Adam Schlesinger: 10 canções geniais que o músico morto por Covid-19 criou para séries, filmes e bandas
Entretenimento

Adam Schlesinger: 10 canções geniais que o músico morto por Covid-19 criou para séries, filmes e bandas

O compositor, cantor e produtor Adam Schlesinger morreu na noite de quarta-feira (1º/4), aos 52 anos, devido a complicações do coronavírus. Um verdadeiro mestre de canções pop cativantes, ele liderou a banda Fountains of Wayne — que, apesar de ter muitos hits ótimos, é conhecida por "Stacy's Mom". Mas seu trabalho de maior destaque foi como o de compositor de trilhas para cinema e, principalmente, TV.

"Se você está trabalhando em um filme, programa de TV ou algo similar, você realmente tem que saber o que se passa na mente das pessoas para poder compor as músicas", disse Adam à "Pop Matters" em 2010. É fácil perceber que isso nunca foi uma dificuldade para ele, que colaborou com Rachel Bloom nas músicas vencedoras do Emmy da série musical "Crazy Ex- Girlfriend" e criou "That Thing You Do!", música-tema do filme "The Wonders — O Sonho Não Acabou", estreia de Tom Hanks na direção cinematográfica. Monkees, Click Click e Jonas Brothers foram apenas alguns que gravaram suas composições. Veja uma lista com dez de suas principais canções:

'Pop! Goes My Heart' ('Letra e Música', 2007)

"Pop! Goes My Heart" é cantada por Hugh Grant, que interpreta nessa comédia romântica o cantor da banda PoP!, livremente baseado no duo Wham!, de George Michael e Andrew Ridgeley. Numa clara paródia da década de 1980, a música e o videoclipe são estridentes e hilários.

'Work to Do' ('Letra e Música', 2007)

'PoP! Goes My Heart' pode até receber mais atenção na trilha sonora, mas o destaque musical secreto é essa joia que toca nos créditos finais. Com estrutura e produção perfeitas, Adam parece ter dado um presente para os roqueiros americanos dos anos 70. Ele deu para o America gravar e, inacreditavelmente, ficou fora da trilha sonora oficial do filme.

'Way Back Into Love' ('Letra e Música', 2007)

Como a faixa-título "That Thing You Do!", essa balada segura repetidas performances de Hugh Grant e Drew Barrymore — ela é sua improvável colaboradora em uma nova música para uma estrela pop. Ela tem que funcionar em várias interações, incluindo a gravação demo embrionária dos protagonistas e ser o produto final de uma história sobre o ofício de composição, de forma melancólica e inteligente.

'You Stupid B--ch' ('Crazy Ex-Girlfriend', 2016)

"Você arruinou tudo, seu idiota/você é apenas um idiota mentiroso que arruina as coisas e quer que o mundo queime." Os versos parecem perfeitos para algo mais ousado, mas em uma balada de piano cantada por uma cantora glamourosa? E mais, referindo-se a si própria? A série realmente consegue explora as profundezas desconfortáveis da auto-aversão e fazer o espectador rir sem parar. E Adam mergulha no clima com composições divertidíssimas cantadas por Rachel Bloom, co-criadora da série e intérprete da personagem principal, Rebecca Nora Bunch.

'I'm A Good Person' (Crazy Ex-Girlfriend)

O tema foi cantado pela personagem Rebecca para bradar que ela era melhor do que todos os outros. Isso ocorreu porque Greg (Santino Fontana) a chamou de má depois que ela arruinou um encontro. Foi cantada na primeira temporada, no episódio onde ela entra com tudo em um bar e desafia o caluniador e pede, "educadamente" com uma faca na mão, para os frequentadores confirmarem que ela é uma boa pessoa. É uma espécie de hino satírico da era das redes sociais, em que a sinalização de virtude virtual raramente tem base em comportamentos reais.

'The Math of Love Triangles' ('Crazy Ex-Girlfriend', 2016)

Rebecca volta ao glamour para interpretar a canção que tem inspiração no filme "Os Homens Preferem As Louras", com Marilyn Monroe. A paródia reproduz a famosa cena em que a atriz canta cercada por admiradores — só que no original, Marilyn veste rosa e, na série, tanto o vestido como o cenário são azuis.

'That Thing You Do!' ('The Wonders - O Sonho Não Acabou', 1996)

A música do filme dirigido por Tom Hanks é mais do que apenas uma música-tema: é um personagem central, uma sequência de ação e de uma história de amor. Um síntese perfeita dos anos 1960.

'Denise', do Fountains of Wayne ('Utopia Parkway', 1999)

Essa baladinha com sintetizadores parece mais boba e extravagante do que substancial, mas é um ótimo exemplo de como Adam, aparentemente sem esforço, poderia escrever uma melodia pop de deixar qualquer um de queixo caído.

'Sink To The Bottom', do Fountains of Wayne ('Fountains of Wayne', 1996)

"Sink to the Bottom" não ficou bem posicionada nas paradas dos Estados Unidos, mas foi relativamente bem no Reino Unido, chegando ao 42º lugar e alcançando o top 10 na Finlândia. "Eu acho que o número 7 na Finlândia é literalmente cerca de mil discos, então estamos vivendo disso há um tempo", ironizou Adam na época. Deixando de lado sua autodepreciação, é difícil pensar em uma música melhor para tocar nas rádios naquele final dos anos 1990.

'Kind Of A Girl', do Tinted Windows ('Tinted Windows', 2009)

Combine membros de Cheap Trick, Smashing Pumpkins, Hanson e Fountains of Wayne — com seus hits inegáveis — e é impossível que saia ao menos um grande clássico. A superbanda, que contou com Adam no baixo, tem "Kind of a Girl", um hino apaixonante e enérgico.

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest