Diogo Piçarra, cantor português conhecido no Brasil por dueto com Anavitória, mostra maturidade no terceiro álbum
Entretenimento

Diogo Piçarra, cantor português conhecido no Brasil por dueto com Anavitória, mostra maturidade no terceiro álbum

Conhecido deste lado do Atlântico pela gravação da música "Trevo (Tu)" ao lado da dupla goiana Anavitória, o cantor português Diogo Piçarra acaba de lançar seu terceiro álbum, intitulado "South Side Boy". O trabalho, já disponível em todas as plataformas, tem 10 faixas de autoria própria.

Diogo Piçarra: influência do rock na adolescência e opção pela sonoridade eletrônica nos discos. Divulgação
Diogo Piçarra: influência do rock na adolescência e opção pela sonoridade eletrônica nos discos. Divulgação

O português conta que começou a se interessar por música aos 16 anos, época em que ouvia basicamente rock, como Blink-182, Green Day e Linkin Park. A banda do falecido Chester Bennington, aliás, foi uma das mais importantes para ele, que estampa na perna duas tatuagens, uma de uma cena de show e outra do rosto do vocalista, feita logo após sua morte em julho de 2017. "Infelizmente nunca consegui ver a banda ao vivo. Foi um som que acompanhou minha adolescência e que mudou minha vida e a maneira de ver a música", diz Piçarra.

As aulas de guitarra e vídeos no Youtube foram o início informal de sua carreira. "Quando formei uma banda com amigos da escola, comecei a compor e cantar também. Isso foi até 2010 e, dois anos depois, participei e venci o programa 'Ídolos'", diz. Como prêmios, ele ganhou uma bolsa na London Music School e um contrato para o primeiro disco, que veio em 2015.

"South Side Boy" dá um passo a mais na maturidade impressionante de um artista com pouco mais de quatro anos de carreira profissional. Hoje ele compõe, canta, toca vários instrumentos e é produtor. O novo disco foi praticamente todo produzido por ele, que prossegue com a pegada eletrônica, porém com tons mais introspectivos e sombrios. "É a primeira vez que posso dizer que é um trabalho resultante do meu esforço, além de ser um disco de autor, senti que já tinha segurança para fazer a produção", diz Piçarra, que tem 29 anos.

O álbum foi gravado na cidade do Porto e tem participações da cantora Carolina Deslandes, do rapper e produtor Lhast, de Charlie Beats e do DJ e produtor Holly. Lançado em Portugal dia 29 de novembro, o disco alcançou o primeiro lugar no top de vendas no país esta semana.

Com exceção da faixa-título e de "Água Turva", as canções têm títulos de apenas uma palavra: "Noites", "Coração", "Diferente", "Escuro", "Sul", "Anjos", Cedo" e "Normal". Uma característica que já aparecia nos anteriores "Espelho" (que ele considera autobiográfico) e "do=s" (que ganhou uma edição exclusiva para o público brasileiro incluindo "Trevo (Tu)"). "Eu estudei linguística e sei o quanto a palavra tem poder. Por isso gosto de usar apenas uma que carregue todo o significado da canção", explica Piçarro.

Aliás, a ligação do artista com as palavras o fez mergulhar num projeto superinspirado de literatura para jovens, a "Coleção Reinventar por Diogo Piçarra". Em 2016 ele lançou "Diogo Piçarra em Pessoa", em que dá um ar mais contemporâneo às poesias do lisboeta e, em 2018, "Os Tvgas", baseado em "Os Lusíadas", de Camões. "É um lado do Diogo universitário, que nunca havia colocado em prática", diz ele, que percorre várias escolas conversando com crianças e jovens sobre a importância da literatura. "Às vezes vou com o projeto a cidades onde nunca toquei", comenta o artista.

Capa do livro de Diogo Piçarra. Reprodução
Capa do livro de Diogo Piçarra. Reprodução

Quem ouve o disco novo de Piçarra, com fortes elementos eletrônicos, estranha sua aproximação com uma dupla folk — ou melhor, fofolk — como Anavitória. Mas ele faz questão de lembrar que seu primeiro trabalho também tinha canções folk fofas. "Não consigo ter um estilo só. Eu até investi mais no eletrônico, mas tenho influências pop também, por exemplo", afirma. Sobre a gravação com as meninas em 2017, ele diz que foi um encontro perfeito. "Elas queriam gravar com um artista português e eu, com um brasileiro. pronto!", resume. Mas cada qual gravou em sua terra, só se encontrando depois para fazer o videoclipe.

"Trevo (Tu)" foi um verdadeiro sucesso, tanto que recebeu o Grammy Latino de “Melhor Música em Língua Portuguesa” e o disco de diamante pela venda de 300 mil cópias do single — a canção que foi uma das mais tocadas nas rádios de Portugal no ano passado.

Piçarra esteve no Brasil no início de 2019 para receber ao lado da dupla o prêmio da Universal Music e também participar do show da turnê "O Tempo É Agora" na Fundição Progresso. Ele ainda aproveitou para compor com alguns parceiros. Com Day, Carol Biazin, Dan e da dupla Pedro Dash e Marcelinho Ferraz, por exemplo, fez a música “Complicado”, interpretada por Anitta e Vitão.

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest