George Clinton, aos 78 anos, faz turnê de despedida com filhos e netos na banda
Entretenimento

George Clinton, aos 78 anos, faz turnê de despedida com filhos e netos na banda

Publicidade

George Clinton, pai do P-funk, vertente psicodélica do funk, está prestes a se aposentar dos palcos aos 78 anos. Mas não antes de se despedir à altura, com uma turnê final pelos EUA acompanhados dos filhos e netos na banda, a Parliament

"É muito louco, as coisas estão ficando quentes. A banda está ótima, os shows estão lotados. É uma grande chance de ver o que a nova geração está fazendo", disse o legendário band-leader, ao site "AZ Central". "Me sinto pronto para me aposentar. Esses shows têm sido tão interessantes, as pessoas estão amando. Mas agora é a vez dos mais jovens."

LEIA MAIS: Depois de 40 anos reclusa, Betty Davis, 'rainha do funk' original e 'Madonna antes de Madonna', volta a produzir uma canção

VEJA TAMBÉM: Nile Rodgers faz relato emocionante sobre a mãe, que tem Alzheimer: 'Ela ainda sabe cantar músicas antigas'

Com isso, George mostra que quer passar o bastão e deixar o gênero bem representado, mesmo que ele, o grande nome do P-funk, não esteja mais na ativa. "Queria juntá-los para ter certeza que vão dar continuidade a essa tradição", declarou ele. "Porque eles não vão se aposentar."

O músico, no entanto, não revelou qual de seus familiares deverá ser o "cabeça" do movimento. "Tenho meus netos, meu filho, minha filha... Estou tentando descobrir, como num reality show musical, qual vai assumir meu posto oficialmente", brincou George, que em recente entrevista à "Rolling Stone" destacou que, apesar da aposentadoria dos palcos, ele continua animado a fazer música como nos anos 1950 e 1960.

"É muito confuso esse momento que estou passando, porque ainda me sinto empolgado. Estamos inspirados com o último disco que lançamos, o 'Medicaid Fraud Dogg', de 2018. As pessoas o receberam tão bem. Sinto que queria fazer algo assim novamente", explicou o veterano que, do estúdio, não quer se distanciar. 

"Vou continuar produzindo, fazendo cartoons. Estou no filme 'Trolls World Tour' (com estreia em 2020). E o Samuel L. Jackson vai me interpretar no filme 'Spinning Gold', sobre Neil Bogart (1943-1982), fundador da gravadora Casablanca (um dos pilares da disco music)", disse, adiantando os planos futuros.

Enquanto o futuro não chega, ele está mesmo focado na turnê "One Nation Under a Groove", batizada com o nome do álbum de sua banda, de 1978, que foi um dos mais bem-sucedidos em vendas do gênero na história. "Esse foi o primeiro trabalho que eu lutei pelos direitos autorais", destacou. "Ele me inspirou a continuar nessa batalha, da qual estou me dedicando nos últimos dois anos."

Entenda como nasceu o Parliament e o Funkadelic

George nasceu em 1941 na cidade de Kannapolis, na Carolina do Norte, mas cresceu em Nova Jersey, onde, ainda adolescente, criou o grupo vocal de doo wop Parliaments, nos fundos de uma barbearia. O quinteto ficou unido por mais de dez anos e obteve sucesso em 1967 com o hit "(I Wanna) Testify".

Quando o selo que lançou o primeiro disco do grupo foi à falência, a banda perdeu o direito de usar o nome Parliaments. Assim, George mudou o título para Funkadelic.

"Quando conseguimos usar o nome Parliament novamente, decidimos batizar a banda de Parliament Funkadelic (ou P-funk). Foi a forma que encontramos para fazer os dois nomes funcionarem", completou. 

A nova versão do funk americano criado por George e seu grupo chegou num momento em que basicamente o que bombava eram os artistas da Motown. "Não sobrou nada nos anos 1960, com a Motown no auge e a invasão européia do rock", lembrou ele. "Para nos destacarmos, juntamos o que há de melhor: o estilo da Motown e o de Nova Orleans. E colocamos guitarra em cima disso. Assim nasceu o Funkadelic."

O Funkadelic, para além do nome de sua banda é, então, um gênero fundado por George. Ao "AZ Central", ele ressaltou que, além de sua família, alguns nomes do hip-hop ajudam o gênero a continuar vivo. Temos o Flying Lotus, o Kendrick Lamar e (no pop) o Bruno Mars. E também a internet. Estamos bem representados" finalizou.

George Clinton, aos 78 anos, quer se aposentar dos palcos e passar o bastão do P-funk para seus filhos e netos/Getty Images
George Clinton, aos 78 anos, quer se aposentar dos palcos e passar o bastão do P-funk para seus filhos e netos/Getty Images

Publicidade

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest