Em 8 de maio de 1911, nascia Robert Johnson
Especial

Em 8 de maio de 1911, nascia Robert Johnson

Publicidade

Poucos nomes sintetizam a história de um gênero como o cantor e compositor norte-americano Robert Johnson, que nasceu no dia 8 de maio de 1911. A lenda ao redor de seu nome o torna um dos maiores símbolos musicais de seu país e exprime uma série de referências associadas ao blues, tornando-o a grande referência do estilo, mesmo que parte de sua história seja envolta em mistérios e que haja pouquíssimos registros de sua existência.

LEIA MAIS: Em 19 de abril de 1937, a revista ‘Life’ descobre o bluesman Lead Belly

VEJA TAMBÉM: Disco 'perdido' de blues gravado por Cássia Eller e Victor Biglione continua fora de circulação

Johnson personificava a transição do blues das plantações norte-americanas para as novas metrópoles daquele país. O processo de industrialização dos EUA trouxe a antiga mão de obra escrava para a cidade grande e aquela nova musicalidade, surgida nas plantações de algodão do sul do país, adaptava-se à vida urbana. 

Nascido no Mississipi e com fama na região do delta daquele rio, Robert Johnson reunia uma série de transformações que haviam acontecido com o blues no início do século XX, desde a afinação do violão à estrutura e aos temas das canções, passando pelo zelo pela própria reputação e a fama que cresceu com sua morte prematura. Johnson se tornaria influente principalmente após seu desaparecimento, em 1938.

Apesar de ter sido uma lenda do blues, Robert Johnson ficou mais conhecido após sua morte / Foto: Reprodução
Apesar de ter sido uma lenda do blues, Robert Johnson ficou mais conhecido após sua morte / Foto: Reprodução

Antes disso participou de apenas duas sessões de gravação, uma em novembro de 1936, em San Antonio, e a outra em julho de 1937, em Dallas, em estúdios improvisados por caçadores de talentos. Nas duas gravações, registrou pouco mais que quarenta versões de vinte e nove diferentes composições próprias, poucas delas lançadas em compactos logo após serem gravadas. Além destes parcos registros sonoros, seus registros visuais eram ainda mais escassos: só existem duas fotos do cantor e compositor.

Mas a principal lenda ao redor de sua carreira é a de que teria feito um pacto com o demônio para se tornar um músico tão talentoso. Segundo a lenda, Robert teria ido a uma encruzilhada à noite, onde encontrou um homem, que o perguntou o que ele queria com a música. A resposta foi precisa: fazer sucesso. A aparição teria afinado o violão de Johnson, o que teria o tornado um músico e compositor fora do comum — e também cobrado sua vida de forma prematura, além de ter sido a inspiração para sua faixa "Me and The Devil Blues".

A morte de Robert Johnson só seria confirmada trinta anos após seu desaparecimento, quando o pesquisador Gayle Dean Wardlow encontrou seu atestado de óbito, em 1968. Antes disso, nomes como o produtor John Hammond e o musicólogo Alan Lomax tentaram registrá-lo, no início dos anos 1940, sem nem saber que ele já havia morrido. Isso aconteceu quando sua fama passou a crescer, funcionando como a principal influência para a geração do blues de Chicago, liderada por Muddy Waters nos anos 1950.

O disco "King of the Delta Blues Singers" — uma compilação com algumas de suas poucas gravações, lançado em 1961, funcionou como a pedra fundamental para o blues elétrico que surgiu na Inglaterra no início daquela nova década. Bandas como Rolling Stones, Led Zeppelin, Cream, Yardbirds, entre outras, regravaram versões de músicas de Johnson que fizeram o blues atravessar a segunda metade do século XX como um gênero cada vez mais popular — aumentando a fama e o sucesso de Robert Johnson, que seria a primeira vítima da maldição dos 27 anos, que incluiria outros ícones do rock mortos com aquela mesma idade, como Jim Morrison, Jimi Hendrix, Brian Jones, Janis Joplin, Kurt Cobain e Amy Winehouse — todos eles, direta ou indiretamente, influenciados por Robert Johnson.

Quem nasceu

1940 - Ricky Nelson, cantor e compositor norte-americano (m. 1985)

1943 - Paul Samwell-Smith, baixista do grupo inglês The Yardbirds

1943 - Toni Tennille, cantora, compositora e tecladista da dupla norte-americana The Captain and Tennille

1943 - Danny Whitten, guitarrista, cantor e compositor norte-americano, tocou com o Crazy Horse de Neil Young (m. 1972)

1944 - Bill Legend, músico e ex-baterista do grupo inglês T. Rex

1944 - Gary Glitter, nascido Paul Francis Gadd, cantor e compositor inglês 

1951 - Chris Frantz, baterista do grupo norte-americano Talking Heads

1951 - Philip Bailey, cantor e compositor do grupo norte-americano Earth, Wind & Fire

1953 - Alex Van Halen, baterista holandês do grupo norte-americano Van Halen 

1964 - Dave Rowntree, baterista do grupo inglês Blur 

1975 - Enrique Iglesias, cantor, compositor e ator espanhol

1980 - Mariana Aydar, cantora paulistana

Quem morreu

1967 - LaVerne Sophia Andrews, vocalista do grupo norte-americano The Andrews Sisters (n. 1911)

1968 - George Dewey Hay, fundador do programa de rádio country Grande Ole Opry (n. 1895)

1974 - Graham Bond, músico inglês considerado o pai da cena de blues elétrico em seu país nos anos 1960 (n. 1937)

1982 - Neil Bogart, fundador da gravadora Casablanca Records, que lançou o Kiss e clássicos da disco music (n. 1943)

1999 - Leon Thomas, cantor norte-americano (n. 1937)

2008 - Eddy Arnold, cantor norte-americano (n. 1918)

2014 - Jair Rodrigues, cantor e compositor paulista (n. 1939)

Publicidade

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest