Hip-Hop Machine: Rappers brasileiros cantam suas músicas em versões de jazz para série do YouTube
Entretenimento

Hip-Hop Machine: Rappers brasileiros cantam suas músicas em versões de jazz para série do YouTube

Publicidade

Pode ser que tenham criado um projeto tão contraditório quanto o "Poesia Acústica" — no qual diversos artistas se reúnem para cantar "rap acústico" —, mas ainda é cedo para dizer. Trata-se da nova série do YouTube, o "Hip-Hop Machine", que estreou na sexta-feira (10), com o grupo paulista Haikass fazendo versões jazzísticas inéditas de suas músicas. A ideia é que nomes do hip-hop nacional se apresentem ao longo de 10 programas. Por trás do projeto, está Leo Gandelman, saxofonista referência do jazz brasileiro.

LEIA MAIS: Conheça Sidola, o rapper sommelier que une deboche e ousadia

VEJA TAMBÉM: Djonga fala de Brasil, do que é ser 'Ladrão' e da pasteurização do rap

Além do Haikass, Karol Conká, Baco Exu do Blues, 1Kilo, 3030, BK, Luccas Carlos, Gabz, Delacruz e BNegão devem aparecer nos próximos vídeos, que sempre terão o formato de quatro releituras de músicas autorais com a pegada de jazz. Os episódios vão ao ar uma vez por semana até o dia 12 de julho. 

Segundo o "Portal Popline", Léo Gandelman, criador de diversos temas para programas de TV, novelas e filmes, procurava por novos desafios em sua carreira e acabou cruzando com Bruno Costa, idealizador do "Hip-Hop Machine". O título do projeto surgiu após os dois assistirem ao documentário sobre Quincy Jones, disponível na Netflix.

"[Esse filme] falava do movimento hip-hop com o jazz de uma maneira muito forte no início da década de 90. Voltamos nessa proposta e surgiu o nome", disse Léo, que se mostrou satisfeito com o trabalho feito ao lado dos artistas que colaboraram com o projeto até o momento.

"A beleza deste encontro é porque o hip-hop e o rap vêm do improviso, assim como o jazz. A grande contribuição do jazz pro mundo foi justamente a questão da atitude. De você criar na hora em que você está produzindo sua obra de arte. E o rap e o hip-hop surgem dos combates, das criações espontâneas. No fim, tudo rima e se combina", finalizou.

Léo Gandelman ao lado do rapper BK, um dos participantes do 'Hip-Hop Machine', e do beatmaker El Lif/Reprodução/Instagram
Léo Gandelman ao lado do rapper BK, um dos participantes do 'Hip-Hop Machine', e do beatmaker El Lif/Reprodução/Instagram

Publicidade

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest