Dia dos Namorados: as 12 melhores canções românticas para cantar a dois
Dia dos Namorados

Dia dos Namorados: as 12 melhores canções românticas para cantar a dois

Cantar a dois com quem a gente gosta é muito amor. Mesmo entre desafinados ou desprovidos de bom ouvido musical, já apontava Newton Mendonça (1927-1960), parceiro de Tom Jobim (1927-1994) naquele famoso clássico da bossa nova.

Selecionamos aqui 12 canções perfeitas, de vários gêneros e épocas diferentes, para entoar com quem se ama. Algumas são fáceis; outras, bem difíceis. Mas vale a pena aprender e se aventurar por todas elas. Mais que nunca, é preciso cantar. E amar.

Diana Ross e Marvin Gaye gravaram juntos em 1973 o clássico 'You Are Everything' (Getty/Redferns)
Diana Ross e Marvin Gaye gravaram juntos em 1973 o clássico 'You Are Everything' (Getty/Redferns)

1) ‘Pela Luz Dos Olhos Teus’, Tom Jobim & Miúcha

Esta valsinha é uma das canções mais fofas de Vinicius de Moraes (1913-1980), autor da letra e da música, terreno perfeito para Miúcha (1937-2018), cantora com muito menos prestígio que merecia, deitar e rolar com muito charme. Para cantar com os olhos vidrados no seu amor.

2) ‘I Got You, Babe’, Sonny & Cher

O casal deixou de ser casal em 1975, mas a marca na história pop ficou para sempre. Sempre revisitada e reinventada mesmo em ritmos diferentes (a versão reggae do UB40 com Chrissie Hynde, do Pretenders, é a mais conhecida por algumas gerações), a música lançada em 1965 é um fenômeno de longevidade comparável à própria Cher: ternura hippie que não desbota nunca.

3) ‘Ain’t No Mountain High’, Marvin Gaye & Tammy Terrell

A versão de Marvin Gaye e Tammi Terrel é de 1967, veio antes da gravação também famosa de Diana Ross. E é química pura, com a vantagem de ser também superdançante. Taí uma música tão perfeita romântica que até de berço ela vem de um casal: Ashford & Simpson — Nick Ashford (1941-2011) e Valerie Simpson —, duo/casal de compositores e produtores responsáveis por vários outros hits da Motown. Curiosidade: como conta Valerie, autora da letra, a inspiração veio não de montanhas, mas dos imensos arranha-céus vistos da parte oeste do Central Park, em Nova York.

Impossível chegar perto do que Marvin e Tammi fazem aqui, mas, quando se ama, o céu é o limite, né?

4) ‘A Whole New World’, Brad Kane & Lea Valonga

A música tema do desenho ‘Alladin’, composta por Alan Menken e Tim Rice, é a única da Disney a ganhar Canção do Ano no Grammy (faturou também também o Oscar de Melhor Canção Original). Peabo Bryson e Regina Belle gravaram para a trilha, mas a versão tocada no filme, pelos atores que dublam Alladin e Jasmine, tem muito mais vida: Brad Kane, que hoje é roteirista e produtor de seriados, e Lea Valonga, filipina que há décadas é estrela da Broadway, inspiram muito a gente.

5) ‘Preciso Dizer Que Te Amo’, Cazuza e Bebel Gilberto

A música de Dé, Bebel e Cazuza é lindamente romântica, apesar de ser, essencialmente uma ação entre amigos. Foi gravada por Bebel, antes de usar artisticamente o "sobrenome" Gilberto, e fez mais sucesso com Marina. Mas a doçura desta versão intimista tem mais a ver com o que você e seu amor podem fazer: sim, tentem fazer isso em casa.

6) ‘Cheek To Cheek’, Ella Fitzgerald & Louis Armstrong

Você pode ter conhecido esta joia da canção americana na versão de Tony Bennett e Lady Gaga. Mas ela vem de longe, muito longe: foi composta em 1935, pelo bruxo Irving Berlin (1888-1989), para Fred Astaire (1899-1987) e Ginger Rogers sapatearem na cara da sociedade no clássico musical 'O Picolino'. De todas as milhares de gravações posteriores, porém, não se tira páreo para o que Ella Fitzgerald (1917-1996) e Louis Armstrong (1901-1971) fazem com o acompanhamento do piano de Oscar Peterson (1925-2007). Um clima maravilhoso, tudo que você precisa para você embalar e se arriscar por esta doce melodia.

7) ‘Yes, I’m Ready’, Tery Desario & KC

Pelo nome, pouquíssimos (e mais idosos) irão se lembrar. Mas década após década, essa adorável baladinha está sempre chegando em flashbacks de rádio e playlists retrô de supermercado. Já era nostalgia quando saiu, em 1979: a versão original, de Barbara Mason, é de 1965.

KC, claro, é ele, o band leader da usina de força KC and the Sunshine Band; Teri era uma colega de escola dele que, apadrinhada, arranjou contrato com a Casablanca Records, selo forte da era disco. Essa música só não foi primeiro lugar nos EUA por causa do fenômeno “Crazy Little Thing Called Love”, do Queen.

8) ‘Lucky’, Jason Mraz e Colbie Caillat

Achou que esta lista teria apenas velharias e clássicos... Pois bem, aqui vai uma pérola do século 21... Um fofíssimo dueto entre dois cantores que, até onde se sabem, nunca tiveram nada. Mas a canção fala suavemente sobre a sorte de ter em seu amor também a melhor amizade, e estar feliz por voltar pra casa sempre.

9) ‘Somethin’ Stupid’, Nancy Sinatra & Frank Sinatra

A gravação mais famosa pode ser entre pai e filha, mas é uma canção de amor, sobre jogos de amor, talvez. E dá o template para um diálogo saboroso de muitas brincadeiras em dueto. Curiosidade: Frank Sinatra gravou a faixa no mesmo dia em que terminou as sessões com Tom Jobim. O maestro Claus Ogerman participou também. A canção original era folk, de Carson Parks e Gaile Foote. O produtor brasileiro Kassin fez em 2018 uma releitura interessante da versão de “Coisinha Estúpida” com Clarice Falcão.

10) ‘Don’t Go Breaking My Heart’, Elton John & Kiki Dee

Do ano de 1976... Romantismo com balanço em um daqueles hits sem idade. Composto meio de zoeira por Elton John com seu parceiro Bernie Taupin, brincando com a fórmula Motown dos clássicos duetos de Marvin Gaye e Tammi Terrell, acabou rendendo muito sucesso e até um prêmio de prestígio, o Ivor Novelllo.

Um canção tão divertida que, em meio a inúmeras performances, uma das mais famosas foi a de Elton com Miss Piggy, do "Muppet Show".

11) ‘Dueto’, Nara Leão e Chico Buarque

Um canção não tão famosa dentro da coleção de tesouros que é o cancioneiro de Chico Buarque, mas que ele mesmo tratou de valorizar, regravando em seu último álbum, com a neta Clara. Incrível que uma obra-prima desse quilate tenha sido composta despretensiosamente (o uso do título genérico aponta para isso) para a peça "O Rei de Ramos", de Dias Gomes, e possivelmente se perdesse pelos anos 1970. Um deslumbre de romantismo, à feição para a gente tentar o dueto dos nossos sonhos.

12) ‘True Love’, Bing Crosby & Grace Kelly

Um clássico do gigante da canção americana, Cole Porter, e apresentada por Bing Crosby e Grace Kelly (sim, ela canta um bocadinho, mais pro final). O supra-sumo da elegância, pra inspirar você e seu amor, assim como inspirou George Harrison, Elton John, Nancy Sinatra e tantos outros a se arriscar pela linda melodia.

Bônus: ‘You Are Everything’, Diana Ross & Marvin Gaye

A faixa de destaque do incrível álbum “Diana & Marvin”, de 1973, talvez o mais clássico dos álbuns de duetos românticos. Impossível fazer uma lista dessas sem incluir Diana Ross, a mãe de todas as divas soul. E aqui a gente preferiu fugir da obviedade de “Endless Love”. Mas se você quiser arriscar com o seu amor, também está valendo, claro.

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest