Em 21 de abril de 1959, nasce Robert Smith, líder do Cure
Especial

Em 21 de abril de 1959, nasce Robert Smith, líder do Cure

Publicidade

Góticos em festa, afinal neste domingo o fundador do grupo The Cure completa 60 anos. Robert Smith nasceu na cidade de Blackpool, na Inglaterra, no dia 20 de abril de 1959 — e em menos de 20 anos já tinha sua própria banda, marca que carrega até hoje com um dos séquitos de fãs mais fiéis da história da música pop — além de ter criado praticamente sozinho um gênero inteiro.

LEIA MAIS: Rock & Roll Hall of Fame: saiba mais sobre o lendário museu

VEJA TAMBÉM: Em 15 de abril de 1983, o Bad Brains inventa o hardcore

Robert teve aulas de piano na infância, mas o rock lhe apresentou à guitarra, com a qual ele montou bandas ainda em sua adolescência. Uma das primeiras, Brat's Club, evoluiu para o grupo Malice, que o próprio descrevia como uma banda punk sub-metal e que já contava com os futuros integrantes de sua principal banda, Michael Dempsey e Laurence "Lol" Tolhurst. Com a entrada do segundo guitarrista Porl Thompson no lugar de Marc Ceccagno, o grupo mudou de nome mais uma vez e em 1977, o mesmo ano em que o punk varreu a Inglaterra. Assim, passaram a se chamar The Easy Cure.

Robert Smith e o The Cure em Nova York, em 1989 / Foto: Ebet Roberts/Getty Images
Robert Smith e o The Cure em Nova York, em 1989 / Foto: Ebet Roberts/Getty Images

Durante estas primeiras transformações Smith foi aos poucos assumindo um papel central. Ele começou compondo as primeiras músicas do grupo, mas era retraído no palco e preferia ficar em segundo plano, ainda mais que o guitarrista principal gostava de solos e de ficar à frente. Com sua saída, o grupo passou a buscar alguém para firmar-se como vocalista, o que deixava Smith irritado: todos cantavam mal ou tinham uma péssima perfomance. A contragosto, assumiu esta função, pois considerava todas as alternativas piores que ele. Nesta mesma época, no final dos anos 1970, o grupo mudou de nome para apenas The Cure.

No início da carreira, a banda era fortemente influenciada pelas bandas punk e pós-punk, mas aos poucos começaram a desenvolver uma sonoridade única. A bateria ficava mais lenta, as guitarras mais barulhentas, mas menos pesadas, muitos pedais de efeito que deixavam os acordes ecoando sobre camadas e camadas de microfonia, em baixos pesados marcados pelo novo integrante Simon Gallup. Soterrados sob as texturas elétricas, os vocais de Smith assumiam uma postura melancólica e desesperada, numa versão pós-punk para o romantismo clássico — ou mais especificamente, um som gótico. Entre discos como "Seventeen Seconds", "Faith" e "Pornography", o grupo criou um novo gênero musical, que logo tinha vários fãs e bandas que seguiam aquela nova linha sonora. Ao mesmo tempo, Smith deixava o cabelo crescer, criando um penteado que era sua assinatura visual — ao lado dos olhos com profundas olheiras de maquiagem.

Ironicamente, o grupo começou a fazer sucesso nos Estados Unidos devido a canções pop agridoces, como "The Lovecats", "The Walk" e "Let's Go to Bed", atingindo as paradas de sucesso do mundo todo no final dos anos 1980 com hits como "In Between Days" e "Close to Me". O Cure virou uma banda global e logo começou a fazer shows por todo o mundo (inclusive no Brasil, onde bandas internacionais raramente apareciam). Vendo o coração de sua musicalidade se desvirtuar, Smith deu uma guinada de volta ao gótico com o clássico "Disintegration", de 1989, o disco de maior sucesso comercial da banda, considerado sua obra-prima pelos fãs.

A partir do século XXI, o Cure começou a comemorar a própria carreira, fazendo shows e turnês dedicados a diferentes fases da banda. Atualmente, prepararam a comemoração dos 30 anos de "Disintegration", álbum lançado quando o próprio Smith completou 30 anos. É uma celebração digna para um dos nomes mais fortes do pop inglês do século passado.

Quem nasceu

1947 - Iggy Pop, nascido James Osterberg, vocalista e compositor americano 

1958 - Mike Barson, teclaadista do grupo inglês Madness

1959 - Michael Timmins, guitarrista da banda canadense Cowboy Junkies

1960 - John Maher, baterista do grupo inglês Buzzcocks 

Quem morreu

1970 - Earl Hooker, guitarrista americano (n. 1930)

1978 - Sandy Denny, cantora e compsoitora inglesa (n. 1947)

2003 - Nina Simone, cantora e compositora americana (n. 1933)

2008 - Al Wilson, cantor e compositor americano (n. 1939)

2013 - Christina Amphlett, vocalista do grupo australiano The Divinyls (n. 1959)

2016 - Prince, músico, cantor e compositor americano (n. 1958)

Publicidade

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest