Johnny Marr toca músicas dos Smiths e responde a perguntas dos fãs no Instagram
Entretenimento

Johnny Marr toca músicas dos Smiths e responde a perguntas dos fãs no Instagram

Em tempos de inflação de lives, as postagens do guitarrista Johnny Marr, ex-integrante dos Smiths, vem se mostrando à prova de rejeição. E fazendo a alegria dos fãs em tempos de pandemia do novo coronavírus. Além de responder a perguntas, falar sobre equipamentos e tatuagens, ele tem tocado algumas canções bem conhecidas em seu canal no Instagram, como "Some Girls Are Bigger Than Others", "Girl Afraid" (segundo ele, uma "demanda popular") e "Nowhere Fast".

No dia 20 de março, Johnny escreveu pela primeira vez sobre a pandemia: "Olá a todos. Como vocês sabem, muitos shows e festivais estão sendo cancelados ou adiados neste momento sem precedentes. É frustrante e infeliz, mas inevitável. Por favor, sigam os conselhos e cuidem-se. Vejo vocês em breve". Seis dias depois, ele já começava a fazer a felicidade dos fãs: "Perguntem-me qualquer coisa". Ele pediu para deixarem as perguntas nos comentários para que ele pudesse, aos poucos, respondê-las nos stories.

Johnny Marr tocou três músicas do Smiths em suas lives. Foto: Reprodução Instagram
Johnny Marr tocou três músicas do Smiths em suas lives. Foto: Reprodução Instagram

Com uma Fender Jaguar, ele promete presentear os fãs com mais alguns de seus clássicos. "Espero que possamos nos divertir um pouco, talvez tocando alguns riffs aqui ou ali", comentou. Mas para quem pensa em aprender alguma coisa, desista — a não ser que tenha ao menos noções musicais intermediárias. Johnny apenas faz parecer que as canções são fáceis de tocar, mas não facilita com nenhuma lição. Bom, ele até tenta ensinar a uma fã que pede dicas de como tocar slides na guitarra, em particular os de "Right Things Right". "Segura as cordas que você não quer que soem com os dedos da mão direita", orientou, mostrando uma didática peculiar.

Aparentemente, Johnny concentrou suas respostas nos comentários da publicação do dia 28 de março. São perguntas que vão desde curiosidades amenas como quantas tatuagens ele tem — "Aproximadamente 11 e a do Sistema Solar é a mais legal", contou — até dúvidas de músicos amadores sobre modelos de guitarras e amplificadores. Johnny é "econômico" nas respostas, geralmente variando entre um "sim", "não" ou frases com no máximo três palavras.

Instagram URL not provided

Um dos raros momentos em que ele se alonga é quando responde sobre como teve a ideia de fazer a cover do Depeche Mode "I Feel You". "Eu estava tocando o riff no backstage e alguém da minha banda comentou que era bom, perguntando que música era aquela. Quando respondi que era do Depeche Mode, ela me disse que tinha achado que era minha. Foi quando pensei 'hum, talvez eu devesse gravar'. Conversei com os músicos e acabamos tocando naquela mesma noite", escreveu sobre a faixa que foi lançada no Record Store Day de 2015 em um compacto de vinil limitado. O lado B trazia uma versão ao vivo de 1984 de “Please Please Please Let Me Get What I Want”, dos Smiths.

Johnny parece ter gostado também de responder sobre seu trabalho com Hans Zimmer na trilha sonora de "A Origem", filme de Christopher Nolan de 2010. Quando questionado sobre a colaboração preferida fora os Smiths, contou: "Hans me lembrou de compositores como Klaus Schulze e nós gostamos muito de John Barry. Trabalhando com ele aprendi que a guitarra pode funcionar muito bem em filmes". Uma parceria que já esteve nas telas em "O Espetacular Homem-Aranha" e volta assim que as coisas se normalizarem em "007: Sem Tempo Para Morrer".

Entre curiosidades e dicas culturais, Johnny respondeu sobre quais eram seus autores (Aldous Huxley e Joan Didion) e filmes ("Era Uma vez Na América", "Coração Satânico", "Mississippi Em Chamas" e "Requiem Para Um Sonho") preferidos. Em sua área, ele tirou a dúvida sobre qual foi a primeira vez em que foi a um show — Slaughter and The Dogs, no Civic Forum Manchester em 1976, quando tinha 12 anos — e a melhor performance ao vivo que assistiu até hoje — Patti Smith, dois anos depois.

Os fãs também já descobriram que Auden Custom é sua guitarra acústica preferida atualmente; e que a Gibson Double Neck seria a escolhida se ele só pudesse tocar um modelo por toda a vida. Johnny revelou também que o americano James Williamson (guitarrista dos Stooges em "Raw Power) e o escocês Bert Jansch (1943-2011, destaque da cena folk cult) são suas maiores influências e que, além da guitarra, gosta de tocar gaita. "Qual seu guitarrista favorito de todos os tempos?", perguntou um fã. "O que eu estou tentando ser", respondeu ele, com falsa modéstia.

Ninguém liga se as respostas são curtas porque, pelas reações, quem recebe uma resposta do músico já ganha seu dia — ou o ano, dependendo do nível de devoção. O usuário @_l0rdy_ , por exemplo, perguntou o que se passa na mente dele quando está escrevendo uma nova canção. "Boa pergunta", foi a resposta. E a reação do fã? "Obrigado, cara. Porra, eu ganhei o ano com sua resposta! Haha Obrigado."

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest