Em 3 de maio de 1958, o rock ’n’ roll chega a Boston causando tumulto e confusão
Especial

Em 3 de maio de 1958, o rock ’n’ roll chega a Boston causando tumulto e confusão

Alan Freed havia transformado o rock 'n' roll numa missão. Ele pegou uma velha expressão que aludia ao sexo para designar aquele novo som, mistura de blues elétrico com country rústico e o vendia como se fosse uma descoberta definitiva. Em programas de rádio e festivais de um dia, ele promovia o gênero que havia batizado para delírio dos jovens dos anos 1950. Até que, no dia 3 de maio de 1958, o rock 'n' roll mostrou sua faceta perigosa num célebre tumulto ocorrido em um festival promovido por Freed.

O rock 'n' roll ainda era uma novidade e não havia decolado como um gênero. Para o ouvido da maioria das pessoas no final dos anos 1950, não havia um ponto em comum entre o requebro de Elvis Presley, os riffs de Chuck Berry, os gritos de Little Richard e os acordes no piano de Jerry Lee Lewis, eram apenas manifestações festeiras de gêneros diferentes como country, hillbilly, R&B e soul music. O apresentador de programas de rádio Alan Freed teve a sacada de chamar aquela nova safra de artistas de "rock and roll" e aos poucos foi aglutinando outros artistas dentro daquela nova estética.

Freed pautava seus programas e apresentações ao vivo a partir disso. Em Nova York, sua cidade-sede, isso funcionava bem. Mas a primeira vez que ele resolveu levar um espetáculo desse tipo para outra cidade, as coisas não foram bem. O show realizado em Boston naquele 3 de maio foi o suficiente para que a cidade banisse shows de rock por seis anos, abrindo exceção apenas quando os Beatles foram para os Estados Unidos, em 1964.

Os organizadores da apresentação, que aconteceu num ringue de hockey, a Boston Arena, não esperavam que o público tivesse uma reação tão selvagem. Para eles, todos assistiriam aos shows comportadamente sentados cada um seu respectivo lugar. Mas com nomes como Buddy Holly, Chuck Berry e Jerry Lee Lewis no palco, era difícil segurar. O público aos poucos se levantava das cadeiras — e era repreendido — ou ia dançar nos corredores — sendo igualmente reprimidos. Quando Jerry Lee Lewis começou a tocar "Great Balls of Fire" o público não se aguentou e se atirou na dança, invadindo o palco e levando as autoridades da cidade à loucura.

Jerry Lee Lewis se apresenta em show na Inglaterra em 1958 / Foto: Getty Images
Jerry Lee Lewis se apresenta em show na Inglaterra em 1958 / Foto: Getty Images

A repressão imediata fez com que o próprio Alan Freed pegasse o microfone para dizer que "parece que a polícia não quer que vocês se divirtam essa noite", o que foi entendido como um grito de guerra para os cinco mil jovens que estavam no local, sendo contidos por apenas vinte policiais. A partir da incitação de Freed, o público começou a jogar cadeiras uns nos outros, brigas começaram e até os policiais foram agredidos.

A polícia local não gostou da forma como Freed se referiu aos seus homens e usou o show como desculpa para registrar todas as ocorrências cometidas na região em que o show acontecia (normalmente violenta) como se fossem provocadas pelo show. Os jornais repercutiram o tumulto exagerando e amplificaram o que acontecera, transformando um show de rock em uma zona de guerra.

Foi o início do fim da carreira de Freed, que em menos de um ano seria condenado por ganhar dinheiro para tocar determinados artistas em seu programa. Mas o estrago que foi feito na cidade a acompanhou por um bom tempo — um dos artistas mais conhecidos da cidade, o grupo Aerosmith, fazia mais shows na vizinha New Hampshire do que na própria cidade-natal.

Aerosmith em show na Califórnia, em 1974 / Foto: Getty Images
Aerosmith em show na Califórnia, em 1974 / Foto: Getty Images

Quem nasceu

1903 - Bing Crosby, cantor e ator norte-americano (m. 1977)

1919 - Pete Seeger, cantor, compositor e ativista norte-americano (m. 2014)

1926 - Jimmy Cleveland, trombonista norte-americano que tocou com Lionel Hampton, Miles Davis e James Brown (m. 2008)

1933 - James Brown, cantor e compositor norte-americano, o pai do funk (m. 2006)

1934 - Frankie Valli, cantor e líder do gruupo The Four Seasons

1938 - Agnaldo Rayol, cantor e compositor fluminense

1944 - Pete Staples, baixista da banda inglesa The Troggs

1951 - Christopher Cross, cantor e compositor norte-americano

1959 - David Ball, produtor e tecladista da banda inglesa Soft Cell

1969 - Jay Darlington, tecladista da banda inglesa Kula Shaker

1981 - Father John Misty, nascido Josh Tillman, ex-baterista do grupo norte-americano Fleet Foxes e atualmente cantor e compositor

Quem morreu

1987 - Dalida, nascida Iolanda Cristina Gigliotti, cantora ítalo-francesa (n. 1933)

1996 - Patsy Montana, nascida Ruby Rose Blevins, cantora norte-americana (n. 1908)

2001 - Billy Higgins, baterista norte-americano (n. 1936)

2011 - Odell Brown, tecladista norte-americano (n. 1940)

2014 - Bobby Gregg, baterista norte-americano (n. 1946)

Canais de Marcas

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest