Geddy Lee: no Dia do Holocausto, as memórias do músico, filho de sobreviventes de Auschwitz
Inspiração

Geddy Lee: no Dia do Holocausto, as memórias do músico, filho de sobreviventes de Auschwitz

No dia em que os 75 anos da abertura dos portões de Auschwitz são lembrados, vale rememorar a história do líder do Rush, Geddy Lee. Para ele, nunca houve mistério em torno das experiências de sua família nos campos de concentração nazistas durante o Holocausto. Seus pais sobreviveram a dois dos mais cruéis campos de extermínio nazistas: Auschwitz e Bergen-Belsen. Os filhos também nunca puderam esquecer.

Em entrevista à rádio Q1043 de Nova York, por ocasião do Dia do Holocausto do ano passado, Geddy Lee disse que é grato por conhecer a história de seus pais porque, quando criança, foi assombrado por ela. "Minhas primeiras lembranças são de minha mãe falando sobre a guerra, Hitler e do que havia acontecido com sua família", explicou Lee. "Meu pai morreu quando eu tinha 12 anos e não falou muito sobre esse período. Mas lembro-me de minha mãe constantemente reforçando a ideia de que tínhamos que manter a família unida porque essas coisas terríveis podem voltar a acontecer", contou.

Lee lembra que sua mãe e avó repassavam a história da família em detalhes brutais e brinca que "poderia ter tido problemas mentais" com base em todo o medo e violência que ele aprendeu ainda tão pequeno.

"Ela compartilhava tudo o que experimentava. O que me deu pesadelos quando criança, e tenho certeza que meu irmão e minha irmã sentiam a mesma coisa. Meu irmão até era jovem demais para lembrar muito disso, mas minha irmã é dois anos mais velha que eu. Então, crescemos com o mesmo horror que nossa mãe e nos sentimos abençoados por ainda tê-la em nossas vidas", conta Lee.

O músico diz que a história do Holocausto de sua família é marcante e proporcionou coisas positivas em sua vida, como uma melhor compreensão de sua família, amizades com outros filhos de sobreviventes e inspiração para um punhado de músicas.

Ele também diz que sua mãe é responsável por ensinar a ser ético profissionalmente, o que o ajudou a ter sucesso na música, e uma mente "liberal", que permitiu que abraçasse e compreendesse outras culturas em suas viagens pelo mundo.

"Alguns pais não gostam de reviver o passado", disse ele. "Sou grato por minha mãe por não ter medo de fazer isso porque cresci com uma perspectiva melhor das coisas", finalizou Lee.

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest