Em 8 de fevereiro de 1977, o Television lançava o clássico ‘Marquee Moon’
Especial

Em 8 de fevereiro de 1977, o Television lançava o clássico ‘Marquee Moon’

Publicidade

O auge do punk norte-americano aconteceu anos antes da explosão do punk inglês, versão que levou para o mundo os preceitos básicos do novo jeito de se fazer música que havia começado em Nova York na metade dos anos 1970. Nos Estados Unidos, o punk era uma turma de bandas desgarradas que não encontravam eco na cena musical da época, reunidos ao redor da casa noturna CBGB's, antigo bar de motoqueiros que aos poucos se tornaria a principal meca musical da cena punk daquele país. 

Grupos como Ramones, Blondie, Talking Heads e a cantora Patti Smith só começaram a tocar naquele lugar porque uma banda perguntou, em 1974, se poderia tocar nos domingos à noite, quando quase não tinha público. Esta mesma banda, três anos depois, seguiria sem gravar seu disco, provocando expectativa no público que crescia ao redor daquele movimento. Até que no dia 8 de fevereiro de 1977, o grupo norte-americano Television lançou seu primeiro álbum, o hoje clássico "Marquee Moon".

LEIA MAIS: O último show dos Sex Pistols foi em uma festa de Natal

CBGB: A meca do punk de NY foi fundada em 1973 e era um local conservador

O disco reunia canções épicas que pouco se assemelham à crueza associada ao punk. Os duelos de guitarras de seus dois principais instrumentistas, o líder e letrista Tom Verlaine e o ás do instrumento Richard Lloyd, estavam mais próximos dos solos enormes do Grateful Dead do que dos acordes secos dos Ramones. Porém, o ar niilista e urbano das canções e sua natural energia jovem eram as forças-motrizes por trás de um grupo que poderia ser o primeiro disco a ser lançado de sua geração, caso questões sonoras não entrassem em discussão.

Antes do primeiro trabalho de Patti Smith, o icônico "Horses", que inaugurou a geração CBGB's em disco em 1975, e antes das estreias dos Ramones e do Blondie, ambas de 1976, o Television quase foi lançado pela gravadora inglesa Island, que chamou o ex-Roxy Music Brian Eno para produzi-los. Eno produziria mais tarde clássicos dos Talking Heads e de David Bowie, mas sua experiência com o Television não foi bem sucedida — o líder do grupo achou o som abafado, as guitarras para dentro, sem brilho e sem melodia. Estas demos seriam pirateadas no futuro, e são a prova que Tom Verlaine estava certo.

Quando definiu a gravação do álbum de fato, que finalmente sairia pela gravadora Elektra, Verlaine optou por ele mesmo produzir o material, chamando um improvável Andy Johns para lhe auxiliar. Improvável porque Johns vinha de outra seara: ajudava Jimmy Page como engenheiro de som na produção dos discos do Led Zeppelin, esteve nas gravações dos discos mais ousados dos Rolling Stones ("Sticky Fingers" e "Exile on Main St."), além trabalhar com nomes como Humble Pie, Jethro Tull, Free e Blind Faith

Mas Verlaine sabia que o fazia e Johns deu às canções o verniz eterno que o grupo procurava, firmando não apenas "Marquee Moon" como um dos principais discos daquele ano, bem como uma das matrizes para o que hoje chamamos de indie rock, rock alternativo ou rock independente — além de parecer ter sido gravado ontem, de tão moderno, particular e atual. 

Quem nasceu

1946 — Adolpho De La Para, baterista mexicano da banda norte-americana Canned Heat 

1961 — Vince Neil, cantor da banda norte-americana Mötley Crue 

1968 — Tjinder Singh, líder da banda indo-britânica Cornershop

1974 — Guy-Manuel de Homem-Christo, metade da dupla francesa Daft Punk

1977 — Dave 'Phoenix' Ferrel, baixista do grupo norte-americano Linkin Park

1980 — Cameron Muncey, guitarrista da banda australiana Jet

1985 — Jeremy Davis, baixista do grupo norte-americano Paramore 

Quem morreu

1973 — Max Yasgur, fazendeiro, dono do terreno onde foi realizado o festival de Woodstock, nos EUA (n. 1919)

1990 — Del Shannon, cantor norte-americano (n. 1937)

2002 — Bob Wooler, DJ do Cavern Club (n. 1926)

2005 — Keith Knudsen, baterista, vocalista e compositor da banda norte-americana The Doobie Brothers (n. 1948)

2010 — Pena Branca, metade paulista da dupla sertaneja Pena Branca e Xavantinho (n. 1939)

2012 — Wando, cantor e compositor mineiro (n. 1945) 

Publicidade

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest