancerígena. Ainda assim, ele está positivo a respeito de seu quadro atual e espera voltar aos projetos de sua banda — incluindo o desenvolvimento de um novo disco — durante o inverno americano, iniciado em dezembro.

"Eu estou do outro lado da maior parte deste tratamento, e me sinto muito forte. Após a radioterapia, o cara disse que todos os meus resultados eram ótimos. 'Você parece estar no estágio 1 e deveria estar no estágio 3 agora', me disseram. E depois o oncologista falou a mesma coisa: 'Você parece muito forte'. Então continuamos com o processo", declarou ele.

Em outro trecho da entrevista, Dave contou como descobriu o câncer na garganta: a partir de uma forte sensibilidade nos dentes. "Eles são sensíveis assim porque sou ruivo. Tinha feito um tratamento quando estava na turnê 'Experience Hendrix' e ainda sentia dor. Então o dentista me sugeriu que procurasse um médico", revelou.

"Fui ao médico e ele era um babaca. Me encaminhou para um especialista em orelha, nariz e garganta. Fiquei muito chateado e voltei para a turnê. Procurei um clínico geral para ver minha garganta. Ele me indicou que fizesse um check-up na área e levasse aos exames a um otorrinolaringologista para análise. Ele demorou duas semanas para falar o que estava havendo. Pensei: 'Não pode ser bom'. E, de fato, não foi. Eu estava com câncer."

Dave Mustaine e James Hetfield, do Metallica, posam durante um evento em São Francisco, na Califórnia/Getty Images
Dave Mustaine e James Hetfield, do Metallica, posam durante um evento em São Francisco, na Califórnia/Getty Images

Além dos parceiros de banda e de sua família, um dos amigos que mais ajudaram Dave durante seu tratamento e recuperação foi James Hetfield. Nos anos 1980, os dois tocaram juntos no Metallica, mas o líder do Megadeth foi dispensado da banda pelo uso abusivo de drogas e comportamento inadequado. Mesmo com os problemas do passado, isso não impediu que os dois mantivessem uma boa relação.

"Ganhei muita coisa de gente que eu não esperava e nem sabia que se importavam. Mais notável ainda, eu recebi uma mensagem do meu velho irmão, James Hetfield, e fiquei muito, muito feliz de ouvir algo dele", comentou Dave. "Ao contrário do que muita gente diz e ao contrário do nosso histórico, eu amo o James, e sei que o James me ama e se importa comigo. Você pode ver isso quando o momento da verdade chega e eu conto ao mundo que tenho uma doença séria. Quem vem ficar do meu lado? James."

Ao fim, o músico explicou que os médicos não conseguiram descobrir a causa do câncer e, novamente otimista, disse que só ficará 100% satisfeito quando obtiver sucesso. "Ou seja, quando conseguir a vitória da doença", completou Dave, que manteve-se apegado à fé durante todo o tratamento. "Rezei muito. Não obrigo ninguém a fazer o mesmo. Jamais faria isso. Mas acredito que me recuperei tão rápido com causa da minha fé."

Em breve, quando voltar à estrada com sua banda, Dave será obrigado a mudar sua rotina. Mas ele não reclamou. "Sei que haverá mudanças. Espero que os fãs sejam compreensivos, pois se precisar mudar algo, será para continuar meu trabalho da melhor forma possível", argumentou ele, que tomou dicas sobre a recuperação da voz com Bruce Dickinson, do Iron Maiden, um sobrevivente do câncer na língua. "Eu ainda não voltei a cantar, e Bruce me falou que só cantou depois de completar de três a seis meses de descanso. Confirmou que houve dificuldades, mas depois sua voz retornou mais forte do que nunca", finalizou.

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest