Fãs de death metal são mais felizes e pacíficos, diz estudo
Tecnologia

Fãs de death metal são mais felizes e pacíficos, diz estudo

Publicidade

Um estudo australiano realizado na universidade MacQuarie revelou o que pouca gente acredita: fãs de death metal, um subgênero do heavy metal, são mais propensos a sentirem felicidade profunda, paz e poder. Pesquisadores da instituição aplicaram testes psicológicos nos participantes enquanto escutavam a faixa "Eaten" da banda Bloodbath (pois é, banho de sangue, em tradução livre...). Vale ressaltar que apenas 32 das 80 pessoas avaliadas eram fãs convictas do estilo musical. 

LEIA MAIS: Tubarões amam death metal? Documentário revela que o gênero simula sons de peixes em apuros

VEJA TAMBÉM: Slipknot: A evolução e a história por trás das máscaras da banda

O artigo científico foi publicado no site "Royal Society Publishing". Ele é de autoria dos pesquisadores Yanan Sun, Xuejing Lu, Mark Williams e William Forde Thompson. Eles descobriram que os participantes que não estavam familiarizados com o gênero acharam a música "desconfortável", como se experimentassem "tensão, raiva e medo". Já os que estavam familiarizados sentiram "paz, alegria e extrema felicidade". Além do mais, os especialistas observaram que fãs deste subgênero do heavy metal são pessoas sensíveis a imagens violentas ou brutas, mesmo que muitas letras de canções do tipo representem o contrário. 

Bill Thompson é professor australiano envolvido em pesquisas sobre os efeitos emocionais da música nos humanos. Procurado pela "BBC" para falar sobre seu trabalho, semelhante ao que foi desenvolvido na universidade MacQuarie, ele disse: "Fãs de death metal são pessoas legais. Eles não vão sair na rua e ferir qualquer um por nenhum motivo".

Em vez de deixar os fãs se sentindo hostis, o death metal os ajuda a descarregar ou distrair de seus próprios sentimentos negativos, aumentar os níveis de energia e gerar estados emocionais poderosos e viscerais

"Muitas pessoas gostam de músicas tristes, mas isso é um paradoxo — por que queremos nos sentir mal de vez em quando? O mesmo pode ser dito sobre músicas que falam sobre temas agressivos e violentos. Para nós, esse é um paradoxo psicológico. Como cientistas, temos curiosidade neste tema. Ao mesmo tempo, reconhecemos que a violência na mídia é um problema social extremamente significante", continuou.

Ao site "The Conversation", Bill deu mais detalhes de sua opinião sobre o tema: "Em vez de deixar os fãs se sentindo hostis, o death metal os ajuda a descarregar ou distrair de seus próprios sentimentos negativos, aumentar os níveis de energia e gerar estados emocionais poderosos e viscerais".

No que diz respeito à reação negativa das pessoas que não conhecem o subgênero, ele observou: "O incômodo parte principalmente por conta das letras violentas, e muitas vezes misóginas. Elas normalmente carecem de um contexto narrativo e de um ponto de vista moral que justifiquem suas representações seja no meio que for: na música, cinema ou teatro".

Para o pesquisador, apesar de estas letras abordarem assuntos tão pesados, elas não implicam negativamente na experiência dos fãs dessa vertente do rock. "Muitos deles desconsideram a letra ou simplesmente entendem o que elas querem passar. No geral, sentem que esse tipo de música é empoderadora", finalizou Bill.

Publicidade

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest