Em 20 de fevereiro de 1816, Rossini estreia a ópera ‘O Barbeiro de Sevilha’ em uma noite conturbada
Especial

Em 20 de fevereiro de 1816, Rossini estreia a ópera ‘O Barbeiro de Sevilha’ em uma noite conturbada

Séculos atrás, óperas eram esperadas como hoje se esperam grandes discos e filmes. Compositores profícuos lançavam ao menos uma obra deste tipo por ano e causavam ansiedade e frisson entre o público que frequentava os teatros europeus à época. Mas um clássico do italiano Giaochino Rossini, "O Barbeiro de Sevilha", estreou no Teatro Argentina, em Roma, na Itália, no dia 20 de fevereiro de 1816 numa das aberturas mais caóticas da história da música.

A ópera de Rossini não era a primeira a se inspirar na comédia francesa "Le Barbier de Séville", escrita por Pierre Beaumarchais em 1775. O livro foi originalmente concebido para ser uma ópera, mas foi rejeitado pelo teatro parisiense Comédie-Française, o mais antigo do mundo, e montado como uma peça tradicional. No entanto, ela logo mostrou sua faceta musical, primeiro ao ser adaptada como uma ópera por Giovanni Paisiello, em 1782. Outras obras operísticas foram compostas a partir do mesmo texto, primeiro por Wolfgang Amadeus Mozart, em 1786, com o título de “Le Nozze di Figaro”, depois por Nicolas Isouard em 1796, e finalmente por Francesco Morlacchi, em 1816. Destas, a principal adaptação tinha sido a pioneira, feita por Paisello, que não gostou nem um pouco ao saber que Rossini estava se baseando no mesmo texto.

Batizada de "Il Barbiere di Siviglia, Ossia L'inutile Precauzione" ("O Barbeiro de Sevilha ou Precauções Inúteis"), a ópera bufa de Rossini estreou no Teatro Argentina sob a mira de Paisello, que resolveu causar na première. Ele organizou uma torcida para vaiar a apresentação, e o barulho instigou o público a um rebuliço, reforçado por incidentes que ocorreram no palco, como instrumentos que quebraram e a entrada de um gato penetra. Tudo parecia motivo de riso, embora involuntário.

Já no segundo dia, sem a torcida de Paisello, a ópera foi apresentada como deveria e recebeu aplausos do público, além de encantar a crítica. A vingança de Rossini é que sua obra é lembrada até hoje, mais de duzentos anos depois de sua estreia, enquanto a de seu rival foi esquecida pelo tempo.

20 de fevereiro de 1959: Sweet little sixteen

O jovem James Hendrix, de apenas 16 anos, faz sua primeira aparição ao vivo ao tocar no Temple De Hirsch Sinai, uma sinagoga em sua cidade-natal, Seattle, nos EUA. Em menos de dez anos ele seria mais conhecido como o deus da guitarra Jimi Hendrix.

20 de fevereiro de 1976: Pisa mais

O grupo Kiss deixa suas pegadas na calçada em frente ao Teatro Chinês, em Hollywood, nos EUA.

Quem nasceu

1944 - Lew Soloff, trompetista do grupo norte-americano Blood Sweat & Tears (m. 2015)

1946 - J Geils, guitarrista e líder da banda norte-americana The J. Geils Band (m. 2017)

1950 - Walter Becker, baixista, guitarrista, vocalista e compositor do grupo norte-americano Steely Dan

1951 - Eduardo Souto Neto, maestro e músico carioca

1953 - Poison Ivy, nascida Kristy Wallace, guitarrista do grupo norte-americano The Cramps (m. 2009)

1955 - Jon Brant, baixista do grupo norte-americano Cheap Trick

1966 - Ian Brown, líder da banda inglesa Stone Roses

1967 - Kurt Cobain, guitarrista, cantor e compositor do grupo norte-americano Nirvana (m. 1994)

1975 - Brian Littrell, cantor do grupo norte-americano Backstreet Boys

1985 - Volkova Olegovna, cantora do grupo russo Tatu

1988 - Rihanna, nascida Robyn Rihanna Fenty, cantora e compositora barbadiana


Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest