Disco music: podemos festejar seus 50 anos? Conheça o marco zero do gênero e outros 'elos perdidos'
Entretenimento

Disco music: podemos festejar seus 50 anos? Conheça o marco zero do gênero e outros 'elos perdidos'

Em 1969, quase ninguém mais dava bola para os Radiants, uma banda de soul e doo wop de Chicago que havia conseguido um punhado de hits alguns anos antes, seguindo as pegadas de outro grupo The Dells. Foi então que eles lançaram uma faixa intitulada "Choo Choo", híbrido de rhythm & blues, guitarra com wha-wha, orquestração e ritmo levemente funky. Nada aconteceu. Mas, sem querer, eles criaram uma das primeiras canções com o DNA da disco music - ainda que "Choo Choo" tivesse um som menos polido, mais parecido com as músicas dos anos 1960, e sequer fosse incluída no gênero — que só foi batizado, de fato, em 1974, quando a "Billboard" criou uma parada específica com essa nomenclatura. Estaria, então a disco music, comemorando 50 anos? É o que lança para discussão um artigo da National Public Radio, dos Estados Unidos.

"Choo Choo" foi escrita e produzida por Bobby Miller, ex-funcionário do selo Motown que trabalhou com o ex-vocalista dos Temptatons, Eddie Kendricks, na faixa "Date With The Rain", de 1972. Na bateria de "Choo Choo", estava um músico de estúdio da Chess, Maurice White, que, em 1969, se tornaria o líder da banda disco Earth, Wind & Fire.

Paul Zoetemeijer/Unsplash
Paul Zoetemeijer/Unsplash

O artigo da NPR enumera diversas investigações sobre as origens da disco music. Em "The Disco Files 1973-78: New York's Underground, Week by Week", o autor Vince Aletti revela que os DJs das casas noturnas no início dos anos 1970 não eram exatamente os caras que tocavam disco. Em outro livro que investigou o gênero, "Turn the Beat Around: The Secret History of Disco", o crítico Peter Shapiro apontou, surpreendentemente, o Led Zeppelin como marco na cena daquela década, bem como a boate Loft, em Nova York, onde David Mancuso realizou a primeira festa underground.

No livro, "Last Night a DJ Saved My Life", de Bill Brewster e Frank Broughton, os autores observaram como os discos do guitarrista mexicano Carlos Santana bombavam nas discotecas que se prezassem. Já para Alice Echols, autora de "Hot Stuff", a palavra disco music não era utilizada para se referir ao novo gênero musical até 1974. Antes, o termo mais usual era "party music" ou "discothèque rock".

Para ela, aliás, outra canção de 1969 que tem um forte DNA disco é "Cloud Nine", dos Temptations. Na opinião de Tim Lawrence, pesquisador que escreveu "Love Saves the Day", não importa muito creditar a apenas uma canção o título de inventora da disco music. Mas sim apontar qual característica se tornou determinante para classificá-las nesse gênero. "O uso da batida 4/4", indica ele em entrevista à rádio "NPR". Mas Tim dá seu palpite: a faixa de 1973, "The Love I Lost", de Harold Melvin & the Blue Notes, ou a inovadora e avassaladora "Soul Makossa", do camaronês Manu Dibango (1972).

''Soul Makossa' se tornou um hit desde que David Mancuso começou a tocá-la, no Loft", explicou Tim. "Outros DJs começaram a usá-la e as pessoas começaram a comprar o disco de 'Soul Makossa'. Dessa forma, ela se tornou a primeira música do gênero a entrar no Hot 100 da Billboard. Não houve ajuda de nenhuma rádio nem nada. Foi orgânico."

O pesquisador Bill Brewster escolheu a faixa "Girl You Need a Change of Mind" (s bailes underground da cena gay de Nova York. 1972), de Eddie Kendricks, como a candidata perfeita para representar o nascimento da disco music. Com essa resposta, chegamos a uma conclusão: não há consenso entre as opiniões dos autores de livros sobre o gênero. Mas eles concordam em apontar onde ela floresceu, nos Estados Unidos, justamente em um período em que havia urgência na liberação sexual e racial: os clubes noturnos fequentados predominantemente por negros, hispânicos - e, claro, os gays. Então, fazendo ou não cinquenta anos em 2019, a disco music deve ser celebrada em junho, Mês do Orgulho LGBT.

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest