Estudo revela o poder da música para induzir o sono
Tecnologia

Estudo revela o poder da música para induzir o sono

Publicidade

Um novo estudo mostra que muitas pessoas usam a música para combater a insônia e que esse pode ser um santo remédio. A dificuldade para dormir é um problema sério, relacionado a diversas consequências físicas e econômicas, e a música pode ser um tratamento terapêutico barato e que dispensa medicamentos.

SAÚDE: Escutar canções de yoga antes de dormir pode prevenir ataques cardíacos fatais 

MENTE SÃ: Ouvir música durante exercícios pode ajudar a evitar a fadiga

Na pesquisa, comandada pela Dra. Tabitha Trahan e seus colegas da Universidade de Sheffield, no Reino Unido, 651 pessoas responderam a um questionário sobre hábitos de sono e respostas abertas sobre qual tipo de música ajuda na hora de dormir e o porquê.

62% dos entrevistados afirmaram usar música para ajudar a induzir o sono, apontando 14 gêneros musicais e 545 artistas. Até mesmo quem não sofre de distúrbios de sono ouvem alguma canção para melhorar a qualidade e a experiência de dormir. Os mais jovens são mais propensos a lançar mão de seus artistas favoritos quando deitam. 

Os participantes acreditam que a música bloqueia estímulos internos e externos que, de outra forma, prejudicariam o sono. “A maior pesquisa do uso cotidiano da música para o sono revela múltiplos caminhos que vão muito além do relaxamento. Estes incluem mascaramento auditivo, hábito, paixão pela música e distração mental”, concluíram os pesquisadores.

"Este trabalho oferece uma nova compreensão sobre as motivações complexas que levam as pessoas a buscar a música como uma ajuda para dormir e as razões pelas quais tantas a consideram eficaz". O estudo, porém, baseou-se em respostas auto-relatadas e só pôde investigar as crenças dos participantes sobre como a música os ajudava a dormir, em vez de tirar conclusões sobre os efeitos fisiológicos e psicológicos da música, observaram os pesquisadores. Os participantes também se voluntariaram a participar do estudo, e isso deve ter atraído consumidores usuais de música.

As informações são do "Psych Central".

Publicidade

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest