John Lennon: exposição em São Paulo conta trajetória do beatle a partir de olhar íntimo do fotógrafo Bob Gruen
Entretenimento

John Lennon: exposição em São Paulo conta trajetória do beatle a partir de olhar íntimo do fotógrafo Bob Gruen

A exposição “John Lennon em Nova York por Bob Gruen”, que abre para público nesta sexta-feira (13/3) no MIS de São Paulo, no Jardim Paulista, comemora os 80 anos de nascimento e 40 anos de legado de John Lennon (1940-1980). São 130 imagens do músico feitas pelo fotógrafo Bob Gruen, que registrou incontáveis momentos da vida do Beatle desde a chegada à cidade em 1971 até sua morte em 1980. E é essa cumplicidade que move a exposição que tem curadoria de Ricardo Alexandre, jornalista e colaborador do Reverb, onde assina a coluna “Na BR-3”.

"John foi um ícone da moda e da cultura pop, então imagine a importância que a fotografia tinha para ele", destaca Ricardo, que foi convidado para fazer a curadoria da exposição para dar um diferencial em relação ao que já havia sido exibido no exterior.

O olhar íntimo de Bob no dia a dia de Lennon é destaque na exposição. Foto: Bob Gruen/Divulgação
O olhar íntimo de Bob no dia a dia de Lennon é destaque na exposição. Foto: Bob Gruen/Divulgação

Com um nome que remete a um livro de Bob Gruen, "John Lennon – The New York Years", lançado em 2005, a exposição foi montada anteriormente em algumas cidades, como Nova York e Buenos Aires. "Só que eram propostas bem diferentes, apesar de terem o mesmo material. Eu fui chamado pra aplicar esse diferencial e minha ideia era criar um novo roteiro a partir do conjunto inicial de 130 imagens, que é o melhor do trabalho dele com Lennon", conta Ricardo sobre a exposição que ocupa dois andares do MIS.

O critério escolhido para a montagem da exposição foi a intimidade de Bob com Lennon. "É como uma chave para o visitante, trazer ele para o ponto de vista que ninguém mais teve, que foi o do fotógrafo. Daí, subdividimos essa grande história de Lennon em Nova York em sete áreas, levando em conta suas várias fases e guinadas importantes na carreira", explica o curador, destacando a importância do fotógrafo, hoje com 75 anos, na vida de Lennon e na história do rock. Bob começou a carreira fotografando Ike & Tina Turner em 1970 e não parou mais: The Clash, Ramones, Sex Pistols, Blondie, Led Zeppelin, The Who, David Bowie, Elton John, Alice Cooper, Green Day e muitos outros foram captados por suas lentes.

Logo após Lennon e Yoko Ono se mudarem para Nova York em 1971, Bob se tornou seu fotógrafo e amigo pessoal. Os registros foram muito além de ensaios profissionais, revelando momentos preciosos da vida pessoal ao lado da família e amigos, como Elton John, Bowie e Mick Jagger e dele em recantos da cidade, resultando em momentos históricos e também levando o visitante a lugares onde ninguém mais esteve.

Bob fotografou Lennon (aqui com Yoko Ono) em vários recantos de Nova York. Foto: Bob Gruen/Divulgação
Bob fotografou Lennon (aqui com Yoko Ono) em vários recantos de Nova York. Foto: Bob Gruen/Divulgação

"A ideia é priorizar o ponto de vista pessoal de Bob para recuperar a importância desses momentos de Lennon. O fato dele ter abandonado a Inglaterra para nunca mais voltar não é uma coisa irrisória, é muito importante e significativo. A gente tentou recuperar a vivacidade desses movimentos, quando ele se separa da Yoko, o envolvimento político nos Estados Unidos, os cinco anos em que parou de tocar, abandonando a carreira artística... Tudo está contado nessa exibição", fala Ricardo.

Entre o material, Ricardo destaca as fotos que revelam essa parceria artista-fotógrafo nos bastidores, como uma em que ele usa uma camiseta escrita New York City. "Enquanto fazia uma sessão de fotos de divulgação, com takes bem abertos mostrando pontos turísticos da cidade, Bob lembrou que tinha dado uma dessas camisetas de turista pro Lennon um tempo antes. Ele correu para pegar a roupa e ainda teve a ideia de fazer uma pose no exato local onde disse ter avistado um Ovni", conta.

Lennon com a camiseta que foi presente de Bob. Foto: Bob Gruen/Divulgação
Lennon com a camiseta que foi presente de Bob. Foto: Bob Gruen/Divulgação

O curador diz que o trabalho tem a preocupação de se se comunicar tanto com o fã mais ardoroso de Lennon quanto com o "neófito". "A exposição traz o registro de uma fase pouco explorada da cultura pop através das várias histórias que a gente está contando, tanto sob a ótica da relação de Lennon com Nova York quanto a do fotógrafo com ele. Então, é algo atrativo para ambos os públicos", diz Ricardo.

“John Lennon em Nova York por Bob Gruen” tem ainda várias atividades paralelas, como mostra de filmes e programa educativo, e outras digitais. Vídeos especiais no canal do MIS no Youtube e playlists feitas pelo próprio Bob Gruen no Spotify são alguns dos materiais disponibilizados. A mostra fica em cartaz em São Paulo até 7 de junho e, por enquanto, não há itinerância anunciada para outras cidades brasileiras.

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest