Em 11 de fevereiro de 2012, morria Whitney Houston
Especial

Em 11 de fevereiro de 2012, morria Whitney Houston

Publicidade

Havia mais uma festa do Grammy à vista e o executivo Clive Davis, ex-presidente da Columbia, fundador da Arista Records e então diretor-executivo do RCA Music Group, fazia os preparos para mais uma festa de aquecimento antes da premiação. Até que uma assistente da principal atração musical da festa foi procurá-la na suíte 434 do Beverly Hilton Hotel, sem resposta. Quando conseguiu abrir a porta, correu para o banheiro, onde a encontrou de bruços e desacordada na banheira. A ambulância chegou logo depois, mas não havia muito a ser feito   e assim, no dia 11 de fevereiro de 2012, Whitney Houston foi encontrada morta em um quarto de hotel em Los Angeles.

Uma das maiores cantoras da história do entretenimento, Whitney vendeu mais de 200 milhões de discos e é a mulher que mais ganhou prêmios na indústria, principalmente devido ao estrondoso sucesso da trilha sonora de sua estreia no cinema. "O Guarda Costas", de 1992, carregava a arrebatadora balada "I Will Always Love You", mas a lista de sucessos emplacados por Whitney é interminável: "I Wanna Dance with Somebody", "I Have Nothing", "I'm Every Woman", "One Moment in Time", "When You Believe", "The Greatest Love of All", "How Will I Know"... E de tirar o fôlego.

Whitney trilhou o caminho aberto por Aretha Franklin e Diana Ross para abrir passagem para Beyoncé e Rihanna, mostrando que uma cantora de soul music poderia atingir o topo do mundo e ser tratada como rainha da música pop. Descoberta pelo próprio Clive Davis no início dos anos 1980, Whitney conquistou a façanha de que todos os seus álbuns tenham sido disco de ouro, sempre na lista de mais vendidos, primeiro nos Estados Unidos e depois no resto do mundo. A relação com Hollywood foi para além do flerte do filme com Kevin Costner e Whitney esteve de outras produções, como "Falando de Amor", de 1995, e "Um Anjo em Minha Vida", de 1996, atuando e participando da trilha sonora.

Pouco antes de morrer, ensaiava uma volta   inclusive ao cinema. Havia acabado de gravar sua participação no filme "Sparkle", inspirado nas Supremes lideradas por Diana Ross, e dois dias antes de ser encontrada morta ensaiou um dueto com as cantoras Brandy e Monica, que iria apresentar na festa de aquecimento pro Grammy. Festa que o próprio organizador manteve em homenagem à cantora, bem como o próprio Grammy reverenciou sua passagem, com o rapper LL Cool J abrindo a cerimônia com uma prece e a cantora Jennifer Hudson cantando a imortal "I Will Always Love You" em sua homenagem.  

 11 de fevereiro de 1963: Num take só

Os Beatles gravam seu primeiro disco, "Please Please Me", em menos de dez horas. Quase todas as músicas foram gravadas ao vivo, com poucas refações e, no fim da gravação, John Lennon estava quase sem voz. Mesmo assim, resolveu encarar "Twist and Shout" e conseguiu acertar no primeiro take.

Quem nasceu

1935 - Gene Vincent, nascido Eugene Craddock, cantor e pioneiro do rock'n'roll com sua banda Blue Caps (m. 1971)

1939 - Gerry Goffin, compositor norte-americano, foi casado com Carole King, com quem fazia dupla (m. 2014)

1941 - Sérgio Mendes, músico fluminense

1942 - Otis Clay, cantor norte-americano (m. 2016)

1962 - Sheryl Crow, cantora e compositora norte-americana

1972 - Craig Jones, tecladista do grupo norte-americano Slipknot

1974 - D'Angelo, nascido Michael Archer, cantor norte-americano

1977 - Mike Shinoda, guitarrista e vocalista do grupo norte-americano Linkin Park

1979 - Brandy, cantora norte-americana 

1981 - Kelly Rowland, cantora do grupo norte-americano Destiny's Child 

Quem morreu

2009 - Estelle Bennett, cantora do grupo norte-americano The Ronettes (n. 1941) 

Publicidade

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest