Disco 'perdido' de banda africana de funk produzida por Brian Eno ressurge após quase 40 anos
Entretenimento

Disco 'perdido' de banda africana de funk produzida por Brian Eno ressurge após quase 40 anos

A Edikanfo já era uma banda bem-sucedida em seu país, Gana, quando o produtor inglês Brian Eno (conhecido por trabalhos com David Bowie, e vindo de um disco com o Talking Heads) a conheceu e produziu seu primeiro álbum. "The Pace Setters" tinha um poderoso som afrobeat que fez sucesso imediato na época e tinha tudo para levar seus integrantes para turnês no exterior. Só que um golpe de estado interrompeu precocemente a carreira dos músicos. Agora, essa joia africana será relançada em CD e vinil.

Quase quatro décadas passadas do lançamento original, o disco de estreia da banda ganense Edikanfo será reeditado pela Glitterbeat Records. Lançado na época pelo selo londrino E.G. Records, "The Pace Setters" é considerado um clássico semiperdido. Não demorou a ter projeção cult internacional por conta da originalidade de sua mistura do ritmo highlife com afrobeat — e também pela assinatura na produção de ninguém menos que Brian Eno.

Capa do álbum que será relançado em CD e vinil. Foto: Reprodução
Capa do álbum que será relançado em CD e vinil. Foto: Reprodução

O produtor britânico, fã de Fela Kuti, estava pesquisando e divulgando músicas da África Ocidental e andava em busca do que ele chamava de "visão de uma África psicodélica". Ele havia colaborado com o Talking Heads em sua obra-prima "Remain in Light" (1980), e gravado com o vocalista David Byrne "My Life In The Bush of Ghosts" (1981), álbum que já apontava para a interação musical global que tanto se conhece hoje em dia.

Mergulhado nessas buscasa e pesquisas, não tardou para Brian encontrar o Edikanfo em Gana. O interessante é perceber que, sem seu nome nos créditos, seria difícil identificar a mão de Brian no som. Isso porque o Edikanfo já era uma banda bem consolidada e conhecida, não estava à procura de uma nova direção e sim de um profissional tecnicamente mais capacitado. O resultado saído do Studio One, na cidade de Accra, foi uma mistura alegre inspirada em diferentes mundos e processos sonoros.

No mesmo ano do lançamento do álbum, os integrantes do Edikanfo foram do sucesso para o ostracismo, mas não por questões profissionais. Em 31 de dezembro de 1981, o governo de Gana foi derrubado por um golpe. Com a censura, toque de recolher e outros decretos autoritários, Gilbert Amartey Amar, Osei Tutu, Ishmael Odai “Smith”, Albert Williams “Bobo”, Paa Akrashie, George Williams, William Quist e Kwesi Okran decidiram parar a banda. Cada um procurou seu caminho, a maioria se exilando em outros países. A boa notícia é que eles estão se preparando para uma reunião e, possivelmente uma turnê para marcar esse relançamento que estará disponível a partir de 8 de maio.

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest