Katy Perry, depois de Beyoncé, Baby do Brasil e outras, afasta tabu e confirma: a gravidez é pop
Entretenimento

Katy Perry, depois de Beyoncé, Baby do Brasil e outras, afasta tabu e confirma: a gravidez é pop

A gravidez no meio pop no século XX não costumava ser tão aparente e festejada como no decorrer dos anos 2000. Fosse por tabus, razões pseudomédicas ou orientações de carreira, barrigões raramente eram levados ao palco. Hoje, as artistas não só se orgulham de ser mães como costumam revelar a gravidez de formas inusitadas. A mais recente foi Katy Perry, que deu as pistas no videoclipe de "Never Worn White", lançado nesta quinta-feira (5/3) e depois confirmou em suas redes sociais que vai ter um filho com o ator Orlando Bloom.

A nova balada — o primeiro lançamento do ano da cantora e jurada do “American Idol fala sobre seu medo de compromisso e ao mesmo tempo sobre como ela está pronta para uma vida feliz com outra pessoa. No videoclipe, que já ultrapassou os 5 milhões de visualizações, ela aparece cantando parada, ora com um vestido longo, ora sentada envolta a flores. Nos segundos finais, ela coloca as duas mãos na barriga e, em seguida, aparece de perfil, com uma roupa transparente, em que é possível ver a barriga já grandinha.

Durante um Instagram Live após a estreia do videoclipe no YouTube, Katy confirmou sua gravidez, dizendo que "provavelmente é o segredo mais longo que ela já teve que guardar". "Há muita coisa acontecendo neste verão, não só vou dar à luz — literalmente — mas também figurativamente a algo que vocês estavam esperando", disse ela, referindo-se ao próximo álbum.

O bebê a caminho será o primeiro de Katy com Orlando, que já é pai de Flynn, 9 anos, com Miranda Kerr. "Eu nunca tive um parceiro disposto a fazer uma jornada emocional e espiritual como Orlando”, disse a cantora à “Vogue Indiano início deste ano. Ela acrescentou que o amor, para ela, é definido por “parceria, amizade, verdade e ser um espelho absoluto para alguém". O casal começou a namorar em 2016, se separaram por um breve momento e reataram em 2018.

No âmbito de revelações inusitadas aliadas a um marketing inteligente em cima da gravidez, Beyoncé é, por enquanto, hors-concours. Em 2011, a estrela anunciou que estava grávida de Jay-Z para a plateia e os espectadores depois de cantar "Love On Top" no MTV Video Music Awards. Sorrindo, abriu o blazer brilhante e acariciou a barriga onde estava a filha Blue Ivy.

Em 2017, grávida de gêmeos, a cantora publicou uma foto usando apenas um véu e um short em meio a flores. Resultado: a imagem teve o maior número de curtidas do ano. Depois foi exibir o barrigão que carregava Rumi e Sir no Grammy, onde cantou alguns sucessos de seu álbum "Lemonade".

Se hoje a gravidez de uma cantora ou atriz famosa é um motivo a mais de visibilidade, rendendo likes e acessos e cercada por toda uma indústria ao redor, há poucas décadas a situação era diferente. Um marco importante para essa guinada talvez tenha sido a famosa capa da "Vanity Fair" de 1991, onde Demi Moore, usando apenas jóias de diamantes, exibia sua avançada gravidez. Algumas bancas se recusaram a exibir a revista, apontando para o fato de que a imagem da mulher grávida ainda era um tabu.

Outro motivo para as estrelas pop esconderem ou serem discretas com a gravidez era a preocupação de que um bebê pudesse arruinar a carreira. “As atitudes eram realmente ruins naquela época”, disse a cantora inglesa Emmy, The Great, ao "The Guardian" em 2018. Ela fazia uma referência à letra da canção "To Zion" (1998), em que Lauryn Hill aborda os conselhos que lhe deram quando descobriu sua gravidez: “Look at your career they said/ Lauryn, baby, use your head” (“Olhe pra sua carreira, disseram/ Lauryn, baby, use a cabeça”). É claro que ela os ignorou, pois ainda teve mais cinco filhos depois de Zion David Marley, hoje com 22 anos.

Em abril de 2018, a rapper Cardi B revelou sua gravidez durante a apresentação no programa “Saturday Night Live”. Dois meses depois, bem humorada, escreveu em seu Twitter: "Triste notícia: Não consigo mais ver minha vagina”. Mesmo com esse desembaraço, a rapper contou numa entrevista à “Rolling Stone”, que percebeu uma situação semelhante à da canção de Lauryn entre seus amigos e equipe. “Foi como: 'você não pode fazer isso. Isso pode atrapalhar sua carreira'”, revelou.

Mia, grávida de nove meses, na apresentação que fez no Grammy de 2009. Foto: Getty Images
Mia, grávida de nove meses, na apresentação que fez no Grammy de 2009. Foto: Getty Images

A gravidez às claras não é mais tabu no mercado de entretenimento, mas ainda há muito o que conquistar. Não é incomum ver cantoras grávidas no palco — não se pode esquecer do pioneirismo nacional nos holofotes em 1985, com Baby do Brasil arrasando no Rock In Rio! Há performances marcantes, como as de Beyoncé, já citadas, e de Alicia Keys que, grávida de seu segundo filho, Genesis Ali Dean, tocou "We Are Here" no MTV European Music Awards em 2014. Já o palco do Grammy foi testemunha de ousada MIA, que se apresentou na edição de 2009 grávida de nove meses. Seu filho Ikhyd Edgar Arular Bronfman nasceu três dias depois.

Relacionados

Canais Especiais

Ícone do FacebookÍcone do TwitterÍcone do InstagramÍcone do YoutubeÍcone do DeezerÍcone do SpotifyÍcone do Pinterest