Em 18 de maio de 1980, morre Ian Curtis, vocalista do Joy Division
Especial

Em 18 de maio de 1980, morre Ian Curtis, vocalista do Joy Division

A história do grupo Joy Division já dava sinais. As letras existencialistas e forma como seu vocalista Ian Curtis lidava com o pequeno sucesso que o grupo inglês conseguiu no final dos anos 1970 davam pistas de que as coisas não iam bem com ele. Até que no dia 18 de maio de 1980, ele tirou a própria vida.

O Joy Division é uma das primeiras bandas a se encaixar no rótulo pós-punk, criado na Inglaterra para definir as bandas que haviam se formado por causa do punk e evoluíram seu som para além do grunhido primitivo e da pressa melódica dos grupos que fundaram aquele nova gênero musical, no meio dos anos 1970. Grupos como U2, Echo & The Bunnymen, The Cure, Gang of Four, Public Image Ltd, Bauhaus, The Wire e Killing Joke, entre outros, mostravam que a lógica do “faça-você-mesmo” permitia que a sonoridade pudesse evoluir para outras fronteiras musicais, indo do gótico ao noise e se espalhando pelo resto do mundo (nos EUA inspirou bandas como Talking Heads, Pere Ubu e Devo, no Brasil vieram Fellini, Smack, Mercenárias e Plebe Rude).

Joy Divison em show no Bowden Vale Youth Club, em Altrincham, na Inglaterra / Foto: Getty Images
Joy Divison em show no Bowden Vale Youth Club, em Altrincham, na Inglaterra / Foto: Getty Images

O grupo nasceu do mitológico show que os Sex Pistols fizeram no dia 4 de junho de 1976, no Lesser Free Trade Hall, em Manchester, quando o grupo local Buzzcocks conseguiu trazer a banda londrina para o norte da Inglaterra. O show foi impactante e revelador para adolescentes que estavam na plateia e anos depois fundariam os Smiths, o Fall, o Magazine e, claro, o Joy Division. Os então amigos Bernard Sumner e Peter Hook foram ao show e decidiram montar a banda basicamente porque acharam que qualquer um poderia fazer aquilo, que não era necessariamente uma carreira e sim um protesto musical.

Os dois conheceram Ian Curtis e Stephen Morris e depois de começar a trabalhar com o nome de Warsaw. Passaram a se chamar Joy Division quando as letras do vocalista Ian Curtis começaram a ficar mais tensas e sérias, sempre distópicas, pessimistas e desoladoras. O som do grupo acompanhou aquela temática, diminuindo a velocidade do som, deixando o baixo de Hook ficar mais melódico, a guitarra de Sumner mais ruidosa e a bateria de Morris mais galopante, mesmo em câmera lenta.

Ian Curtis em foto feita na Holanda, em janeiro de 1980 / Foto: Getty Images
Ian Curtis em foto feita na Holanda, em janeiro de 1980 / Foto: Getty Images

À frente do grupo, Curtis se entregava para a plateia de um jeito que a princípio assustou seus companheiros de banda, mexendo o corpo de forma selvagem e sem ritmo, como se estivesse tendo uma convulsão. Anos depois, em novembro de 1978, o grupo pôde ver o que Curtis disfarçava com sua postura de palco, quando, logo após um show, ele teve um ataque epilético.

Aquela condição era piorada pela rotina dos shows, com privação de sono, álcool, variações de humor e emoções intensas — um cenário que só piorava o quadro emocional e clínico de Curtis, que passou a tomar remédios controlados para depressão. Ele tentou o suicídio duas outras vezes, mas quando sua mulher, Deborah, ameaçou entrar com o divórcio, Curtis foi para o cinema, onde assistiu a "Stroszek", do diretor alemão Werner Herzog, voltou para a casa e colocou o disco "The Idiot" de Iggy Pop para tocar, entrou em um armário e se enforcou. Sua mulher descobriu o corpo no dia seguinte, poucos dias antes do lançamento do segundo disco do Joy Division, o já clássico "Closer", que anunciaria sua chegada aos Estados Unidos.

Atônitos, os integrantes do grupo resolveram prosseguir, mas com outro nome. Convidaram a tecladista Gillian Gilbert para a vaga na banda, Bernard assumiu os vocais e eles se tornaram o New Order. Mas isso é outra história...

Quem nasceu

1911 - Big Joe Turner, nascido Joseph Vernon Turner Jr., cantor norte-americano (n. 1985)

1912 - Perry Como, cantor e ator norte-americano (m. 2001)

1922 - Kai Winding, trombonista norte-americano (m. 1983)

1944 - Albert Hammond, cantor, compositor e produtor inglês

1946 - George Alexander, baixista do grupo norte-americano The Flamin Groovies

1949 - Bill Wallace, baixista do grupo canadense The Guess Who

1949 - Rick Wakeman, tecladista do grupo inglês Yes

1950 - Mark Mothersbaugh, tecladista, cantor e compositor do grupo norte-americano Devo

1952 - George Strait, cantor e compositor norte-americano

1954 - Jaques Morelenbaum, músico, produtor musical, arranjador, compositor e maestro carioca

1954 - Wreckless Eric, nascido Eric Goulden, cantor e compositor inglês

1956 - Jim Moginie, guitarrista, compositor e fundador da banda australiana Midnight Oil

1957 - Michael Cretu, produtor romeno que se apresentava com o nome de Enigma

1961 - Russell Senior, guitarrista e violinista da banda inglesa Pulp

1967 - Martin Duffy, tecladista dos grupos britânicos Felt, The Charlatans e Primal Scream

1975 - Jack Johnson, cantor, compositor e surfista norte-americano

Quem morreu

1909 - Isaac Albéniz, pianista e compositor espanhol (n. 1960)

1999 - Augustus Pablo, músico e produtor jamaicano e um dos criadores do dub (n. 1954)

2004 -Elvin Jones, baterista norte-americano que tocou no The John Coltrane Quartet (n. 1927)

2004 - Clint Warwick, baixista do grupo inglês The Moody Blues (n. 1940)

2006 - Andy Capps, baterista do grupo norte-americano Built To Spill (n. 1969)

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest