Em 3 de fevereiro de 1960, Frank Sinatra lança sua própria gravadora
Especial

Em 3 de fevereiro de 1960, Frank Sinatra lança sua própria gravadora

Frank Sinatra hoje é lembrado como um dos maiores cantores de todos os tempos, intérprete de voz cristalina que passou para a história com o imponente apelido de "a voz". Mas sua importância vai para além de suas qualidades artísticas: ele foi um dos principais artífices do que hoje chamamos de cultura pop. Além de ter sido um dos principais nomes a estabelecer o formato canção como o padrão para o século XX, ele flertou em diferentes instâncias da cultura, para além do palco. E, no dia 3 de fevereiro de 1960, fundou a primeira gravadora gerida por um artista da história, a Reprise Records.

Sinatra, que já era um dos maiores nomes do showbusiness naquela época, queria mais liberdade em relação a seus discos que a gravadora Capitol/EMI poderia lhe dar — e além de poder experimentar criativamente em suas obras, ele também queria ter acesso ao dinheiro que elas davam. Encerrou o contrato anterior e tentou comprar, sem sucesso, a gravadora Verve, mas logo viu que era melhor começar do zero. Fundou a Reprise chamando seus amigos do Rat Pack Dean Martin e Sammy Davis Jr. — para lançar discos por lá, além de incluir, aos poucos, nomes como Rosemary Clooney, Bing Crosby, Nancy Sinatra, Esquivel, Jo Stafford, entre outros.

Sinatra ganhou o apelido de "presidente do conselho" ("chairman of the board") entre os amigos e passou a exercer funções executivas que o ajudaram a entender ainda mais do seu negócio. A empresa era voltada principalmente para os direitos autorais e abria a possibilidade de os artistas poderem garantir, a médio prazo, o controle de suas próprias músicas. É por isso que nomes como Jimi Hendrix e os Kinks têm discos lançados por diferentes gravadoras — o princípio original da gravadora, que depois foi vendida para a gravadora Warner Bros. Records, permitia que os artistas tivessem controle do próprio trabalhou depois de um determinado estágio da carreira.

A Reprise seguiu sua missão e foi a casa para artistas de várias épocas e gêneros diferentes, como Neil Young, Green Day, Joni Mitchell, Fleetwood Mac, Tom Petty, Deftones, Enya, Michael Bublé, Ry Cooder, Captain Beefheart, Frank Zappa, Gram Parsons, Emmylou Harris, Jethro Tull, John Cale, Al Jarreau, Eric Clapton e Beach Boys em diferentes momentos de suas carreiras.

3 de fevereiro de 1959: O dia em que a música morreu

Os músicos e ídolos adolescentes Buddy Holly, J. P. "The Big Bopper" Richardson e Ritchie Valens pegam um avião para chegar a tempo em Fargo, no interior dos EUA, saindo da cidade de Clear Lake depois que o motor do ônibus da turnê esquentava sem parar. Insatisfeito com as condições — que ainda incluíam problemas de saúde devido ao frio que fazia nos EUA nesta época —, Holly resolve alugar um avião particular com apenas quatro lugares, incluindo o do piloto. Ele iria com os integrantes de sua banda na época, mas o baixista Waylon Jennings cedeu seu lugar para Big Bopper, que estava com febre, enquanto o guitarrista Tommy Allsup perdeu seu lugar para Ritchie Valens jogando a moeda num cara ou coroa. Buddy Holly tinha 22 anos, Big Bopper tinha 28, Ritchie 17. Os três — e o piloto Roger Peterson — morreram quando o avião caiu naquela noite. A notícia horrorizou os Estados Unidos e era mais um golpe na popularidade do rock no final dos anos 1950. A data ficou conhecida como "o dia em que a música morreu" a partir da música "American Pie", de Don McLean.

Quem nasceu

1935 - Johnny "Guitar" Watson, guitarrista de blues norte-americano (m. 1966)

1943 - Dennis Edwards, vocalista do grupo The Temptations

1947 - Dave Davies, cantor, compositor e guitarrista no grupo inglês The Kinks

1949 - Arthur ‘Killer’ Kane, baixista da banda norte-americana The New York Dolls (m. 2004)

1956 - Lee Ranaldo, guitarrista do grupo norte-americano Sonic Youth

1959 - Lol Tolhurst, tecladista do grupo inglês The Cure

1965 - Nick Hawkins, guitarrista do grupo inglês Big Audio Dynamite

1977 - Daddy Yankee, MC porto-riquenho

1990 - Sean Kingston, cantor jamaicano

Quem morreu

1967 - Joe Meek, produtor inglês (n. 1929)

2018 - Leon "Ndugu" Chancler, baterista norte-americano de jazz e funk (n. 1952)

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest