Em 31 de maio de 1938, nasce Luís Carlos Miele
Especial

Em 31 de maio de 1938, nasce Luís Carlos Miele

Posso passar o parágrafo inteiro listando: produtor, ator, diretor, cantor, compositor, roteirista, humorista, assistente de câmera, escritor, radialista... Luis Carlos Miele, que nasceu em São Paulo no dia 31 de maio de 1938 e morreu no dia 14 de outubro de 2015, parecia um faz-tudo workaholic que não parava de trabalhar em shows, peças, programas de TV e espetáculos musicais que fizeram história no show business brasileiro. Mas, no fundo, era um bon vivant inveterado, um provocador profissional. Íntimo dos grandes ídolos de nossa cultura, ajudou vários deles a tomar novos rumos, sugerindo possibilidades inéditas e inusitadas.

Começou como ator-mirim ainda no rádio, atuando em radionovelas e em programas das rádios mais populares da capital paulista, nos anos 1950, principalmente na Tupi. Mudou-se para o Rio de Janeiro em 1959 e viveu o auge da bossa nova de perto, conhecendo seus principais protagonistas, com quem faria seus primeiros espetáculos. Associou-se ao letrista e produtor Ronaldo Bôscoli e começaram a produzir os primeiros "pocket shows", que fizeram a bossa nova ganhar um espaço que funcionaria como abre alas para a futura MPB: no lugar de orquestras e dezenas de músicos, bastavam dois ou três músicos e um intérprete. Desses formatos pularam para os espetáculos musicais, transformando alguns deles em programas de TV, durante os anos 1960.

Miele em participação em programa com Jô Soares / Foto: Divulgação / TV Globo
Miele em participação em programa com Jô Soares / Foto: Divulgação / TV Globo

Miele esteve à frente de programas que determinaram o curso da música naquela década. Desde programas bem comportados (como "Se Meu Apartamento Falasse", com Cyl Farney e Odete Lara, "Dick & Betty 17", com Dick Farney e Betty Faria, "Alô Dolly") até alguns mais ousados (como "O Fino da Bossa", com Elis Regina e Jair Rodrigues, "Noite de Gala", "Show em Simonal", "Cara & Coroa", com Dori Caymmi e Sílvia Telles).

Dirigiu shows de nomes como Roberto Carlos (o vestiu de palhaço num show clássico no Canecão, no Rio de Janeiro, nos anos 1970), Elis Regina, Wilson Simonal, Sergio Mendes, a família Caymmi, Emilinha, Marlene e Cauby Peixoto, Taiguara e Claudette Soares, Os Cariocas, Milton Nascimento, Marcos Valle, Joyce, Alcione, entre outros. Também esteve envolvido na produção de espetáculos musicais como "Spot Light", "Dzi Croquettes", "Chega de Saudade", "Vivendo Vinícius" e "Festival Internacional de Mágica", além de apresentar seus próprios programas de variedade em casas noturnas cariocas.

Multitalentoso, Miele era ator, roteirista, cantor, compositor... Um talento! / Foto: Divulgação / TV Globo
Multitalentoso, Miele era ator, roteirista, cantor, compositor... Um talento! / Foto: Divulgação / TV Globo

Embora mais conhecido de uma geração mais jovem pela exibição de seios de jovens modelos no programa "Coquetel", nos anos 1990 (que considerava o ponto mais baixo de sua carreira), Miele é um monstro sagrado de nosso show business, um herói da boemia que vivia a vida intensamente. Protagonizou histórias inacreditáveis - algumas também impublicáveis - envolvendo celebridades, e outras pitorescas, como o dia em que seu cachorro o atacou porque o médico o havia obrigado a parar de beber para tomar um certo remédio — e o cachorro não reconheceu o cheiro etílico habitaul do dono.

Além de sua relação intensa com a música (e especificamente com o período da bossa nova, que tratava com muito carinho), Miele também colecionava feitos históricos em outras áreas do entretenimento brasileiro, como a sucessão do posto de apresentador do fundador do programa "A Praça da Alegria", Manuel da Nóbrega, depois de sua morte, a direção dos musicais do programa "Fantástico", sendo responsável pelos primeiros videoclipes brasileiros, e a produção do programa de Flávio Cavalcanti, em que o apresentador quebrava os discos de artistas que não gostava.

E não podemos deixar de esquecer que, apesar da corrente que aponta "Deixa Isso Pra Lá", que Jair Rodrigues lançou em 1964, como primeiro rap da história, foi Miele quem trouxe o rap para a língua portuguesa pela primeira vez, quando transformou o hit "Rapper's Delight", da Sugarhill Gang, em "Melô do Tagerela", em 1980 — impagável!

Quem nasceu

1931 - Dick Garcia, guitarrista americano

1932 - Ed Lincoln, nascido Eduardo Lincoln Barbosa Sabóia, músico e produtor musical cearense (m. 2012)

1938 - Peter Yarrow, do grupo americano Peter, Paul and Mary

1948 - Paulinho da Costa, percussionista carioca

1948 - Mike Edwards, violoncelista do grupo americano Electric Light Orchestra (m. 2010)

1948 - John Bonham, baterista do grupo inglês Led Zeppelin (m. 1980)

1952 - Karl Bartos, compositor e músico do grupo alemão Kraftwerk

1956 - Fritz Hilpert, músico do grupo alemão Kraftwerk

1963 - Wendy Smith, guitarrista e vocalista da banda inglesa Prefab Sprout

1964 - DMC, nascido Darryl McDaniels, rapper do grupo americano Run-D.M.C.

1965 - Steve White, baterista do grupo inglês The Style Council

1973 - Marcelo Falcão, cantor e compositor do grupo carioca O Rappa

1980 - Andy Hurley, baterista do grupo americano Fall Out Boy

1991 - Azealia Banks, MC americana

Quem morreu

2000 - Johnnie Taylor, cantor americano (n. 1934)

2004 - Robert Quine, guitarrista americano que tocou com Lou Reed, Marianne Faithful e Tom Waits (n. 1942)

Canais de Marcas

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest