Jukebox online que funciona a partir de emojis ajuda jovens a falar sobre saúde mental
Tecnologia

Jukebox online que funciona a partir de emojis ajuda jovens a falar sobre saúde mental

Um emoji pode até “não falar mais que mil palavras”, mas com certeza é capaz de ilustrar alguns sentimentos com clareza. Ao notar isso, atrelado à dificuldade dos jovens em falar sobre a própria saúde mental, o movimento escocês SeeMe (“me veja”, em tradução livre), voltado para a luta contra o estigma social e a discriminação de assuntos relacionados à saúde mental, desenvolveu o site “FeelsFM”. Ele funciona como uma espécie de jukebox online que, a partir da seleção de emojis, gera uma playlist coerente como desenho escolhido pelo usuário.

A ideia pioneira surgiu após uma pesquisa com mais de 1.400 indivíduos revelar que apenas 26% dos jovens entre 12 e 26 anos dizem a alguém quando estão com dificuldades psicológicas, enquanto 67% contam quando sentem dores físicas. “Todo mundo tem sentimentos, todo mundo tem saúde mental e a maioria das pessoas ouve música”, diz Calum Irving, diretor da entidade. “Quisemos juntar tudo isso (no FeelsFM) para que os jovens possam expressar como estão se sentindo sem se preocupar com o estigma e, de quebra, ainda terem a possibilidade de encontrar canções de ajuda em caso de dificuldades”.

É possível navegar por todo o layout da página do site 'FeelsFM" / Reprodução
É possível navegar por todo o layout da página do site 'FeelsFM" / Reprodução

Para realizar a experiência, é bem simples. Ao clicar na caixa “Enter your emoji here” (“insira o seu emoji aqui”), o usuário consegue ver todas as opções de carinhas disponíveis. Ao colocar o rosto do bonequinho com febre, por exemplo, descrever suas sensações como "I'm sick" (“estou doente”) e selecionar o ano de nascimento como 1990, as opções oferecidas pela jukebox são todas, de alguma forma, relacionadas à saúde mental ou a sensações físicas relativas à doença: "Fever" (“Febre”), da DJ canadense B. Traits, "Hallucinate" ("Alucinar"), do duo australiano GL, e "This Is How You Feel?" ("É assim que você se sente?"), de The Preatures. São inúmeras as possibilidades de combinações musicais que variam de acordo com o emoji e com a descrição dos sentimentos do usuário.

Não há problema em não se sentir bem; o importante é sentir que se pode procurar a ajuda necessária e merecida

Também é permitido interagir com o restante do layout, clicando nos botões disponíveis na ilustração. No lado esquerdo da página, onde há um toca-discos, ao acionar o interruptor para o modo “on”, é possível ouvir uma gravação com frases importantes para quem precisa de ajuda. “Está tudo bem em não se sentir tão bem, em estar confuso, preocupado, com medo ou com o cabelo estranho”. É possível ainda encontrar telefones úteis para socorro psicológico na Escócia ao clicar no vidro em que se lê “in case of emergency” (“em caso de emergência”).

A campanha está recebendo o apoio de £ 74 mil do governo escocês. “Muitas pessoas consideram a música como uma maneira importante de ajudá-las a lidar com e a expressar como estão se sentindo”, diz Clare Haughey, ministra da Saúde Mental. “Não há problema em não se sentir bem; o importante é sentir que se pode procurar a ajuda necessária e merecida”.

As informações são do “Evening Express”.

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest