Em 24 de março de 1958, Elvis Presley se alista no exército norte-americano
Especial

Em 24 de março de 1958, Elvis Presley se alista no exército norte-americano

Publicidade

O rei do rock estava no auge de sua carreira. Com um público cada vez mais ávido por novidades, ele vendia discos e fazia filmes com uma frequência cada vez maior. Por isso, ninguém esperava que ele fosse sair de cena tão cedo, ainda mais daquela forma. No dia 24 de março de 1958, Elvis Presley se alistou no exército norte-americano.

LEIA MAIS: Mansão de Elvis Presley, Graceland será palco para shows em 2019

VEJA TAMBÉM: Quando a dança de Elvis virou um clássico do rock

Depois de uma despedida de ônibus rumo a uma base militar que foi acompanhada por centenas de fãs, Elvis passou por um período de treinamento no estado do Texas, onde foi reconhecido como sendo apto ao papel de soldado. Foi transferido para a Alemanha, onde permaneceu — e recebeu louros por seu bom trabalho — numa base militar norte-americana até o início da década seguinte. 

Sua estada no exército, além de tirá-lo da vida pública e do show business mundial, foi crucial por apontar dois rumos inesperados para sua vida. Conheceu Priscilla Beaulieu, enteada de um capitão da base da força aérea, que na época tinha 14 anos e que se tornaria sua esposa em 1967. Foi também lá que ele passou a usar anfetaminas, droga que o acompanhou até o fim de sua vida — e que foi responsável por encurtá-la em 1977. 

A entrada de Elvis no exército foi parte de uma série de baixas naquela nova onda que enlouquecia a juventude norte-americana, o rock'n'roll. No ano anterior, o cantor Little Richard preferiu não embarcar num voo da Austrália para os EUA pois sentiu "um chamado de Deus", apenas para descobrir mais tarde que aquele avião nunca chegaria ao seu destino. Foi o suficiente para abandonar a carreira nos palcos (não sem antes fazer uma turnê de despedida e dar um show considerado lendário no palco do mitológico Teatro Apollo, no Harlem, em Nova York) e voltar-se para a igreja, onde retomou suas atividades como pastor. O cantor e pianista Jerry Lee Lewis chocou os Estados Unidos naquele mesmo ano, ao se casar com uma prima de 13 anos de idade. Nos anos seguintes, Chuck Berry iria preso por envolver-se com uma garota de 14 anos. Buddy Holly morreria num trágico acidente aéreo. Eddie Cochran também morreria, num acidente de carro. 

Quando Elvis Presley, agora sargento do exército norte-americano, voltou à vida civil no dia 5 de março de 1960, a paisagem sonora do país havia mudado completamente. O doo-wop e a surf music eram as novidades da época, cantores de country e rhythm 'n' blues haviam voltado às paradas de sucesso, o twist havia sido o último suspiro daquilo que antes chamavam de rock 'n' roll e as baladas de Burt Bacharach começavam a dar um novo tom para a nova década. No início dos anos 1960, parecia que o rock havia desaparecido com a mesma velocidade e intensidade que havia surgido. Até que em 1962, uma certa banda inglesa chamada The Beatles lançou um single de título "Love Me Do". Mas aí é outra história.

Quem nasceu

1935 - Carol Kaye, baixista de estúdio que tocou com Beach Boys, Simon & Garfunkel, Quincy Jones e Lalol Schifrin

1938 - Holger Czukay, baixista da banda alemã Can (m. 2017)

1946 - Lee Oskar, gaitista holandês da banda norte-americana War

1949 - Nick Lowe, cantor e compositor inglês

1951 - Dougie Thompson, baixista da banda inglesa Supertramp

1960 - Nena, nascida Gabriele Susanne Kerner, atriz e cantora alemã 

1970 - Pasemaster Mace, nascido Vincent Lamont Mason Jr., MC do grupo norte-americano De La Soul 

Quem morreu

2009 - Uriel Jones, baterista da banda The Funk Brothers, que tocou em boa parte dos discos da gravadora Motown (n. 1934)

2010 - Jim Marshall, fotógrafo norte-americano especializado em shows de rock (n. 1936)

Publicidade

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest