Eric Clapton: conheça os 10 melhores feat. do guitarrista em sua longa carreira
Entretenimento

Eric Clapton: conheça os 10 melhores feat. do guitarrista em sua longa carreira

Eric Clapton completa 75 anos neste 30 de março de 2020. Um dos melhores e mais importantes guitarristas do mundo, o inglês é referência no instrumento, seja em carreira solo ou tocando com os grupos Yardbirds, Bluesbreakers, Cream, Blind Faith e Derek & The Dominos. Além disso, sua trajetória tem muitas colaborações que marcaram para sempre a sonoridade de faixas dos Beatles, de Aretha Franklin (1942-2017) e tantos outros.

O site "Guitars Exchange" destaca que Eric é um dos nomes mais comentados dentro de seu conteúdo e aproveita para listar dez "feat." dele entre 1967 e 1974 (quando, obviamente não se usava esse termo para definir participações especiais) — incluímos também seu marcante solo em uma canção de Phil Collins. Veja a lista:

Aretha Franklin — 'Good To Me As I Am Good To You' (1967)

Músico do Cream na época, Eric ficou radiante com o convite de Ahmet Ertegun, fundador da Atlantic Records, para participar de uma faixa do álbum de Aretha Franklin. Mas o jovem músico, de 22 anos, também ficou temeroso e preferiu não gravar sua participação com os outros músicos. Não adiantou "fugir", pois no dia de sua gravação, a própria Aretha estava lá, acompanhada pelo cantor e guitarrista Bobby Womack (1944-2014). A cantora achou engraçado o visual do jovem ainda desconhecido, de calças rosas e cabelo desgrenhado, mas a impressão logo virou admiração. Bobby, por sua vez, foi testemunha de uma aula de blues feita por um garoto branco.

The Beatles - 'While My Guitar Gently Weeps' (1968)

Sem dúvida, a colaboração mais famosa de sua carreira e uma das poucas canjas em discos oficiais dos Beatles. E olha que ele nem recebeu crédito! George Harrison (1943-2001) recorreu ao amigo para gravar a faixa que Paul McCartney e John Lennon (1940-1980) não estavam com muita boa vontade de incluir no "White Album" — só para lembrar, das 30 faixas, só quatro são de George. Com certeza absoluta que sua música tinha potencial, George chamou Eric para o estúdio, avisando que não precisava levar guitarra. "Eu tenho uma boa Les Paul que você pode usar", disse. Era a "Lucy", a 'Les Paul Red 57 que Eric havia lhe dado de presente um mês antes.

George Harrison - 'I'd Have You Anytime' (1970)

O álbum "All Things Must Pass", terceiro álbum solo de George e primeiro pós-separação dos Beatles, serviu de inspiração a criação de Derek & The Dominos, com Eric, o baixista Carl Radle, o pianista Bobby Whitlock e o baterista Jim Gordon. As primeiras notas da faixa, uma parceria de George com Bob Dylan, já mostram a mágica de Eric, similar ao estilo do amigo e, ao mesmo tempo, mantendo-se fiel à música em vez de querer se destacar.

Jackie Lomax - 'Sour Milk Sea' (1968)

A amizade entre Eric e George foi uma das mais lucrativas da história do rock. Assim que a Apple abriu sua divisão de música, George começou a produzir os primeiros artistas contratados, como a cantor e compositor inglês Jackie Lomax (1943-2013). Deu a ele "Sour Milk Sea", composta durante a viagem dos Beatles à Índia, e que não havia entrado no "White Album". No final de junho de 1968, ele reuniu músicos mais do que renomados para a gravação: Paul no baixo, Ringo Starr na bateria, o próprio George na guitarra e o pianista Nicky Hopkins (1944-1994), craque de sessões com The Who, Rolling Stones e Beatles — Eric foi convidado para substituir John. Por incrível que pareça, a canção não chegou a ser um grande sucesso.

Delaney & Bonnie - 'Groupie (Superstar)' (1969)

Um dos momentos importantes na carreira de Eric foi quando ele ouviu o álbum "Music From Big Pink", da The Band. Ele admirava a simplicidade, que dispensava "solos de guitarra longos e chatos sem motivo", segundo ele. Algo similar encontrado no trabalho do Delaney & Bonnie and Friends, banda de onde sairiam os futuros membros de Derek & the Dominos e o pianista Leon Russell. Coincidindo com a época em que ele passou a tocar Fender em vez de Gibson, além de trocar também seus amplificadores para Fender, deixando de lado os Marshall, ele gravou com Delaney Bramlett e Bonnie Bramlett no single que tinha "Comin' Home" e "Groupie (Superstar)". O lado B acabaria se tornando um clássico depois do registro dos Carpenters.

Leon Russell — 'Prince of Peace' (1969)

Leon Russell (1942-2016) foi um dos músicos de estúdio de maior destaque nos anos 1960, fazendo parte do The Wrecking Crew, um requisitado coletivo de músicos baseados em Los Angeles. Sua amizade com George e Eric, que ele conheceu durantes as gravações com Delaney & Bonnie, deu um impulso em sua carreira. Seu álbum de estreia teve uma invejável lista de convidados — George, Mick Jagger, Ringo Starr, Stevie Winwood, Joe Cocker foram alguns. Ainda assim, foi Eric que se destacou em "Prince of Peace" (parceria de Leon com Greg Dempsey), numa performance inspirada.

Stephen Stills — 'Go Back Home' (1970)

Eric gravou seu primeiro disco solo entre novembro de 1969 e março de 1970, apoiado pelos músicos de Delaney & Bonnie e particicipação de Stephen Stills. Em junho de 1970, quando ele começou a gravar seu próprio álbum, Eric retribuiu tocando em "Go Back Home", música que abre como uma jam e, no final, Eric manda um solo impressionante com sua guitarra Brownie, uma Fender Stratocaster que marcaria essa fase da carreira.

Freddie King —'Sugar Sweet' (agosto de 1974)

Clapton tocou com praticamente todos os seus ídolos do blues, como Buddy Guy, Albert Collins, B.B. King e Howlin 'Wolf. Uma de suas grandes emoções foi estar ao lado de seu mestre Freddie King (1934-1976), no álbum "Burglar" do guitarrista e cantor. Os dois excursionaram juntos, e Clapton diz que com Freddie "aprendeu a fazer amor" com a guitarra. Na época, o britânicohavia acabado de superar o vício em drogas e tinha dado a volta por cima com o álbum "461 Ocean Boulevard". O funk "Sugar Sweet" ganhou um solo e tanto de sua Fender "Blackie".

Doris Troy — 'Give Me Back My Dynamite' (1969)

A cantora de soul ganhou destaque em 1963 com o sucesso "Just One Look", mas perdeu influência no final da década, quando mudou-se para a Inglaterra. Na terra da Rainha, Doris Troy (1937-2004) encontrou reconhecimento de várias bandas, incluindo os Rolling Stones em sua "You Can’t Always Get What You Want". Em uma ocasião, ela foi convidada para as sessões de gravação de "That's The Way God Planned It", de Billy Preston, na Apple. George estava por lá e aproveitou não só para dizer o quanto era seu fã como oferecer um contrato. Para seu primeiro disco, o tecladista se dedicou à produção, à composição (como em "Give Me Back My Dynamite", parceria dos dois) e a levar alguns amigos ao estúdio, como Eric, que brilha na faixa blues.

Phil Collins — 'I Wish It Would Rain Down' (1989)

O álbum "... But Seriously", estreia solo de Phil Collins em 1989, tem esse grande sucesso que alcançou o terceiro lugar na Billboard Hot 100 nos Estados Unidos e a 7ª posição no ranking de singles do Reino Unido. Phil disse, na época, que era a música em que mais havia se aproximado de um blues e talvez por isso tenha convidado Eric a tocar a guitarra. "Eu disse: 'Eric, nunca te pedi para tocar? Vamos lá, eu tenho uma música que tem tudo a ver com você'", disse, para convencer o guitarrista. Phil produziu, três anos antes, o bem sucedido álbum "August", de Eric.

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest