Em 1° de maio de 1969, Bob Dylan é o convidado do primeiro programa de TV de Johnny Cash
Especial

Em 1° de maio de 1969, Bob Dylan é o convidado do primeiro programa de TV de Johnny Cash

Publicidade

O primeiro programa de TV do cantor e compositor norte-americano Johnny Cash, gravado no dia 1° de maio de 1969, não marcava apenas uma nova fase para o homem de preto, ícone do country que parecia finalmente viver seus dias de ouro após anos à margem do mainstream da música pop de seu país. Aquele era também um acontecimento histórico para os fãs de rock, que puderam finalmente reencontrar seu ídolo Bob Dylan, que estava longe do público desde que havia sofrido um acidente de moto três anos antes.

ASTRO FOLK: Em 26 de março de 1991, Bob Dylan começa a oficializar seus discos piratas

LEIA TAMBÉM: Veja fotos de Bob Dylan nos bastidores de turnê de 1975

Dylan e Cash já haviam se encontrado algumas vezes na carreira e a reverência aos talentos era mútua: tanto Dylan era fã confesso do ícone da country music — numa época em que ele era considerado o patinho feio do gênero — quanto Cash havia se tornado fã dos primeiros discos de Dylan, considerando-o uma espécie de seguidor torto de seu próprio trabalho. Mas nunca haviam feito nada juntos, até o início daquele 1969.

Aquele ano era um marco para os dois artistas por diferentes motivos. Cash fazia parte do elenco da Sun Records, que revelou nomes como Elvis Presley, Carl Perkins e Jerry Lee Lewis, na fase inicial do rock 'n' roll nos anos 1950. Mas, mesmo empunhando uma guitarra elétrica, ele não era afeito a chacoalhar os quadris e preferiu se manter na música country, onde era visto como um novato que vinha do rock. Nem lá nem cá, conseguiu emplacar alguns hits, mas só começou a chamar atenção do mercado quando começou a fazer shows em presídios, endurecendo sua fama de mau e tornando sua reputação bem distante dos dias de ouro do rock. Tanto que lhe ofereceram um programa de TV em seu nome.

Bob Dylan e Johnny Cash dividindo palco e música na TV / Foto: Getty Images
Bob Dylan e Johnny Cash dividindo palco e música na TV / Foto: Getty Images

Já Dylan tornou-se um fenômeno folk logo no início dos anos 1960, ganhando o título de voz de sua geração ao se tornar o principal cantor de protesto dos EUA. Mesmo abraçando a eletricidade e o rock na metade daquela década (atraindo a fúria dos fãs de folk music), tornou-se um dos principais nomes do novo panteão do rock, influenciando os Beatles, que por sua vez o influenciariam. Mas o excesso de fama na era da psicodelia fez Dylan pegar birra do movimento hippie e ele encontrou um sítio na região rural de Woodstock, perto de Nova York, para se esconder dos fãs. Sofreu um acidente de moto em 1966 — que até hoje nunca foi explicado direito — e o usou como desculpa para sair dos holofotes.

Neste período, Dylan passou a compor músicas que seu empresário Albert Grossman vendia para outros intérpretes, ao mesmo tempo em que se enfurnou com sua banda, os canadenses do The Band, para visitar músicas de diferentes fases da canção norte-americana. Estas canções começaram a aparecer de forma pirata anos mais tarde e seriam conhecidas como "The Basement Tapes" ("as fitas do porão"), que ele lançaria como um álbum com este mesmo título em 1975. Só que enquanto o próprio Dylan não voltava a lançar discos, muito se especulava sobre seu estado de saúde — e até mesmo se ele ainda estava vivo. As teorias cogitavam até que ele teria sido morto pela CIA.

Mas era a pausa que ele precisava para recompor sua carreira. Após este período, ele voltaria com um material radicalmente diferente de seus discos anteriores em álbuns como "John Wesley Harding", "Self Portrait" e "Nashville Skyline". Este último, lançado no início de 1969, trazia a primeira colaboração entre os dois ícones,  “Girl From the North Country”.

"The Johnny Cash Show" começava portanto com este encontro histórico e não apenas trazia o ícone country repaginado para uma nova fase como recuperava o ícone pop em uma nova fase country, num momento único na história da música gravada.

Quem nasceu

1930 - Little Walter, nascido Marion Walter Jacobs, cantor, compositor e gaitista (m. 1968)

1934 - Shirley Horn, cantora e pianista norte-americana (m. 2005)

1939 - Judy Collins, cantora e compositora norte-americana

1953 - Glen Ballard, compositor, letrista e produtor norte-americano 

1954 - Ray Parker Jr., cantor e compositor norte-americano

1965 - Tiririca, nascido Francisco Everardo Oliveira Silva, cantor, compositor, humorista e político cearense

1966 - Johnny Colt, baixista da banda norte-americana The Black Crowes 

1968 - D'arcy Wretsky-Brown, baixista do grupo norte-americano Smashing Pumpkins 

1970 - Bernard Butler, guitarrista do grupo inglês Suede

Quem morreu

1904 - Antonin Dvořák, compositor tcheco (n. 1841)

1965 - Spike Jones, músico e band-leader norte-americano (n. 1911)

2013 - Chris Kelly, metade da dupla de rap norte-americana Kris Kross (n. 1978) 

Publicidade

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest