Em 10 de fevereiro de 1971, Carole King lançava o clássico 'Tapestry'
Especial

Em 10 de fevereiro de 1971, Carole King lançava o clássico 'Tapestry'

Publicidade

Depois de passar uma década compondo clássicos da música pop para outros intérpretes cantarem, a compositora norte-americana Carole King resolve passar para o outro lado e por sua própria voz em suas canções. Depois de um tímido disco de estreia, "Writer", lançado em 1970, ela enche o peito e mostra toda sua força quando, no dia 10 de fevereiro de 1971, revelou soberbo disco "Tapestry".

King era mais conhecida nos bastidores da música dos anos 1960 como uma das principais compositoras do grupo reunido no Brill Building, edifício em Nova York que servia de sede para vários estúdios e compositores americanos desde sua inauguração, nos anos 1930. Em seu primeiro período áureo, o prédio funcionava como casa de criação para orquestras de nomes como Benny Goodman, Tommy Dorsey e Glenn Miller. Mas à medida em que a música pop começava a ganhar mais espaço nas rádios e paradas de sucesso, outros compositores transformaram o prédio em usina de composição, reunindo autores que comporiam músicas que até hoje estão em nosso imaginário coletivo: Neil Diamond, Burt Bacharach, Neil Sedaka, Laura Nyro... e o casal formado por Gerry Goffin e Carole King.

Juntos, os dois compuseram grandes hits da década de 1960, como "The Loco-Motion", "One Fine Day" e "I'm Into Something Good", atingindo o auge como auge da fama com a balada "You Make Me Feel Like A Natural Woman", composta para Aretha Franklin. Carole King tinha medo de se apresentar ao vivo e, por isso, preferia apenas compor, mas seu amigo James Taylor conseguiu convencê-la de abandonar esta ideia e gravar seu primeiro álbum. 

"Tapestry" é um dos melhores discos da música norte-americana e consagra uma sonoridade definida pelas próprias composições de Carole na década anterior para determinar uma estética que dominaria os anos 1970: cantores que compõem as próprias músicas e cantam sobre acontecimentos e sentimentos reais, que usam instrumentos elétricos com parcimônia, que reconhecem a importância da canção e flertam tanto com o rock, o folk, o country e a soul music, sem que, necessariamente, se estabelecesse em um destes gêneros. 

Ela recuperou duas de suas canções mais famosas ("You Make Me Feel Like A Natural Woman" e "Will You Still Love Me Tomorrow", que compôs para as Shirelles), além de descortinar clássicos instantâneos como "You've Got a Friend", "It's Too Late", "Where You Lead" e  "I Feel the Earth Move". Um disco espetacular.

10 de fevereiro de 1942: Ouro!

"Chattanooga Choo Choo", de Glenn Miller e sua orquestra, lançado em em maio de 1941, torna-se o primeiro disco a receber a certificação de ouro no dia 10 de fevereiro de 1942, ao atingir o número de um milhão e duzentas mil cópias vendidas em seu compacto de 78 rotações. Foi um truque de publicidade que a gravadora RCA Victor inventou para chamar atenção de um trabalho por suas vendas, mas só se tornaria um padrão 16 anos depois, quando a associação das gravadoras dos Estados Unidos (conhecida pela sigla em inglês RIAA) atualizou o formato para contemplar discos que vendiam mais do que a média.

10 de fevereiro de 1968: Um pequeno apetrecho

Em sua quinta edição, a revista "Rolling Stone" sugeriu um brinde para seus futuros assinantes: um clipes para segurar um baseado de maconha sem que o fumante queimasse seus dedos. Sem explicar o que era de fato, a revista anunciava o brinde como "um pequeno apetrecho à mão", que poderia ter muitos usos em casa, como pendurar joias.

10 de fevereiro de 2011: 'Which seat can I take?'

A adolescente Rebecca Black sobe o vídeo que fez de sua canção "Friday" para o YouTube. Um clipe sem graça com uma música enfadonha sobre sair à noite sem querer se tornou uma sensação na internet. "Friday" tornou-se um dos primeiros clipes virais no canal de vídeos do Google, transformando a canção em um hit inusitado com 18 milhões de visualizações em uma semana (este número seria multiplicado por dez até o fim do ano) e sua cantora uma estrela da noite pro dia - que desapareceu com a mesma velocidade que surgiu.

Quem nasceu

1929 - Jerry Goldsmith, compositor norte-americano de trilha sonora para seriados de TV (m. 2004)

1931 - Cauby Peixoto, cantor fluminense (m. 2016)

1937 - Don Wilson, guitarrista do grupo inglês The Ventures 

1937 - Roberta Flack, cantora norte-americana 

1947 - Chris Ethridge, baixista dos grupos norte-americanos International Submarine Band e The Flying Burrito Brothers (m. 2012)

1962 - Cliff Burton, baixista da banda norte-americana Metallica (m. 1987)

1976 - Vanessa da Mata, cantora matogrossense

Quem morreu

1975 - Dave Alexander, baixista do grupo norte-americano The Stooges (n. 1947)

2006 - J Dilla, nascido James Dewitt Yancey, MC e produtor norte-americano (n. 1974)

Publicidade

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest