Glenn Copeland: o artista transgênero que está sendo descoberto aos 74 anos
Inspiração

Glenn Copeland: o artista transgênero que está sendo descoberto aos 74 anos

A história de Glenn Copeland, um músico americano baseado no Canadá, é daquelas que parecem estar escritas no destino. Aos 74 anos, o homem transgênero alcançou fama internacional graças a um comprador japonês que descobriu seu trabalho e investiu na divulgação de sua obra. Antes de a virada acontecer em 2015, Glenn tinha sua música autoral apenas como hobby. Portanto, se dedicou durante boa parte da vida adulta a interpretar canções em programas infantis de TV, como "Vila Sésamo" e "Mr. Dressup" — sem nunca mostrar a cara.

Mas há cerca de três anos, graças à ajuda do "cavalheiro japonês", como descreveu Glenn em entrevista ao "Guardian", seu trabalho foi introduzido a novos ouvintes e a gravadoras interessadas em relançarem suas músicas e discos esquecidos na gaveta, como "Keyboard Fantasies", de 1986.

O trabalho foi divulgado de forma independente — assim como quase tudo o que produziu na vida—, e feito de forma simples e caseira no estúdio localizado em sua casa, na cidade de Huntsville, em Ontário, no Canadá. Para gravar o disco, ainda na década de 1980, Glenn precisou apenas de um computador da marca Atari, um sintetizador Yamaha DX7 e uma drum machine da Roland.

As coisas simplesmente parecem acontecer na vida do artista, dono de uma criatividade e vitalidade ímpar. Para se ter uma ideia, ele diz durante a entrevista que há seis anos — logo, antes do telefonema do comprador japonês — descobriu um cara que gastou US$ 2 mil em um de seus discos, datado em 1970 (Ouça-o aqui).

No ano do lançamento oficial — o trabalho foi reeditado em 2017 — o álbum vendeu apenas 200 cópias. Atualmente, ele é considerado item de colecionador. "Na época eu pensei: 'O quê?'. Essa pessoa devia ser um pouco insana. Mas depois fiquei tocado com a atitude", conta ele.

A ascensão de Glenn não se restringe apenas ao mundo da música. Com uma história de vida incrível e obra artística impecável, ele foi chamado em 2017 para uma palestra na Red Bull Music Academy (assista na íntegra aqui) e ganhou um curta-metragem que você pode ver abaixo. Nele, o homem trans, que vive sob a nova identidade desde 1995, conta um pouco sobre o processo de criação de "Keyboard Fantasies", hoje considerado uma joia rara da música.

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest