‘Frank Ocean dos anos 1970’ ficou preso por 31 anos e não viu sua música virar referência no hip-hop
Inspiração

‘Frank Ocean dos anos 1970’ ficou preso por 31 anos e não viu sua música virar referência no hip-hop

Norman Whiteside era um cantor de soul nos anos 1970. Talentoso e esforçado, reuniu amigos músicos em um coletivo chamado Wee e lançou um LP de nove músicas chamado “You Can Fly On My Aeroplane”. O álbum tinha todo potencial para estourar nos Estados Unidos, não fosse a implicância de grandes gravadoras com seu conteúdo “muito de esquerda”. As melodias, que soavam como uma mistura de Stevie Wonder e Sly Stone, nunca estouraram e Norman, após tantos “nãos”, acabou se envolvendo com o mundo do crime para conseguir sobreviver. Foi sentenciado a 37 anos de prisão, dos quais cumpriu 31. Em uma história digna de cinema, enquanto esteve preso, teve sua música redescoberta por nomes como Kanye West e Frank Ocean.

"Apenas quatro artistas negros tinham os meios ou a liberdade para criar soul conceitual nos anos 1970: Stevie Wonder, Isaac Hayes, Sly Stone e Norman Whiteside", conta Rob Sevier, co-fundador do selo Numero Group, de Chicago, ao “Dazed”. Nos últimos 15 anos, Sevier e a gravadora dedicaram esforços para dar uma nova chance à música negra que não atingiu as massas na época em que foi lançada. Entre elas, estava o álbum do Wee, liderado por Norman. "Eu sei que as pessoas já ouviram falar nos três primeiros, mas por que eles nunca ouviram nada sobre Norman?", questiona o produtor, que chama Whiteside de “Frank Ocean dos anos 1970”.

O que mudou a vida de Norman foi o verão de 1976. Whiteside tinha 22 anos e já demonstrava potencial artístico. Com o Wee, gravou “You Can Fly On My Aeroplane”, que foi lançado no ano seguinte por um selo independente. O álbum só foi produzido graças a uma amiga que era prostituta e tinha entre seus clientes políticos, traficantes e gângsteres, que financiaram o projeto à pedido dela. Norman tinha certeza que o trabalho mudaria o curso da música negra. Entretanto, as negativas de grandes gravadoras o fizeram desistir da arte e recorrer ao crime.

Eu sei que as pessoas já ouviram falar nos três primeiros, mas por que eles nunca ouviram nada sobre Norman?

Em 3 de abril de 1985, Whiteside foi mandado para a prisão por falsificação e envolvimento na morte de uma jovem estudante de 18 anos. Laura Carter foi atingida por uma bala perdida ao ficar no fogo cruzado em uma briga de gangues em 1982. A polícia atestou que Whiteside não estava presente na cena do crime, mas afirmou que ele esteve envolvido na compra da arma que matou a moça, fato que ele sempre negou.

Em 2008, enquanto Whiteside ainda estava na cadeia, convencido de que sua música seria ignorada para sempre, o selo Numero Group se aproximou dele com a promessa de tentar levar “You Can Fly” a uma geração nova de ouvintes ao relançá-lo em vinil e nas plataformas de streaming. A música de Norman atingiu não um público qualquer, mas passou a ser referência para artistas importantes do hip-hop.

O primeiro a usar a música de Whiteside foi o rapper Jay Electronica. Ao colocar samples da música “Aeroplane Reprise” em sua faixa “Fat Belly Bella”, que compôs para Erykah Badu, sua então namorada, Electronica chamou a atenção de Kanye West. Ye se interessou pelo material e usou o mesmo sample na faixa “Bound 2”, do álbum “Yeezus”. A vitrine dada por Kanye à música de Norman fez produtores do mundo do hip-hop mergulharem a fundo no trabalho do Wee.

A bola de neve chegou ao alcance máximo quando Frank Ocean, por intermédio de um produtor, foi apresentado a “You Can Fly On My Aeroplane” durante a produção de seu álbum "Endless". A música “I Think I'm In Love With You Baby”, gravada rusticamente com voz e piano de Whiteside chamou a atenção de Frank e acabou sendo introduzida no interlúdio "A Certain Way”.

A vida de Whiteside mudou para melhor quando "Bound 2" foi indicada ao Grammy de 2014. Ele estava listado como co-autor da música e soube disso ainda na cadeia. "Os guardas acharam que eu estava maluco quando disse que tinha sido indicado ao Grammy”, contou em entrevista também ao Dazed.

Whiteside foi solto há menos de dois anos. Tem 64 anos e não transparece ter raiva do que viveu. É um senhor alegre que quer seguir a vida, mesmo com os percalços que o acometeram.

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest