Em 17 de janeiro de 1966, os Monkees surgiam para rivalizar com os Beatles
Especial

Em 17 de janeiro de 1966, os Monkees surgiam para rivalizar com os Beatles

Publicidade

A resposta norte-americana aos Beatles foi um programa de TV! Foi assim que a dupla de produtores Bob Rafelson e Bert Schneider, que revolucionariam o cinema no fim dos anos 1960 com filmes como “Sem Destino”, “O Destino Bate à Sua Porta” e “Cada Um Vive Como Quer”, começaram sua carreira — transformando o que eles entendiam como a fórmula do sucesso da beatlemania como um simples entretenimento descartável que poderia ser recriado em laboratório. E depois de lançar a ideia para a emissora NBC, no dia 17 de janeiro de 1966 eles tiveram a aprovação para produzir 32 episódios do seriado “The Monkees”.

Como a banda de John Lennon, Paul McCartney, George Harrison e Ringo Starr, o grupo norte-americano também tinha seu título inspirado em bichos com uma variação na escrita — os monkeys viraram Monkees, como beetles haviam virado Beatles — e era composto por quatro jovens de cerca de 20 anos. Mas as semelhanças paravam por aí. Enquanto os Beatles faziam tudo — tocavam, cantavam, compunham, faziam arranjos e carregavam os próprios instrumentos — e tinham apenas um empresário (Brian Epstein) e um produtor (George Martin) como armas secretas, os Monkees foram totalmente criados em estúdio.

O anúncio que Rafaelson e Schneider colocaram no jornal "Variety" para descobrir quem seriam os atores que encarnariam aquela banda de mentira resumia sua percepção do que era a beatlemania: "Loucura! Entrevistas para atuar em uma nova série de TV. Em busca de quatro garotos insanos, entre 17 e 21 anos". Eles entrevistaram mais de 400 candidatos até escolherem os músicos Peter Tork e Mike Nesmith (que nunca haviam atuado na vida) para viver os papéis de "Peter" e "Mike", o ator Mickey Dolenz que nunca havia tocado nenhum instrumento para ser o baterista "Mickey" e Davy Jones, que nunca tinha atuado ou tocado nenhum instrumento, para ser "Davy". "Queríamos garotos que pudessem ser eles mesmos", disse Schneider na apresentação do seriado à emissora, em setembro daquele ano. "Nâo procuramos nem atores nem integrantes de bandas de rock". As músicas eram compostas por compositores profissionais e tocadas por músicos de estúdio — os Monkees quando muito cantavam os próprios vocais. Mas pouco interesava: o que importava era que eles eram simpáticos e funcionavam na TV.

Mas o seriado deu mais certo que seus produtores imaginavam e não só o grupo começou a lançar discos de verdade — que chegaram até a vender mais que os discos dos Beatles na época —, como os quatro rapazes começaram a se sentir parte de uma banda, fazendo shows e dando entrevistas para outras emissoras de TV. A ousadia de Rafaelson e Schneider inevitavelmente chegaria ao cinema, quando os dois produziram "Head", o filme psicodélico dos Monkees, considerado um clássico nonsense até hoje.

Quem nasceu

O cantor e compositor brasileiro Jorge Mautner (1941)

A cantora e compositora francesa Françoise Hardy (1944)

O guitarrista dos Rolling Stones Mick Taylor (1948)

O cantor e compositor norte-americano Steve Earle (1955)

O cantor inglês Paul Young (1956)

A vocalista do grupo Bangles Susanna Hoffs (1959)

O baixista do grupo Smiths Andy Rourke (1963)

O cantor e compositor jamaicano Shabba Ranks (1966)

O cantor e compositor norte-americano Kid Rock (1971)

O produtor, cantor e compositor escocês Calvin Harris (1984)

Quem morreu

O pianista de rhythm'n'blues Billy Stewart (1937-1970)

O publicitário e marqueteiro de música Don Kirshner (1934-2011)

O baterista do Mott the Hopple Dale Griffin (1948-2016)

Publicidade

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest